Follow Us @soratemplates

11 de junho de 2019

Mais um dia dos namorados... sem namorado!

junho 11, 2019 1 Comentários

Cá estamos nós "celebrando" mais um dia dos namorados. Mais uma data que passará em branco, pois o amor não resolveu dar as caras por aqui. Juro que tentei ser menos exigente, dei chance às pessoas interessantes que apareceram, mas não foi dessa vez. Quem sabe mais pra frente, né?!

Às vezes, fico pensando sobre como será o meu mozão... Não idealizando-o, mas imaginando o quanto a gente será o suporte um do outro.

Será se ele vai importar comigo? Será se estará ao meu lado quando eu tiver mais uma daquelas minhas crises de ansiedade? Será se ele ficará conversando comigo até a gente pegar no sono? O fim de semana será o dia em que a gente mais vai amar, porque ficaremos juntinhos o tempo inteiro?

Será se...?

O fato é que serei 100% fiel e farei de tudo pra que eu e o meu mozão sejamos muito felizes. Caso ele queira partir, não irei implorar pra ficar, tampouco impedi-lo. Contudo, creio que o nosso amor será forte e inabalável. Nada e nem ninguém irá destruir o nosso sentimento.


As quedas que levarei até encontrar o meu amor farão com que eu seja forte o suficiente pra aguentar os julgamentos. Sei que não será fácil, porque:

1º) A família será contra a gente: O mundo está moderno, mas a mente de grande parte da sociedade não. “Dois homens juntos? Como pode acontecer isso?”, muitos dirão. Porém, serei forte o suficiente pra lidar com as críticas e levar o relacionamento adiante. 

2º) Tudo será novo: É verdade que não tenho muita experiência e o meu mozão será tão ou mais perdido do que eu. Então, porque não aprendermos, juntos, sobre as maravilhas da vida? Iremos conhecer profundamente o quão lindo o amor pode ser! <3 


Aos que tem um mozão, parabéns!!! Continuo por aqui me preparando e esperando o meu.

2 de junho de 2019

Metas para junho

junho 02, 2019 2 Comentários


Mais um ciclo começando... Espero que junho seja cheio de realizações e alegrias, porque o últimos meses têm sido um verdadeiro teste de paciência e sanidade mental. Há momentos em que chego perto de surtar! #oremos

Essa vida de adulto é muito cansativa. Queria só um spoiler dos próximos capítulos, sabe? Enquanto não tenho nenhuma luz, cá está a minha listinha de coisas que preciso realizar em junho.


1 – Voltar a malhar
Passei 2 meses sem malhar por conta dos meus cortes de gastos. Resumindo:  devido à ansiedade, “recuperei” todos os kgs que havia perdido. L

2 – Comprar 2 livros
Queria comprar toda a minha wishlist, mas vou me contentar com apenas 2 livros – e o valor total não pode passar de R$ 50. #pobrezaextrema

3 – Escrever mais capítulos do meu livro
O primeiro capítulo saiu e teve uma boa repercussão entre os meus amigos. Preciso, com urgência, dar prosseguimento à história. <3

4 – Pintar o meu quarto
Preciso dar mais vida ao meu quarto, então, quero começar pela cor do lugar onde passo boa parte do meu tempo (quando não estou no escritório, claro!).

5 – Guardar dinheiro pra não ficar sem nada no fim do mês
Mesmo devendo Deus e o mundo, quero deixar guardado 20% do meu salário pra poder ter uma graninha no fim do mês. De todas as metas, essa será a mais difícil. L

6 – Sair pra uma happy hour com os amigos
Marquei, há um mês, uma saída com duas amigas. A gente vive sem grana, então, essa happy hour tem que sair, sim, em junho. #oremos2

7 – Fazer muitos freelas para ganhar uns trocados
Costumo não pegar freelas, porque gosto de focar 100% no meu trabalho fixo. O problema é que: meu salário não dá pra pagar todas as contas, mesmo eu cortando gastos até de coisas necessárias e urgentes (tipo um shampoo top!). A solução encontrada é fazer alguns serviços por fora pra ter um extra.


Enfim... Tô sentindo que junho será um mês cheio de oportunidades e planos. Força na peruca e vamos lá! #fighting

14 de maio de 2019

Ser "normalzinho"

maio 14, 2019 2 Comentários


Hoje foi um dia doido. Não no sentido ruim! Foi apenas um dia atarefado, com alguns empecilhos no meio e, claro, eu enfiando os pés pelas mãos durante algumas situações. Às vezes, não sei o que fazer e acabo agindo por impulso... Nem sempre o bom humor é capaz de estar à meu favor, como hoje.

