Resoluções de ano novo funciona? Por que fazê-las?


Eu estava procurando uma pauta para trazer aqui para o blog, quando peguei um caderninho de anotação e encontrei minhas metas para 2019 — aquelas listinhas mais conhecidas como resoluções de ano novo, sabe?

Sou o doido das listas e adoro me organizar dessa forma, porém me assustei com a relação de desejos. Não lembrava de ter feito-a e me surpreendi com o resultado alcançado até agora, faltando menos de 50 dias para o fim do ano.

Antes de falar sobre o que consegui concluir, devo confessar que acredito demais no poder das palavras. A gente pode conseguir muita coisa através da nossa fala (escrita ou verbal).


Além de acreditar que as palavras possuem poder, eu também creio que planos nem sempre (na maioria das vezes não) devem ser compartilhados com os outros.

Não importa se é pai, mãe, tia, tio, amigo, namorado... Tem planos que é melhor a gente guardar só com a gente e botar fé de que iremos realizá-los. É claro que não é só dizer que quer algo e esperar que o universo entregue de mãos beijadas.

A gente não é mais criança e sabe bem que, na vida, tudo é questão de planejar > lutar > persistir > alcançar. Sempre acreditando que as conquistas virão no momento em que o universo entender que é a hora certa.

Com a minha lista de metas para 2019, eu fui bem prático nas escolhas.

Inseri objetivos reais, palpáveis e que sabia que, com um esforcinho, daria conta de realizar. E deu certo!

Das 19 metas (sim, escolhi essa quantidade por conta do ano em que estamos), consegui concluir 10 objetivos e encaminhar os demais. Nenhum ficou parado. O mais louco de tudo é que eu havia esquecido dessas resoluções. Escrevi dia 23/12/2018 e segui em frente.

A conclusão que tirei de tudo isso é que de nada adianta listar que, por exemplo, quer um transporte se durante os 12 meses do ano você não moveu uma palha para abrir um consórcio ou juntar dinheiro para dar uma entrada.


Listar o objetivo é a coisa mais fácil, até adolescente consegue fazer. Lutar e colocar a mão na massa são as partes mais complicadas, porque no meio do caminho aparece a tal da preguiça, negatividade, medo, insegurança... Todos os sentimentos sabotadores surgem, e pessoas não determinadas acabam perdendo o foco de tudo.

É lindo começar o ano dizendo que vai parar de beber, fumar, sair para a balada toda sexta-feira, economizar nos fasts foods, compras de roupas, etc... Mas de tem de determinação. Não é só escrever e pronto. É necessário agir!

Logo, percebo que de nada adianta escrever uma resolução de ano novo imensa se você sabe que não fará nada para realizar. O máximo que vai acontecer são os mais de 300 dias passarem, você continuar acomodado e no final do ano se frustrar por continuar bebendo enlouquecidamente, fumando sem parar e não perder uma balada ou promoção de fast food ou loja de roupas (o que é ótimo, mas torra um dinheiro que poderia ser investido em outros projetos.)

Resoluções de ano novo funciona? Sim!

Por que fazê-la? Porque uma vida sem propósitos é chata, vazia... Careta!

Escreva os seus sonhos/desejos/objetivos, mas busque também correr atrás.

Nos meus propósitos, a maioria dos itens não são bens materiais, e sim mais atitudes da minha parte. Os bens materiais seriam a consequência do meu mover.

Espero que com você aconteça o mesmo que eu: você realize os sonhos e perceba que é capaz de conquistar o mundo com o seu próprio esforço.
Resoluções de ano novo funciona? Por que fazê-las? Resoluções de ano novo funciona? Por que fazê-las? Reviewed by Adriel Christian on novembro 06, 2019 Rating: 5

2 comentários:

  1. Eu sou aloka das listas! Amo fazer resoluções.
    Na terapia, trabalho essas questões relacionadas aos objetivos em curto, médio e longo prazo, então consigo juntar as 2 coisas.

    Adorei o post! Tenho certeza que vai inspirar quem quer fazer listas e não sabe bem por onde começar.

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
  2. Eu sou mega fã de traçar metas, mesmo que as prioridades mudem ao longo do caminho (porque nem sempre a gente continua igual, né?), pra dar uma limpada na cabeça preocupada em relação ao que ela precisa fazer, mesmo. Ainda que a gente esqueça o que tinha na lista, nosso inconsciente lembra!
    Mas discordo de você que tudo é questão de planejar, lutar e persistir... Oportunidade é uma coisa que ajuda muito, também, e nem todo mundo tem. Isso de meritocracia é balela num mundo tão desigual como o que vivemos, fora a onda de transtornos mentais que tá cada vez mais forte, atrapalhando não importa o quanto a gente lute!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.