Follow Us @soratemplates

29 de abril de 2016

Eu não sei flertar com ninguém

abril 29, 2016 26 Comentários

Definitivamente, eu não sei flertar. Não sei como olhar prum cara e fazer ele me notar. Quem me vê  pessoalmente toda puta, mal sabe dos perrengues que passo quando estou na frente de macho.

Outra coisa: admiro demais aquelas pessoas que vão pra balada sem nenhum esquema marcado e, no fim da festa, saem acompanhadas. Juro que essa arte eu ainda não domino, mas o santo Google tá me ajudando com alguns depoimentos da beshas-sortudas. #esperta

Eu sou o tipo de pessoa que não consegue encarar alguém desconhecido, dar umas piscadas, abrir um sorrisão sensual e, enfim, conquistar o boy com todo aquele lance da sedução. Falando em sedução, tem horas que me olho no espelho e tento 'jogar' cantada pra mim mesmo: fia, não presta. Dá umas crises de riso que falto é me engasgar.



E puta funciona assim: mesmo não sabendo flertar, não perde a oportunidade. Então vamos lá pros micões desse ano.

Estava lá eu lanchando com o boy. 'Tava tudo tranquilo, tudo favorável pra gente dar uns beijos após tanto papo, pelo menos era o que eu imaginava, mas... comecei a encarar o cara é fazer carão-de-diva-do-pop-durante-sessão-fotográfica, contudo, percebi que atitude não funcionou quando o 'homi' me perguntou se eu estava bem. Claro que entendi ao que ele se referia, né? Logo me recompus vestindo a carapuça da timidez.

Teve também uma vez em que estava num boteco com uns amigos. Um cara tava olhando pra mim o tempo inteiro e eu comecei a retribuir o olhar. Fui ao banheiro e quando saí na porta, quem estava lá? Então... Pra resumir a desgraça toda: ele me deu um bilhete pra eu entregar pra minha amiga. Sim, eles ficaram juntos.
O que eu sei é que não nasci pra ser charmoso pra ninguém. Então, crushes que estiverem lendo esse texto, saibam que mesmo eu percebendo um olhar diferente pra mim, não vou retribuir porque tá foda quebrar a cara.
 Um beijo!

Eu não sei flertar com ninguém

abril 29, 2016 47 Comentários

Definitivamente, eu não sei flertar. Não sei como olhar prum cara e fazer ele me notar. Quem me vê  pessoalmente toda puta, mal sabe dos perrengues que passo quando estou na frente de macho.


Outra coisa: admiro demais aquelas pessoas que vão pra balada sem nenhum esquema marcado e, no fim da festa, saem acompanhadas. Juro que essa arte eu ainda não domino, mas o santo Google tá me ajudando com alguns depoimentos da beshas-sortudas. #esperta


Eu sou o tipo de pessoa que não consegue encarar alguém desconhecido, dar umas piscadas, abrir um sorrisão sensual e, enfim, conquistar o boy com todo aquele lance da sedução. Falando em sedução, tem horas que me olho no espelho e tento 'jogar' cantada pra mim mesmo: fia, não presta. Dá umas crises de riso que falto é me engasgar.


E puta funciona assim: mesmo não sabendo flertar, não perde a oportunidade. Então vamos lá pros micões desse ano.


Estava lá eu lanchando com o boy. 'Tava tudo tranquilo, tudo favorável pra gente dar uns beijos após tanto papo, pelo menos era o que eu imaginava, mas... comecei a encarar o cara é fazer carão-de-diva-do-pop-durante-sessão-fotográfica, contudo, percebi que atitude não funcionou quando o 'homi' me perguntou se eu estava bem. Claro que entendi ao que ele se referia, né? Logo me recompus vestindo a carapuça da timidez.


Teve também uma vez em que estava num boteco com uns amigos. Um cara tava olhando pra mim o tempo inteiro e eu comecei a retribuir o olhar. Fui ao banheiro e quando saí na porta, quem estava lá? Então... Pra resumir a desgraça toda: ele me deu um bilhete pra eu entregar pra minha amiga. Sim, eles ficaram juntos.

O que eu sei é que não nasci pra ser charmoso pra ninguém. Então, crushes que estiverem lendo esse texto, saibam que mesmo eu percebendo um olhar diferente pra mim, não vou retribuir porque tá foda quebrar a cara.

 Um beijo!

27 de abril de 2016

Ser adulto é chato (às vezes!)

abril 27, 2016 31 Comentários

Até um tempo atrás, um dos meus maiores desejos na vida era se tornar adulto, tirar o meu passaporte e viajar pelo mundo, sem destino/rumo. Eu queria explorar o continente europeu, conhecer os japoneses/chineses e curtir uma festa americana de verdade, ao lado dos gringos bonitões. Com que dinheiro? Não sei! O fato é que eu desejava muito. #locasempre 

Acontece que eu cresci, um dos desejos se realizou e hoje sou um adulto preso numa mente de criança. Sim: a história inverteu. Agora posso batalhar pra conseguir um passaporte e viajar pelo o mundo (como se fosse fácil!), mas a vontade passou. 