Ultimamente venho me sentindo perdido, sozinho... É como se fosse só eu e Deus lutando pelos meus objetivos. Aliás, quais são os meus objetivos? Não consigo enumerá-los, pois o meu foco está nas coisas urgentes e concretas, tais como como farei pra voltar do trabalho amanhã; se terei que andar mais 5km até chegar em casa; se terei grana pro lanche da tarde ou terei que comer bolacha novamente.

Sempre tive em mente que a vida de adulto não era fácil, mas agora sinto na pele os dramas da idade... De não ter terminado ainda a faculdade, de não ter um transporte, de a vida amorosa nunca andar, de ser inseguro com o corpo e a própria aparência.

É muito drama, muito problema, muito egoísmo pra uma pessoa só.

Só queria ser normalzinho, se é que existe alguém “normal” no mundo.

10 de maio de 2019

Sempre passa

maio 10, 2019 0 Comentários

Eu sou um trouxão por não saber valorizar as oportunidades que me aparecem. Porém, eu tenho uma defesa... Ou seria uma desculpa?

Timidez.

Ah, essa danada não deixa eu fazer muita coisa, pois eu vivo pensando nos “e se...” da vida.
E se o menino não gostar de mim?
E se o meu beijo não for o que ele tá procurando?
E se o meu futuro não for ele?
E se eu acabar me machucando novamente com essa paixão?

A verdade é que a todo momento eu estou procurando desculpas pros meus sentimentos. No fim, o resultado é sempre o mesmo: eu me sinto um lixo por não saber como conquistar alguém. Às vezes até conquisto, mas não sei como dar prosseguimento. 

Agora, neste exato momento, a minha vontade é de correr atrás de quem eu gosto, dizer o que sinto e tô escrevendo, porém, não tenho forças pra isso. É difícil colocar pra fora, além de existir o medo da rejeição. As experiências passadas não foram muito boas e, sério, não quero revivê-las.

As músicas tristes continuam tocando, o sentimento de vazio e solidão continua existindo... A dor por aqui é real. Mas vai passar. Sempre passa.


UPDATE:
É engraçado ler essas palavras agora... Quando escrevi, estava tão mal por gostar de alguém e não saber como chegar nela. Com medo e no impulso, corri atrás do dito cujo, mandei mensagem perguntando o que queria comigo e tive a certeza de que o meu esforço não valeria a pena.

Melhor assim...

Estou tentando pegar toda o sentimento depositado em outrem pra focá-lo 100% em mim. É aquela história: pra alguém gostar de mim, primeiro EU tenho que me bastar.

7 de maio de 2019

Seguindo...

maio 07, 2019 2 Comentários

Tá tudo tão doido por aqui. Os sonhos, os objetivos, os desejos, os medos... Tá tudo embaralhado e bagunçado. Não consigo me reconhecer nessa bagunça, mas continuo seguindo. Sem rumo, mas andando.

Eu não sei o que quero, o que busco... Me perdi em mim mesmo!

Uma hora me importo muito com as dores que insistem em dar as caras nos momentos mais difíceis; noutrora finjo que nada há. Nem ferida, nem cicatriz, nem alegria e nem tristeza. Há apenas eu e o silêncio.

Ou seria vazio o que há em mim?

Há um espaço bem grande à fim de ser ocupado na minha vida. A parcela de fé já está ok. Acho que falta algo... O amor, talvez.  O amor próprio, daqueles que vai me deixar forte e invencível; um sentimento capaz de me transportar do abismo diretamente pro alto da felicidade.

E eu sigo. Sorrindo, chorando, caindo, dançando, amando... Eu sigo! Continuo levando adiante o meu eu, mesmo que não haja tantos propósitos e realizações.

Eu sorrio pra dor, pro medo, a todos. Eu choro quando vejo minha pequenez e do quão grande o mundo é. Caio também. Muito. Contudo, o meu levantar é digno de dança e alegria... Sempre levantando a cabeça e persistindo no amor.

