Follow Us @soratemplates

31 de julho de 2018

De cara nova!!!

julho 31, 2018 2 Comentários
Após dois anos com o mesmo layout, cá estou eu liberando uma nova versão pro #NVCD. Essa mudança foi necessária pra me trazer um pouco mais de motivação pra continuar escrevendo no blog. Aliás, estou com tantas ideias! Mal posso esperar pra compartilhar as novidades que venho pensando, anotando e correndo atrás pra realizar! ;)

O último tema que usei foi bem colorido, é verdade. Naquela época eu queria algo semelhante a uma “explosão de cores”. Porém, busquei fazer algo totalmente diferente, apostando na simplicidade e algo mais discreto, ou como alguns preferem chamar, clean.

Sinceramente, estou muito feliz com o novo layout. Ele ficou exatamente do jeito que eu queria! Dessa vez, resolvi colocar a mão na massa e fazer tudo sozinho. Deu muito trabalho. Muito mesmo. Mas o o resultado ficou incrível! Eu jurava que iria deixar tudo de lado e, novamente, pagar alguém pra fazer. Ledo engano. 🙌

Quando eu ficava com raiva ao não saber configurar um código ou plugin, parava o que estava fazendo, respirava e ia fazer outra coisa; "magicamente” a paciência voltava e eu encontrava a solução pros bug. Então, creio que Deus me ajudou super a encontrar equilíbrio! #oremos 🙏

Além disso, enquanto trabalhava no novo layout, estava lendo o livro “Garra - o Poder da Paixão e da Perseverança”, da psicóloga Angela Duckworth. Em resumo, ela aborda a questão de que não basta apenas termos talento pra algo, mas persistirmos até conseguir. E quando não temos talento, também podemos obter bons resultados se nos esforçarmos bastante. Nem tudo baseia-se em talento, mas no quanto você se doa pra conseguir o que tanto deseja.
Enfim... O blog está de volta, de cara nova e com muita novidade. A primeira é que participarei do #BEDA (Blog Every Day in August).  Ou seja, até o dia do meu aniversário (31/08) teremos posts todos os dias. Yay! 😍

16 de julho de 2018

Perdão, eu não quero me apegar!

julho 16, 2018 0 Comentários
Tu apareceu do nada. Do nada mesmo. Eu nem estava esperando por uma nova pessoa na minha vida. Uma solicitação de amizade e um “oi, tudo bem?” foi o bastante pra me despertar o interesse em saber o que se passava na tua mente e o porquê do interesse em querer me conhecer.

O meu ascendente é em escorpião, que coincidentemente é o teu signo... Isso significa alguma coisa? Sinceramente, não sei a resposta! :(

A verdade é que não estou preparado pra me apegar a alguém. Não agora. Sinto que preciso amadurecer em alguns pontos, aceitar as condições atuais do meu corpo e criar coragem pra ter e assumir um relacionamento. O meu primeiro, aliás.

Pelo pouco que conheço de ti, creio que tu seja uma pessoa maravilhosa, além de humilde. Mas não quero ser um peso ou um empecilho no seu caminho. Passei rapidamente pela sua vida e, cara, finja que eu nem existi!



Vá trás de outro. Que te complete, te dê a atenção que tu merece... Procure alguém que esteja disposto a te fazer feliz! Infelizmente, não sou essa pessoa. Meus medos e traumas não permitem incluir alguém junto a mim. No futuro isso pode ser possível, mas agora é melhor eu ficar sozinho, colhendo as consequências da timidez e renúncias.

Tudo foi muito rápido pra dizer que eu te amei. Seria até loucura um sentimento surgir tão rapidamente. Porém, confesso que me sinto muito bem com cada “bom dia” que recebo. Isso significa muito pra mim.

Não sou acostumado a receber “carinhos” pela internet, então, muito obrigado pelo tempo em que “desperdiçou” tentando tirar daqui algum sentimento recíproco. Você é incrível e merece uma pessoa melhor! 😘

11 de julho de 2018

Como eu amava os teus beijos...

julho 11, 2018 0 Comentários
Tu aparecer na minha vida foi uma das melhores coisas. Ô, se foi! Planejar fugidinhas de madrugada, encontros aleatórios numa segunda qualquer... Toda aquela montanha-russa de sentimentos valeu e, pasme!, vale a pena. Se no meu presente eu pudesse te incluir, com certeza tu estarias no meio.