O que quero mesmo é voltar à adolescência e aproveitar cada momento do passado, de forma diferente; quero pular corda e não reclamar do cansaço; quero ligar o foda-se pros amiguinhos que sorriam de mim, enquanto eu apresentava o seminário na escola... Queria simplesmente ser menos preocupado, sabe?


A vida de adulto é ótima, mas ao mesmo tempo chata. É muita preocupação, mimimi, responsabilidade e... poxa, porque a gente não pode escolher entre crescer ou continuar curtindo Demi Lovato sem julgamentos? Por que a gente não pode ler um infanto-juvenil e ninguém se importar? Ligar o foda-se pros outros não resolve, pois a gente sabe bem que as coisas que incomodam, elas incomodam e ponto. 

Enfim...

Muita gente deve gostar de ficar correndo prum lado e pro outro, à fim de ganhar dinheiro pra pagar as contas. Já é eu... bom, eu gosto de ficar em casa escrevendo, lendo, conversando e sorrindo. Talvez eu seja um folgado. Ou alguém que acredita que as melhores fases da nossa vida são aquelas do passado, em que éramos inocentes e crescemos com esse mesmo sentimento dentro de nós, apesar do nosso corpo demonstrar uma maturidade não existente. 

Ser adulto é chato (às vezes!)

abril 27, 2016 60 Comentários




Até um tempo atrás, um dos meus maiores desejos na vida era se tornar adulto, tirar o meu passaporte e viajar pelo mundo, sem destino/rumo. Eu queria explorar o continente europeu, conhecer os japoneses/chineses e curtir uma festa americana de verdade, ao lado dos gringos bonitões. Com que dinheiro? Não sei! O fato é que eu desejava muito. #locasempre 


Acontece que eu cresci, um dos desejos se realizou e hoje sou um adulto preso numa mente de criança. Sim: a história inverteu. Agora posso batalhar pra conseguir um passaporte e viajar pelo o mundo (como se fosse fácil!), mas a vontade passou.


O que quero mesmo é voltar à adolescência e aproveitar cada momento do passado, de forma diferente; quero pular corda e não reclamar do cansaço; quero ligar o foda-se pros amiguinhos que sorriam de mim, enquanto eu apresentava o seminário na escola... Queria simplesmente ser menos preocupado, sabe?




A vida de adulto é ótima, mas ao mesmo tempo chata. É muita preocupação, mimimi, responsabilidade e... poxa, porque a gente não pode escolher entre crescer ou continuar curtindo Demi Lovato sem julgamentos? Por que a gente não pode ler um infanto-juvenil e ninguém se importar? Ligar o foda-se pros outros não resolve, pois a gente sabe bem que as coisas que incomodam, elas incomodam e ponto.


Enfim...


Muita gente deve gostar de ficar correndo prum lado e pro outro, à fim de ganhar dinheiro pra pagar as contas. Já é eu... bom, eu gosto de ficar em casa escrevendo, lendo, conversando e sorrindo. Talvez eu seja um folgado. Ou alguém que acredita que as melhores fases da nossa vida são aquelas do passado, em que éramos inocentes e crescemos com esse mesmo sentimento dentro de nós, apesar do nosso corpo demonstrar uma maturidade não existente.

25 de abril de 2016

Como fazer o seu blog crescer?

abril 25, 2016 36 Comentários
Amiga, se tu chegou aqui achando que encontraria truquinhos pra bombar o teu blog, já te aviso pra procurar outro post porque eu também tô na luta pra virar uma It blogger. #aloukan (Na verdade, a Thami fez um post mó legal sobre o sucesso na blogosfera!)

A verdade é que a maioria das pessoas estão loucas e correndo atrás de fama virtual, como se isso implicasse no fim de todos os seus problemas. Não é difícil encontrar na rua, faculdade, trabalho ou até mesmo em casa alguém que queira ganhar dinheiro fazendo qualquer coisa na internet. O problema é que: geral não faz algo autêntico; sempre é aquele Ctrl + c e Ctrl + v dos infernos.

Mas vamos lá ~tentar~ desvendar os “mistérios” da fama de um blog bombado!


Não queira fama
Eu não sei o segredo do sucesso da Kéfera no Youtube, tampouco o da Camila Coutinho na blogosfera, mas analisando o conteúdo de ambas, cheguei à uma conclusão: nenhuma começou querendo fama. Então, esse é o primeiro passo: não criei um blog pensando nos jabás.

Deve ser ótimo ficar em casa escrevendo resenhas de produtos, ganhando dinheiro pra participar de eventos e bla bla bla. Mas, as coisas na blogosfera não funcionam assim: não é uma “profissão” que te dá estabilidade financeira e garantia de um futuro lindo. 