5 de fevereiro de 2019

Apresento-vos o Raphael!

fevereiro 05, 2019 5 Comentários
Nunca fui fã de plantas, do tipo que quer ter várias em casa e tals – minha mãe é que ama e tem uma infinidade no jardim. Eu achava o cultivo de plantas um saco... Porém, acompanhando algumas pessoas na internet, acabei resolvendo dar a chance aos cactos. 🌵

Quando estava no supermercado e vi uma promoção de cactos por apenas R$ 1.99, resolvi levar um pra casa (ou melhor: pra minha mesa de trabalho!). Em poucas horas eu já tinha até colocado um nome na plantinha. Foi assim que o Raphael surgiu na minha vida! ❤

O Raphael passou a ser meu colega de trabalho, pois ainda não tenho maturidade pra ser mãe de planta. ~Ainda~. Como passo muito tempo sozinho no escritório, quando bate uma deprê, olho pro cacto e sinto uma energia tão boa. É como se ele falasse comigo, sabe? Coisa de doido mesmo!!!
O mais legal de “cuidar” de um cacto é que ele é autodidata. A gente não precisa ficar regando toda hora, tirando do sol e colocando em meia-sombra e por aí vai. É bem tranquilo o cultivo! Creio que o processo é fácil e as chances de matar a planta são bem poucas, espero. 🙏

Aliás, tô amando tanto essa minha fase de véio que ando pesquisando formas de fazer o cacto ficar ainda mais lindo. Vocês sabiam, por exemplo, que tem como plantar (no mesmo vaso do cacto) mudas de flores pra fazer um “casamento” e elas ficarem ainda mais lindas? Pois é! 😍

Pra quem tá querendo começar a cuidar de plantinhas, fica alerta: sempre preste atenção quanto à quantidade de tempo em que a planta pode ficar sem água. No caso do Raphael, eu rego a cada 2 semanas, pois ele não tem contato com o sol e demora muito pra terra do vaso ficar seca. (Nesse artigo tem ótimas dicas pro cultivo de cactos.)

Enfim... Taí mais uma das minhas loucuras. Cuidar do Raphael tá sendo terapêutico e eu sofro antecipadamente só em pensar que há chances de eu mata-lo caso não cuide direitinho dele. Que venham os próximos capítulos dessa história!

1 de fevereiro de 2019

Retrospectiva de janeiro

fevereiro 01, 2019 2 Comentários
2019 nem começou direito e já estamos indo pro segundo mês do ano. Realmente o tempo tá passando muito rápido! 😟 Nesses poucos mais de 30 dias, muita coisa rolou por aqui... Teve mudança de casa, “adeus” à sentimentos antigos e reflexões (muitas, na verdade!).

Me lembro bem como foi a minha virada de ano. Fui dormir às 22h30 do dia 31/12/18 e acordei assustado com os fogos de artifícios; depois voltei a dormir e foi assim que dei boas-vindas à 2019. 😛

Não tô criando muitas expectativas pra 2019. Tenho vários objetivos em mente e pegarei firme neles. Por exemplo: quero fazer terapia semanalmente, continuar malhando e tentando me autocuidar. Mas tudo sem muita pressa, sabe? No meu tempo! 

Despedidas
Há um tempo estava sofrendo uma paixão. Pois é! Acabei gostando pra caramba de um carinha do trabalho... Pra piorar a coisa, eu tinha contato diário com ele, já que pegava carona pra vir à firma.

Decidi cortar contato pra lidar melhor com o sentimento. Até agora tem dado certo. Só não fiquei 100% bem porque na casa dele as coisas andam tensas. (Ele terminou um namoro e não superou ainda, o relacionamento com a família tá conturbado, tem drogas no meio... Mas ficarei longe! É melhor pra todo mundo, principalmente pra mim que lidei com um sentimento proibido, durante 5 meses, sozinho.) 💔
Mudança de casa
Meus pais resolveram mudar de casa e tudo aconteceu num prazo de 24h. À noite minha mãe propôs a mudança e no outro dia já estávamos com tudo empacotado. A nova casa é próxima à antiga, porém tem mais cômodos, um quintal lindo (e gramado!) e uma estrutura melhor. Amei e super me adaptei!

Outra coisa inusitada foi o lance da mudança. Minha mãe disse que mudaria à noite, mas não falou o horário. Assim que saí do trabalho, como de praxe, fui malhar. Quando cheguei na antiga casa não havia mais nada e nem ninguém. O povo mudou sem mim. Me senti num dos filmes da franquia “Esqueceram de mim”. 😂

Reflexões
Janeiro também foi um mês de reflexão. Passei muito tempo pensando sobre o rumo ao qual minha vida está tomando e decidi cortar algumas coisas, tais como relacionamentos abusivos. Sinceramente, to muito cansado de me doar à amizades que me sugam tempo, paciência, mas não se importam verdadeiramente comigo. Cansei demais.

Fico horas e horas ouvindo os desabafos alheio, mas a maioria das pessoas não ouvem o que sinto – e quando ouvem, não se importam com os meus problemas. Que “amizades” são essas?

No fim, os últimos 30 dias foram incríveis e rolou muito amadurecimento por aqui. Não espero nada de fevereiro. Quero apenas que os dias sejam incríveis pra mim, pra você... A todos nós!