Eu amava demais os teus beijos, as tuas caricias, teus toques... Era incrível poder te sentir por completo, descobrir teus pontos frágeis, te levar ao ápice dos sentimentos mais loucos que sentíamos, quando nos beijávamos no escuro da varanda da sua casa.

Como esquecer da primeira noite em que tu dormiu na minha cama? Foi difícil resistir e me segurar para não te provar. Eu tentei e fui insistente, confesso. Mas sei a hora de parar. E eu parei.

Os amassos eram frequentes, intensos e só mostravam que havia uma conexão entre a gente. Uma ligação profunda e muito perigosa. Eu era 8 ou 80 e tu gostava de jogos. Eu odeio jogo e te detestava quando ficava se fazendo de difícil. Talvez seja por isso que resolvi te abandonar, sumir...

Sim, eu deixei tu correr pras mãos de qualquer carinha que não vai dar nem um terço da atenção que eu dei, e que tampouco vai te desejar ao ponto de te respeitar. E eu te respeitei pra caramba. Ainda respeito.

Tô olhando agora para a tua foto e te desejando muito. Mais do que antes. Tô com saudades de ouvir tua voz, sentir teu abraço e, principalmente, provar dos teus beijos. Os beijos mais doces e perturbadores que já experimentei.

Sei que não te terei de volta. É justo tu me ignorar e não correr atrás de mim. Quem errou fui eu e assumo isso. Então...

Te desejo toda a sorte do mundo e que tu sejas muito feliz. Confesso que nunca te amei, apenas te desejei e ainda desejo muito. Talvez, com o tempo o amor iria surgir e a gente seria feliz juntos. Talvez tu apareceu só pra me deixar doidinho da cabeça pra te ter colado em mim. 

10 de julho de 2018

Lembranças do ensino médio

julho 10, 2018 2 Comentários


Ontem, enquanto estava indo comprar o meu café da manhã, acabei topando com uma ex-professora do ensino médio. O nome dela é Elza e eu amava as aulas de português que ela ministrava no antigo CEM Benjamim, escola-pública-tradicional daqui de Araguaína. Bons tempos!

No momento do encontro com a professora, eu estava de mal humor. (Nem me pergunte o motivo! Tem dias em que simplesmente acordo com vontade de odiar o mundo... Eu sei, isso é ridículo e infantil!) Porém, depois de um abraço apertado e uma conversa rápida sobre como andava a vida, me animei e o meu dia passou a ter mais cor. ❤

Falar ou pensar sobre o ensino médio me traz boas lembranças, porque essa foi uma época muito linda na minha vida. Vivi momentos incríveis ao lado dos amigos, li muitos livros (a escola meio que fazia competição pra premiar os leitores do semestre!) e inventei muitas desculpas pra não participar das aulas de Educação Física, claro. :P

Como esquecer das tardes em que eu ia pra escola pra mexer no computador da biblioteca??? Pois é! Naquela época eu não tinha computador/internet em casa, daí a solução era correr pro Benjamim pra poder postar no blog, ficar no Twitter e fazer os benditos trabalhos.



Quando o meu vício por MTV/MariMoon cresceu, eu andava trocentos quilômetros (à pé!) pra ir até a banca de livros/revista. Comprava as últimas edições da Capricho, Atrevida e Febre Teen... Sinto tanta saudades daquelas loucuras! 😍

E os crushes do ensino médio? Acho que toda semana era um diferente! Até hoje lembro quem foi o primeiro: o nome dele é Billy Jhames e, nossa!, não consigo acreditar que um dia gostei daquele garoto. Ele era o mais velho da turma... Esse detalhe foi o suficiente pra eu me apaixonar, fazer os trabalhos da escola pra ele e passar as respostas dos exercícios. Eu era uma anta!

Teve disputa com as meninas-inteligentes, sim! As garotas vieram de escola particular e eram mó metidas. Elas meio que queriam intimidar todo mundo, porque faziam aulas de inglês e bla bla bla. Lembro que durante as aulas de inglês só elas participavam, porque a professora meio que esquecia o resto da turma. No 3º ano foi quase isso... Um guri queria conversar em inglês com o teacher e ficar se exibindo, só que o prof. Gil era mó humilde e cortava na hora.
Do ensino médio eu só guardo lembranças boas. Acredito que cada professor foi fundamental nas escolhas que fiz pra minha vida. Alguns são exemplos de bondade e amor, outros nem tanto. Quanta saudade eu sinto de ir todo dia pro Benjamim ver meus queridos professores e amigos. ❤

5 de julho de 2018

Músicas resumem muitos momentos da vida

julho 05, 2018 1 Comentários
Não sei como as coisas funcionam aí pra você, mas comigo a música tem um poder especial; de cura, talvez. É muito difícil eu ficar um dia inteiro sem colocar algo pra tocar no computador/celular/som de casa. Não é à toa que tenho milhões de playlists, cada uma preparada pra (quase) todos os momentos da vida: felizes, tristes, ansiosos, academia...