Por exemplo: você pode criar um blog hoje e ficar trocentos anos com ele, sem adquirir fama (meu caso!), mas a sua coleguinha pode criar também um cantinho virtual e virar a nova sensação da internet, mesmo fazendo posts bostas. Então, pra não se frustrar querendo fama, faça apenas por amor. Se o reconhecimento mundial vier, você pode apenas remexer o bumbum e dançar ragatanga.


Faça posts interessantes
Há pessoas que acreditam que um blog legal é aquele com “dicas pra isso e aquilo”, “5 passos pra ser menos trouxas” e zZZZzzzzzzROINC. Ao meu ver, pra fazer sucesso, o blog tem de ter um conteúdo interessante e pessoal. Então, se você quer que o leitor volte no teu cantinho, compartilhe um pouco da tua vida, as tuas experiências... Deixe de lado aqueles posts água com açúcar e se aprofunde em algo novo, divertido e útil (mesmo que seja pra alegrar os outros passando vergonha, o que é o meu caso!). 

Voltando novamente à Kefera e a Camila Coutinho: ambas começaram compartilhando a opinião delas sobre coisas do dia a dia (uma sobre as tretas de uma jovem-adolescente e a outra sobre o mundo da moda). Ou seja: geralmente quem as acompanha, está interessado mais no que elas têm a dizer do que dicas de produtos e bla bla bla. 
Resumo do resumo: atualize o seu blog sempre com amor, sem esperar o sucesso. Infelizmente, nem todo mundo que tem um cantinho legal e interessante terá sucesso, logo, devemos nos acostumar com isso e seguir em frente. 
 Um beijo!

Como fazer o seu blog crescer?

abril 25, 2016 33 Comentários
Amiga, se tu chegou aqui achando que encontraria truquinhos pra bombar o teu blog, já te aviso pra procurar outro post porque eu também tô na luta pra virar uma it blogger. (Na verdade, a Thami fez um post mó legal sobre o sucesso na blogosfera!)


A verdade é que a maioria das pessoas estão loucas e correndo atrás de fama virtual, como se isso implicasse no fim de todos os seus problemas. Não é difícil encontrar na rua, faculdade, trabalho ou até mesmo em casa alguém que queira ganhar dinheiro fazendo qualquer coisa na internet. O problema é que: geral não faz algo autêntico; sempre é aquele Ctrl + c e Ctrl + v dos infernos.


Mas vamos lá ~tentar~ desvendar os “mistérios” da fama de um blog bombado!

blog

Não queira fama

Eu não sei o segredo do sucesso da Kéfera no Youtube, tampouco o da Camila Coutinho na blogosfera, mas analisando o conteúdo de ambas, cheguei à uma conclusão: nenhuma começou querendo fama. Então, esse é o primeiro passo: não criei um blog pensando nos jabás.


Deve ser ótimo ficar em casa escrevendo resenhas de produtos, ganhando dinheiro pra participar de eventos e bla bla bla. Mas, as coisas na blogosfera não funcionam assim: não é uma “profissão” que te dá estabilidade financeira e garantia de um futuro lindo.


Por exemplo: você pode criar um blog hoje e ficar trocentos anos com ele, sem adquirir fama (meu caso!), mas a sua coleguinha pode criar também um cantinho virtual e virar a nova sensação da internet, mesmo fazendo posts bostas. Então, pra não se frustrar querendo fama, faça apenas por amor. Se o reconhecimento mundial vier, você pode apenas remexer o bumbum e dançar ragatanga.



sucesso blog


Faça posts interessantes

Há pessoas que acreditam que um blog legal é aquele com “dicas pra isso e aquilo”, “5 passos pra ser menos trouxas” e zZZZzzzzzzROINC. Ao meu ver, pra fazer sucesso, o blog tem de ter um conteúdo interessante e pessoal. Então, se você quer que o leitor volte no teu cantinho, compartilhe um pouco da tua vida, as tuas experiências... Deixe de lado aqueles posts água com açúcar e se aprofunde em algo novo, divertido e útil (mesmo que seja pra alegrar os outros passando vergonha, o que é o meu caso!).


Voltando novamente à Kefera e a Camila Coutinho: ambas começaram compartilhando a opinião delas sobre coisas do dia a dia (uma sobre as tretas de uma jovem-adolescente e a outra sobre o mundo da moda). Ou seja: geralmente quem as acompanha, está interessado mais no que elas têm a dizer sobre suas vidas do que dicas de produtos e bla bla bla.


Resumo do resumo: atualize o seu blog sempre com amor, sem esperar o sucesso. Infelizmente, nem todo mundo que tem um cantinho legal e interessante terá sucesso, logo, devemos nos acostumar com isso e seguir em frente.


 Um beijo!

4 sinais de que o seu relacionamento não está indo bem

abril 25, 2016 33 Comentários
Você tá num relacionamento sério, porém, depois de alguns meses tudo muda na relação, onde o cara fica totalmente diferente, frio e menos apegado a você.  O que fazer diante dessa situação? Enfiar o tapa na cara do moço seria uma ótima opção, mas vamos com calma. O psicólogo-amoroso-das-encalhadas-chegou!

