Follow Us @soratemplates

5 de fevereiro de 2019

Apresento-vos o Raphael!

Nunca fui fã de plantas, do tipo que quer ter várias em casa e tals – minha mãe é que ama e tem uma infinidade no jardim. Eu achava o cultivo de plantas um saco... Porém, acompanhando algumas pessoas na internet, acabei resolvendo dar a chance aos cactos. 🌵

Quando estava no supermercado e vi uma promoção de cactos por apenas R$ 1.99, resolvi levar um pra casa (ou melhor: pra minha mesa de trabalho!). Em poucas horas eu já tinha até colocado um nome na plantinha. Foi assim que o Raphael surgiu na minha vida! ❤

O Raphael passou a ser meu colega de trabalho, pois ainda não tenho maturidade pra ser mãe de planta. ~Ainda~. Como passo muito tempo sozinho no escritório, quando bate uma deprê, olho pro cacto e sinto uma energia tão boa. É como se ele falasse comigo, sabe? Coisa de doido mesmo!!!
O mais legal de “cuidar” de um cacto é que ele é autodidata. A gente não precisa ficar regando toda hora, tirando do sol e colocando em meia-sombra e por aí vai. É bem tranquilo o cultivo! Creio que o processo é fácil e as chances de matar a planta são bem poucas, espero. 🙏

Aliás, tô amando tanto essa minha fase de véio que ando pesquisando formas de fazer o cacto ficar ainda mais lindo. Vocês sabiam, por exemplo, que tem como plantar (no mesmo vaso do cacto) mudas de flores pra fazer um “casamento” e elas ficarem ainda mais lindas? Pois é! 😍

Pra quem tá querendo começar a cuidar de plantinhas, fica alerta: sempre preste atenção quanto à quantidade de tempo em que a planta pode ficar sem água. No caso do Raphael, eu rego a cada 2 semanas, pois ele não tem contato com o sol e demora muito pra terra do vaso ficar seca. (Nesse artigo tem ótimas dicas pro cultivo de cactos.)

Enfim... Taí mais uma das minhas loucuras. Cuidar do Raphael tá sendo terapêutico e eu sofro antecipadamente só em pensar que há chances de eu mata-lo caso não cuide direitinho dele. Que venham os próximos capítulos dessa história!

5 comentários:

  1. Oi Adriel,
    Que moço bonito o Raphael rs. Eu estou me aventurando na jardinagem também. Plantei bulbos de um tipo de "trevo" de quatro folhas e é bem gostoso ver a planta crescendo e como ela fica diferente a cada dia.

    Os cactos são mais simples de cuidar, mas muitas vezes a gente relaxa tanto que esquece deles e ao contrário das expectativas, mata um cacto (já vi acontecer, juro hehe).

    Raphael tem sorte que você olha pra ele sempre então num vai deixá-lo morrer de sede. :)

    Parabéns pelo novo colega.
    Beijo,
    Aline.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o nome do seu cacto!
    Quando ficamos muito tempo sozinhos é sempre bom ter um ser vivo por perto, a energia que eles transmitem é sensacional.
    Eu já tive cactos, mas matei todos.
    A única coisa que eu sei plantar e cuidar é milho. Faço graminha pros gatos e eles gostam. Não tem muito segredo, só jogar o milho na terra e molhar que ele nasce, mas minha mãe que cuida de 500 plantinhas não consegue plantar... vai entender...
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Adorei conhecer o Raphael! Eu tenho uma história, em casa sempre teve muitas plantas, mas nunca minha senão ia morrer. Até que comprei um cacto também, até personalizei o vaso. É o Godofredo kk ;)
    Ele me despertou para plantinhas e agora estou montando até uma hortinha em casa!

    Um beijo,
    Quase Mineira

    ResponderExcluir
  4. Minha mãe tem também um jardinzinho, com vários vasos de plantas e acho até admirável ela conseguir fazer tudo, haha! Eu tenho alguns cactos e só espirro água neles, até que estão crescendo bem. Mas olha, li em um site uma vez sobre negócio de más energias (obvio que só leva a sério se você acreditar), que não é bom deixar cacto dentro de casa, dizem que emitem uma energia desagradável, se quiser te mando o site depois. Só sei que é mais fácil entrar nesse hábito de cultivar plantas quando começamos com cactos, justamente por eles serem mais fáceis. A mesma coisa digo para animal de estimação, pra quem não tem costume com cachorro ou gato, pega uma calopsita que é mais leve e depois vai para os outros bichinhos <3 enfim, amei o post! Adorei conhecer o Raphael!
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem? Eu também nunca liguei para plantinhas, apesar de minha mãe ser #aloka do jardim cheio de flores, mas desde o ano passado eu comecei a comprar plantas para enfeitar a casa. Eu tinha tentado cuidar de uma folhagem que eu tinha aí no Brasil, mas acabou "morrendo" e devolvi para a minha mãe para ela tentar ressucitar — ela conseguiu. Aqui no Canadá, eu matei a minha palmeirinha que eu tinha na sala, mas ainda não sei se foi por falta de água ou água demais. O problema de morar em apartamento é que em alguns lugares não bate sol algum e daí fica difícil de deixar a plantinha mais feliz... No momento, tenho três plantas em casa (todas vivas, muito obrigada) e, há poucas semanas, eu plantei sementinhas de salsinha, pois quero montar um mini canteiro de ervas e temperinhos na minha sacada... As salsinhas já brotaram! Coisa mais lindinha... Enfim, espero que você também se acerte com o Rafael. Uma dica para controlar a água da plantinha é sempre colocar o dedo na terra antes e ver se ela está úmida... Se tiver, não precisa pôr água. Se estiver seca, sua plantinha está com sede. Hehehe! Beijocas, querido. <3

    ResponderExcluir