Músicas marcam momentos, divertem, fazem o tempo passar mais rápido... É contagiante! As batidas, sejam elas pesadas ou não, acalmam a alma e trazem luz à mente. Não é brincadeira, tá comprovado pela ciência o poder das notas musicais.



Sou musicomaníaco e não faço questão de esconder isso! Ouço de tudo um pouco, até mesmo os estilos musicais que não são os meus preferidos (olá, funk!). Acredito que toda letra musical é válida e serve como reflexão, mesmo que ela contenha palavra de baixo calão e seja considerada como “lixo sonoro”.

A música serve, dentre outras coisas, pra resumir momentos. Por exemplo:

- Quando você tá conhecendo algum contatinho, sempre tem aquela canção que te faz lembrar a pessoinha;

- Nos momentos de profunda tristeza, também tem aquela música que faz você se acalmar e pensar: “tudo vai ficar bem!”;

- Nos momentos de ódio, um rock paulera faz muito bem pra jogarmos pra fora aquilo que nos incomoda.



Todos os momentos da minha vida são marcados por uma música. Às vezes, uma canção não é o suficiente, então seleciono álbuns/artistas e por aí vai. Mas jamais deixarei de ter uma trilha sonora!

A consequência de ser musicomaníaco é que sonho demais. Tipo assim: ouço uma música e já começo a imaginar a situação descrita, o que motivou o autor a escrever aquelas palavra e tals. Coisa de doido, sabe?
O fato é que eu adoro ouvir músicas e não consigo me imaginar sem tê-las por perto. Faz parte de mim.

3 de julho de 2018

Eu não sofro mais por ti!

julho 03, 2018 0 Comentários

Foto: Pixnio


Quando te conheci, lembro de ter escrito tantas cartas, que nunca foram entregues, falando sobre os meus sentimentos (não correspondidos, vale ressaltar!). Agora que já não sinto mais nada por ti, me bateu uma vontade de escrever mais um pouco sobre tudo o que passei durante os últimos 4 anos tentando te esquecer...

Durante 4 anos te carreguei na minha mente. Sozinho. O peso foi imenso, porém válido. Se hoje não consigo me apaixonar com facilidade, a culpa é tua; se hoje não consigo me interessar por ninguém, a culpa também é tua.

Sim, sim. Desde 2014 não conseguia encontrar ninguém pra te substituir ou curar a dor que senti depois da tua partida. Só que eu percebi que a minha mente te fazia ser perfeito, quando, na verdade, tu errava horrores e me iludia. E calma aí, não tô te culpando por nada!

Você me iludiu e tem um pouquinho de culpa (já te perdoei, ok?!), mas tenho muito mais responsabilidade em tudo isso, pois deixei você continuar agindo como babaca. Eu poderia simplesmente dizer: “Cara, você tá sendo escroto! Me deixa seguir esse caminho sozinho, pois não quero continuar sofrendo por ti!”. Mas não! Preferi te incluir na lista de amores-que-vou-levar-pra-vida-inteira-mesmo-me-fazendo-sofrer. E ok por isso!

Vou carregar as boas memórias e os lindos momentos que tivemos. Foram muitas bebedeiras, conversas e... Jamais esquecerei daquele desabafo, de madrugada, sobre nossos planos pro futuro: eu ir pra Porto Alegre e tu ir trabalhar num Cruzeiro.

Confesso que fiquei um pouco assustando com a revelação de ontem. Como assim tu não quer mais trabalhar num Cruzeiro? Jurava que era o melhor caminho pra ti, já que tu terias contato com muita gente, poderia praticar o inglês e, sei lá, teria a oportunidade de dormir diariamente com uma pessoa diferente. Não é isso que tu gosta? Digo, iludir as pessoas e depois abandoná-las?

De qualquer forma, aqui vai o meu muito obrigado. Por existir, por me fazer crescer e ver que o amor é lindo, sim. Algumas pessoas que aparecem na nossa vida é que fazem esse sentimento ser meio preto, sabe?
Eu te amo. Muito. Mas aprendi a te amar e te ter longe de mim. Tudo bem por aqui e estou feliz em saber que tu também tá bem.