Após acompanhar todas as tretas vividas pelas minhas amigas, acho que já tenho um certo feeling pra detectar quando ou não você tá entrando numa roubada. 



1 – Falta de atenção 
Vira e mexe várias amigas reclamam que os namorados estão dando desculpas de que estão sem tempo, vida corrida e bla bla bla, e por esse motivo não poderão vê-las. Por um lado isso é totalmente compreensível, mas se a desculpa sempre for a mesma, tire seu cavalo da chuva. Quem entra num relacionamento, tem de saber que ele é sério e o casal tem de estar juntos. 

2 – Relacionamento sério não é só sexo 
Sexo é bom e, muitas vezes, é o que faz o relacionamento ser interessante, porém, essa não deve ser a base de um namoro. Há coisas muito mais sérias pra se preocupar e querer em um relacionamento, como amizade, lealdade, fidelidade...  Tenha em mente que o seu namorado tem de ser seu melhor amigo. Agora, se ele só pensa/fala em sexo, miga, é furada. 


3 – Divergência de opiniões 
Ninguém é obrigado a concordar com o que o outro diz/pensa, no entanto, o respeito sempre é necessário. Eu penso assim: vale sempre à pena tentar conviver com as divergências, pois aprendemos a enxergar, de forma diferente, alguns fatos. Porém, se só você faz esforço pra entender o cara, pense direitinho sobre o futuro da relação.

4- Ciúmes exagerados 
Vejo muitas amigas vangloriando-se ao dizer que o namorado é muito ciumento, proíbem-nas de sair com pessoas conhecidas e bla bla bla. Ao meu ver, namoro não é um contrato ao qual você deve obedecer aos pedidos/ordem do namorado. Há limites e nenhum namoro  deve ditar pra onde você deve ir, com quem e que horas deve voltar.

No fim, os sinais acima são bem notórios e eu só quero frisar que: quando estiver num relacionamento onde a culpa de tudo cai sobre você, abra os seus olhos.  
 Um beijo!

4 sinais de que o seu relacionamento não está indo bem

abril 25, 2016 33 Comentários


Você tá num relacionamento sério, porém, depois de alguns meses tudo muda na relação, onde o cara fica totalmente diferente, frio e menos apegado a você.  O que fazer diante dessa situação? Enfiar o tapa na cara do moço seria uma ótima opção, mas vamos com calma. O psicólogo-amoroso-das-encalhadas-chegou!

Após acompanhar todas as tretas vividas pelas minhas amigas, acho que já tenho um certo feeling pra detectar quando ou não você tá entrando numa roubada.




1 – Falta de atenção 

Vira e mexe várias amigas reclamam que os namorados estão dando desculpas de que estão sem tempo, vida corrida e bla bla bla, e por esse motivo não poderão vê-las. Por um lado isso é totalmente compreensível, mas se a desculpa sempre for a mesma, tire seu cavalo da chuva. Quem entra num relacionamento, tem de saber que ele é sério e o casal tem de estar juntos.


2 – Relacionamento sério não é só sexo

Sexo é bom e, muitas vezes, é o que faz o relacionamento ser interessante, porém, essa não deve ser a base de um namoro. Há coisas muito mais sérias pra se preocupar e querer em um relacionamento, como amizade, lealdade, fidelidade...  Tenha em mente que o seu namorado tem de ser seu melhor amigo. Agora, se ele só pensa/fala em sexo, miga, é furada.



3 – Divergência de opiniões 

Ninguém é obrigado a concordar com o que o outro diz/pensa, no entanto, o respeito sempre é necessário. Eu penso assim: vale sempre à pena tentar conviver com as divergências, pois aprendemos a enxergar, de forma diferente, alguns fatos. Porém, se só você faz esforço pra entender o cara, pense direitinho sobre o futuro da relação.


4- Ciúmes exagerados 

Vejo muitas amigas vangloriando-se ao dizer que o namorado é muito ciumento, proíbem-nas de sair com pessoas conhecidas e bla bla bla. Ao meu ver, namoro não é um contrato ao qual você deve obedecer aos pedidos/ordem do namorado. Há limites e nenhum namoro  deve ditar pra onde você deve ir, com quem e que horas deve voltar.


No fim, os sinais acima são bem notórios e eu só quero frisar que: quando estiver num relacionamento onde a culpa de tudo cai sobre você, abra os seus olhos.

 Um beijo!

22 de abril de 2016

Medo de (certos) animais

abril 22, 2016 45 Comentários

Eu amo animais. Eu amo olhar pros bichinhos e me comportar como se estivesse diante de uma criança recém-nascida, mudando a voz e querendo dar muito carinho. Contudo, há aqueles animais que me dão um arrepio na pepeka (que eu não tenho, só pra constar!) ao me imaginar cara a cara com eles. São traumas que adquiri com o passar do tempo e, ó, foi horrível. #medrosa 

Barata
Eu sei, é clichê ter medo de barata. No meu caso, não tenho nojo de mata-las, mas quando elas resolvem pular pra cima de mim ou caem da parede sobre a minha cama... mulher: o grito é certo. Juro que toda a minha macheza some.

Cachorro
Amo cachorros! Se pudesse, teria vários em casa, porém, os desconhecidos me deixam de perna bamba. Motivo 1: quando eu era pequeno, um vira lata me atacou mordendo a minha perna. Infelizmente, tenho cicatriz até hoje. Motivo 2: o rottweiler do meu ex-patrão fez xixi na minha perna e eu tive que ficar parado, como uma estátua. Acho que nem respirar eu conseguia naquele momento. 

Lagarto 
Outro animal que me faz mudar de cor é o lagarto. (Olha o trocadilho dela, Braseeel!). É "comum" na região Norte você ver eles vagando pelas ruas, como se estivessem numa floresta. O medo piora porque os lagartos daqui são daquelas que têm o rabo imenso, que dão chilapadas em que chegar perto. Por isso, quando vejo-o, já acelero os passos. #precavida


Galinha 
Acho a galinha um ser vivo incrivelmente gostoso (não pra mim, porque odeio carne de frango), mas, elas me dão um puta medo.

Quando eu tinha 10 anos de idade, um vizinho criava um galo e a casa dele não era murada. O animal era um daqueles branco, pequeno e com esporão nas patas. Sempre quando eu ia ao mercado, esse galo me botava pra correr, dai tinha duas alternativas: passar em frente dele e correr como atleta ou arrodear (dar uma volta inteira) no quarteirão. 

E vocês? Contem aí o nome do animal que vocês têm medo! Vou adorar saber! 
 Um beijo!

Medo de (certos) animais

abril 22, 2016 44 Comentários




Eu amo animais. Eu amo olhar pros bichinhos e me comportar como se estivesse diante de uma criança recém-nascida, mudando a voz e querendo dar muito carinho. Contudo, há aqueles animais que me dão um arrepio na pepeka (que eu não tenho, só pra constar!) ao me imaginar cara a cara com eles. São traumas que adquiri com o passar do tempo e, ó, foi horrível. #medrosa 






Barata


Eu sei, é clichê ter medo de barata. No meu caso, não tenho nojo de mata-las, mas quando elas resolvem pular pra cima de mim ou caem da parede sobre a minha cama... mulher: o grito é certo. Juro que toda a minha macheza some.









Cachorro


Amo cachorros! Se pudesse, teria vários em casa, porém, os desconhecidos me deixam de perna bamba. Motivo 1: quando eu era pequeno, um vira lata me atacou mordendo a minha perna. Infelizmente, tenho cicatriz até hoje. Motivo 2: o rottweiler do meu ex-patrão fez xixi na minha perna e eu tive que ficar parado, como uma estátua. Acho que nem respirar eu conseguia naquele momento. 







Lagarto 


Outro animal que me faz mudar de cor é o lagarto. (Olha o trocadilho dela, Braseeel!). É "comum" na região Norte você ver eles vagando pelas ruas, como se estivessem numa floresta. O medo piora porque os lagartos daqui são daquelas que têm o rabo imenso, que dão chilapadas em que chegar perto. Por isso, quando vejo-o, já acelero os passos. #precavida













Galinha 
Acho a galinha um ser vivo incrivelmente gostoso (não pra mim, porque odeio carne de frango), mas, elas me dão um puta medo.

Quando eu tinha 10 anos de idade, um vizinho criava um galo e a casa dele não era murada. O animal era um daqueles branco, pequeno e com esporão nas patas. Sempre quando eu ia ao mercado, esse galo me botava pra correr, dai tinha duas alternativas: passar em frente dele e correr como atleta ou arrodear (dar uma volta inteira) no quarteirão. 







E vocês? Contem aí o nome do animal que vocês têm medo! Vou adorar saber! 




 Um beijo!



19 de abril de 2016

Cartão de crédito pré-pago vale à pena?

abril 19, 2016 39 Comentários






Antes de eu dizer se vale à pena ter cartão pré-pago, deixa eu te contar uma história...

Eu sempre quis ter cartão de crédito. Desde criança, sempre achei chic passar as compras no cartão e dizer “crédito” ou “débito”, mesmo não sabendo a diferença de ambas as opções naquela época. Eis que em 2013 resolvi abrir minha conta-universitária-corrente no Bradesco. Escolhi esse banco porque era o mais próximo de casa, e ninguém havia me falado das milhares de taxas que teria de pagar. Mas ok. 

Depois de 30 dias após o cadastro, o meu cartão chegou e lá estava eu pagando todas as dívidas no cartão, achando aquilo incrível. Contudo, passei alguns meses sem mexer na conta e quase caí pra trás quando o banco me ligou, cobrando algo que eu não havia usado. Desisti do banco, da minha conta e do meu cartão do Bradesco.

Acontece que eu sou muito cachorra e sentia saudades de falar “passa no débito/crédito”. Dessa forma, revirando umas prateleiras das Lojas Americanas encontrei os cartões Acesso Card, que leva a bandeira do Mastercard. Sem entender bem o que era, levei o troço pra casa e agora sim explicarei como funciona. 

O Acesso Card (ou qualquer cartão pré-pago) custa R$ 15 e a recarga mínima dele é de R$ 50, já a máxima é de R$ 1 mil por dia, tendo o limite máximo de R$ 5 mil mensal e R$ 12 mil de saldo. O mais incrível é que você não paga nenhuma taxa pro banco, e pode ficar quanto tempo quiser sem nenhum centavo no cartão. #liberdade #pobreza

Como usar 
Após cadastrar o cartão pré-pago no site da empresa com os seus dados, basta imprimir um boleto com o valor que você quer ter no cartão. Depois da confirmação do pagamento, é só sair por aí sambando na cara das inimigas pobres. 

Vantagem
Os cartões pré-pagos é uma ótima opção pra quem deseja fugir das taxas bancárias, não quer ter uma conta em banco x (meu caso!) e até mesmo uma forma de economizar, já que você só usará o que tiver de saldo. 
Fica aí essa dica maravilhosa pra quem tem o sonho de dizer: “passa no crédito/débito”. E sim: cartão pré-pago vale super à pena! 
 Um beijo!

Cartão de crédito pré-pago vale à pena?

abril 19, 2016 39 Comentários

















Antes de eu dizer se vale à pena ter cartão pré-pago, deixa eu te contar uma história...


Eu sempre quis ter cartão de crédito. Desde criança, sempre achei chic passar as compras no cartão e dizer “crédito” ou “débito”, mesmo não sabendo a diferença de ambas as opções naquela época. Eis que em 2013 resolvi abrir minha conta-universitária-corrente no Bradesco. Escolhi esse banco porque era o mais próximo de casa, e ninguém havia me falado das milhares de taxas que teria de pagar. Mas ok.


Depois de 30 dias após o cadastro, o meu cartão chegou e lá estava eu pagando todas as dívidas no cartão, achando aquilo incrível. Contudo, passei alguns meses sem mexer na conta e quase caí pra trás quando o banco me ligou, cobrando algo que eu não havia usado. Desisti do banco, da minha conta e do meu cartão do Bradesco.


Acontece que eu sou muito cachorra e sentia saudades de falar “passa no débito/crédito”. Dessa forma, revirando umas prateleiras das Lojas Americanas encontrei os cartões Acesso Card, que leva a bandeira do Mastercard. Sem entender bem o que era, levei o troço pra casa e agora sim explicarei como funciona.



O Acesso Card (ou qualquer cartão pré-pago) custa R$ 15 e a recarga mínima dele é de R$ 50, já a máxima é de R$ 1 mil por dia, tendo o limite máximo de R$ 5 mil mensal e R$ 12 mil de saldo. O mais incrível é que você não paga nenhuma taxa pro banco, e pode ficar quanto tempo quiser sem nenhum centavo no cartão. #liberdade #pobreza

Como usar 

Após cadastrar o cartão pré-pago no site da empresa com os seus dados, basta imprimir um boleto com o valor que você quer ter no cartão. Depois da confirmação do pagamento, é só sair por aí sambando na cara das inimigas pobres.

Vantagem

Os cartões pré-pagos é uma ótima opção pra quem deseja fugir das taxas bancárias, não quer ter uma conta em banco x (meu caso!) e até mesmo uma forma de economizar, já que você só usará o que tiver de saldo.

Fica aí essa dica maravilhosa pra quem tem o sonho de dizer: “passa no crédito/débito”. E sim: cartão pré-pago vale super à pena!

 Um beijo!


14 de abril de 2016

5 anos de blog!

abril 14, 2016 47 Comentários

Não foi hoje, não foi ontem e não foi no ano passado que eu criei o meu blog. Até hoje eu lembro do dia 17 de abril de 2011: um domingo em que todo mundo daqui de casa tava na rua e eu, como sempre, preferi ficar de bobeira na internet.  

Acabei tendo a ideia de criar um blog, inicialmente, pra escrever artigos de opinião e redações, já que havia lido em algum lugar que isso me ajudaria nas redação do vestibular (eu estava no 3º ano do colegial e tinha 16 anos de idade na época). Resumo: o blog acabou seguindo a linha pessoal, onde eu dou dicas de sobrevivência, conto meus causos e é aquilo que todos vocês já sabem: muita putaria. #adoro

Hoje, caminhando pros meus 22 anos, olho pro passado e fico tão grato por ter esse cantinho na internet, onde conquistei várias amizades, de todo canto do mundo. Não sou nenhuma Camila Coutinho ou Bruna Vieira da vida, mas sou grato por cada comentário e visita que recebo. Gosto especialmente quando vocês dividem comigo, nos comentários, fatos semelhantes ou bem mais tensos do que os narrados por mim.

Essa nossa amizade virtual é muito importante. De verdade. Então, aqui vai o meu sincero obrigado. Por tudo.

Deixa eu encerrar esse discurso de miss e ir pro lado bom da história. 


Com a ajuda de algumas empresas daqui de Araguaína, consegui montar uma caixinha mó bonita com vários presentinhos dentro, como: produtos de beleza (make, batom...), t-shirt, cropped, long drink (copinhos pra balada) e livros. Tem outros mimos também, mas esses são surpresas. #misteriosa.

Agora vamos aos agradecimentos: 

Obrigado à Camarim Store pela t-shirt, Vamo Invadir pelo cropped e long drink e Betel Cosmésticos pelo produtos de beleza. 

Pra participar do sorteio, basta abrir o link do box abaixo e clicar em "quero participar" . O resultado sairá no dia 21/04, sendo que o produto será enviado no início de abril. ;)

5 anos de blog!

abril 14, 2016 47 Comentários






Não foi hoje, não foi ontem e não foi no ano passado que eu criei o meu blog. Até hoje eu lembro do dia 17 de abril de 2011: um domingo em que todo mundo daqui de casa tava na rua e eu, como sempre, preferi ficar de bobeira na internet.  





Acabei tendo a ideia de criar um blog, inicialmente, pra escrever artigos de opinião e redações, já que havia lido em algum lugar que isso me ajudaria nas redação do vestibular (eu estava no 3º ano do colegial e tinha 16 anos de idade na época). Resumo: o blog acabou seguindo a linha pessoal, onde eu dou dicas de sobrevivência, conto meus causos e é aquilo que todos vocês já sabem: muita putaria. #adoro





Hoje, caminhando pros meus 22 anos, olho pro passado e fico tão grato por ter esse cantinho na internet, onde conquistei várias amizades, de todo canto do mundo. Não sou nenhuma Camila Coutinho ou Bruna Vieira da vida, mas sou grato por cada comentário e visita que recebo. Gosto especialmente quando vocês dividem comigo, nos comentários, fatos semelhantes ou bem mais tensos do que os narrados por mim.

Essa nossa amizade virtual é muito importante. De verdade. Então, aqui vai o meu sincero obrigado. Por tudo.



Deixa eu encerrar esse discurso de miss e ir pro lado bom da história. 











Com a ajuda de algumas empresas daqui de Araguaína, consegui montar uma caixinha mó bonita com vários presentinhos dentro, como: produtos de beleza (make, batom...), t-shirt, cropped, long drink (copinhos pra balada) e livros. Tem outros mimos também, mas esses são surpresas. #misteriosa.



Agora vamos aos agradecimentos: 





Obrigado à Camarim Store pela t-shirt, Vamo Invadir pelo cropped e long drink e Betel Cosmésticos pelo produtos de beleza. 





Pra participar do sorteio, basta abrir o link do box abaixo e clicar em "quero participar" . O resultado sairá no dia 21/04, sendo que o produto será enviado no início de abril. ;)






13 de abril de 2016

Namoro relâmpago

abril 13, 2016 28 Comentários
A minha sorte pra relacionamento é praticamente zero, certo? Não espere de mim muitas histórias lindas com finais fofos, porque nunca terminam assim. Ou é eu ficando deprê por causa do cara ou bebendo pra caralho pra esquecê-lo. 

Pra você ter noção, já tive um namoro que durou apenas 3 dias. Nem sei se devo considerar esse lance como namoro, afinal, foi pouco tempo. Contudo, houve um pedido oficial, então, sim, foi um relacionamento sério (pelo menos pra mim).











Tudo começou quando um carinha da minha cidade começou a curtir minhas fotos no Instagram. Cansado de esperar ele me chamar pra conversar, mandei uma mensagem por direct e pronto: lá estava eu completamente louco pelo cara, principalmente pelo fato de ele ser lindo e ter me dado atenção, inclusive retribuiu minhas cantadas (que são ridículas!). #putasempre

Após muita conversa e ficadas, o dito cujo começou a me chamar de namorado e insinuar que tínhamos algo sério. Como eu era/sou mó trouxão, pedi o menino em namoro. Ele aceitou, disse estar surpreso com a minha coragem e bla bla bla. Contudo, quando tudo tá indo muito bem, desconfie.


No primeiro dia após o pedido, tudo era lindo. No segundo, a coisa começou a esfriar. No terceiro, recebi uma mensagem onde o cara falava que não estava pronto pra um relacionamento sério e que era melhor acabarmos por ali.

Se não queria nada sério, porque me chamava de namorado, insinuava querer algo sério e ainda aceitou um pedido de namoro? Foda demais. 

Depois desse lance, criei um certo medo de relacionamentos. Tanto é que nunca mais fiquei com ninguém e nem tô dando brecha. Cansei, sabe?! Como todo mundo me diz: só vai aparecer alguém legal quando eu parar de procurar, e é isso que tô fazendo.

 Um beijo!

Namoro relâmpago

abril 13, 2016 28 Comentários
A minha sorte pra relacionamento é praticamente zero, certo? Não espere de mim muitas histórias lindas com finais fofos, porque nunca terminam assim. Ou é eu ficando deprê por causa do cara ou bebendo pra caralho pra esquecê-lo. 







Pra você ter noção, já tive um namoro que durou apenas 3 dias. Nem sei se devo considerar esse lance como namoro, afinal, foi pouco tempo. Contudo, houve um pedido oficial, então, sim, foi um relacionamento sério (pelo menos pra mim).




















Tudo começou quando um carinha da minha cidade começou a curtir minhas fotos no Instagram. Cansado de esperar ele me chamar pra conversar, mandei uma mensagem por direct e pronto: lá estava eu completamente louco pelo cara, principalmente pelo fato de ele ser lindo e ter me dado atenção, inclusive retribuiu minhas cantadas (que são ridículas!). #putasempre





Após muita conversa e ficadas, o dito cujo começou a me chamar de namorado e insinuar que tínhamos algo sério. Como eu era/sou mó trouxão, pedi o menino em namoro. Ele aceitou, disse estar surpreso com a minha coragem e bla bla bla. Contudo, quando tudo tá indo muito bem, desconfie.






No primeiro dia após o pedido, tudo era lindo. No segundo, a coisa começou a esfriar. No terceiro, recebi uma mensagem onde o cara falava que não estava pronto pra um relacionamento sério e que era melhor acabarmos por ali.

Se não queria nada sério, porque me chamava de namorado, insinuava querer algo sério e ainda aceitou um pedido de namoro? Foda demais. 





Depois desse lance, criei um certo medo de relacionamentos. Tanto é que nunca mais fiquei com ninguém e nem tô dando brecha. Cansei, sabe?! Como todo mundo me diz: só vai aparecer alguém legal quando eu parar de procurar, e é isso que tô fazendo.


 Um beijo!

11 de abril de 2016

Machismo: até quando?

abril 11, 2016 40 Comentários
Infelizmente, o mundo ainda é machista e, todas as tretas que acontecem dentro de casa, sobram pras mulheres (tanto esposas quanto filhas); já os homens, eles continuam lá, firmes e fortes, com aqueles discursos de serem os “machos” da casa. Babaquice, eu sei. 

Ao meu ver, o trabalho doméstico e todas as obrigações de uma casa (como lavar louça, roupa, pagar conta de luz, água...) têm de ser divididas com todos os integrantes. Portanto, esqueçam aquele mimimi de que quem deve lavar louça é a mulher, enquanto o marido/filho coça saco no sofá. 

Meu pai, por exemplo, cresceu numa casa onde os homens não podiam lavar uma colher, tampouco fazer comida. Segundo ele, a minha avó não educou os filhos porque serviço doméstico era coisa de mulher. Olha que absurdo! 

Graças a Deus as coisas mudaram quando a minha mãe assumiu as rédeas de casa, me ensinando a fazer comida. Ela também me colocava pra lavar louça, limpar a casa, roupa... Logo, perceba que a minha infância não foi só brincando, mas também aprendendo o quão complicado é administrar uma casa. 


Sobre o meu pai... ele teve de aprender a cozinhar, já que quando eu e a minha mãe viajávamos, ele tinha de se virar sozinho. Só pra constar: a comida dele é ótima e até agora não o vi virando mulher só porque lavou louça ou fez comida. 

Tenho também um tio que não deixa os filhos dele lavarem louça. Ele é um daqueles machões que chega a dar nojinho, sabe? Mas é aquela história: cada um escolhe a vida que quer viver.

Machismo: até quando?

abril 11, 2016 40 Comentários



Infelizmente, o mundo ainda é machista e, todas as tretas que acontecem dentro de casa, sobram pras mulheres (tanto esposas quanto filhas); já os homens, eles continuam lá, firmes e fortes, com aqueles discursos de serem os “machos” da casa. Babaquice, eu sei. 





Ao meu ver, o trabalho doméstico e todas as obrigações de uma casa (como lavar louça, roupa, pagar conta de luz, água...) têm de ser divididas com todos os integrantes. Portanto, esqueçam aquele mimimi de que quem deve lavar louça é a mulher, enquanto o marido/filho coça saco no sofá. 





Meu pai, por exemplo, cresceu numa casa onde os homens não podiam lavar uma colher, tampouco fazer comida. Segundo ele, a minha avó não educou os filhos porque serviço doméstico era coisa de mulher. Olha que absurdo! 





Graças a Deus as coisas mudaram quando a minha mãe assumiu as rédeas de casa, me ensinando a fazer comida. Ela também me colocava pra lavar louça, limpar a casa, roupa... Logo, perceba que a minha infância não foi só brincando, mas também aprendendo o quão complicado é administrar uma casa. 






Sobre o meu pai... ele teve de aprender a cozinhar, já que quando eu e a minha mãe viajávamos, ele tinha de se virar sozinho. Só pra constar: a comida dele é ótima e até agora não o vi virando mulher só porque lavou louça ou fez comida. 



Tenho também um tio que não deixa os filhos dele lavarem louça. Ele é um daqueles machões que chega a dar nojinho, sabe? Mas é aquela história: cada um escolhe a vida que quer viver.