Follow Us @soratemplates

28 de julho de 2014

Aprendendo inglês de forma simples

julho 28, 2014 6 Comentários
A cada dia que se passa mais a gente está se tornando dependente de outros idiomas, seja para conquistar um melhor emprego ou até mesmo para adquirir novas culturas. Porém, como sabemos, não é fácil falar outra língua além da nativa. É necessário foco e muito esforço!

Outro dia li um post no blog da Paula Buzzo com várias dicas para aprender inglês em casa. É óbvio que o indicado sempre é fazer um curso ou um intercâmbio, mas se está faltando verba em casa, a “solução” é se virar com os recursos que a ~linda~ internet dispõe.

Para ajudar o pessoal que está na batalha para aprender uma nova língua, hoje apresento a vocês um aplicativo so cute que te ajuda a estudar, e o melhor: é gratuito, minha gente! #poorfeelings


Duolingo

O Duolingo é um site que surgiu no ano de 2011 com uma proposta irreverente: ensinar de forma divertida e prática uma nova língua. Atualmente, o site oferece cursos de espanhol, francês, alemão, italiano, porém, para os brasileiros estão disponíveis apenas o espanhol e inglês.

O Duolingo começou como um site, mas logo foi sucesso e se expandiu para as telinhas dos smartphones e tablets. O app, ao qual eu estou usando, te dá frases para você completar no idioma que você está estudando. Cada lição pede no fim que você grave um áudio para o sistema verificar sua pronúncia. Tipo: se você for muito ruim, ele te fala na hora. Hahahaha.


O curso funciona como um joguinho, sabe?! Dependendo dos resultados, você pode ganhar "pontos de habilidade" ao aprender conceitos sobre uma linguagem.


Ao todo, você pode obter até 14 pontos por lição, com um ponto reduzido a cada erro cometido. Os usuários começam com quatro "corações" nas primeiras lições e com 3 nas lições posteriores. Cada vez que o usuário comete um erro, um coração é perdido. Caso você perca todos os corações durante uma lição, você terá que recomeçá-la novamente. Snif, snif! L

Vale ressaltar que o curso completo te ensina mais de 2.000 palavras (praticamente um dicionário, cara!).

E não, o aplicativo não é somente para iniciantes, pois nele contém o nível médio e avançado. (Eu já fiz curso de inglês e pratico a língua diariamente, but... Com o aplicativo eu percebi que minha escrita não é tão boa, mas o aplicativo está me ajudando bastante...).


E vocês já conheciam o Duolingo? J

21 de julho de 2014

Tchau, Facebook!

julho 21, 2014 12 Comentários


Desde 2009 eu me fazia presente na maior rede social do mundo, porém, este ano decidi dar um basta no Facebook, e viver na internet sem precisar saber de detalhes da vida de pessoas que eu quero esquecer. O motivo para eu ter saído do Facebook não foi só esse. Na verdade, foi uma série de coisas negativas que me deixava estressado constantemente. 

Não sei com vocês, mas o Facebook de um tempo para cá só me trouxe infelicidade e horas perdidas, quando eu ficava stalkeando pessoas que hoje não significam nada na minha vida. Me irrita também a forma como as pessoas usam aquela rede social: muitos querem ser "celebridades" pelo fato de terem 5 mil amigos; acreditam que aquela “vida perfeita” realmente existe.

O que falar das pessoas que passam mais tempo na frente do computador/celular curiando a vida alheia do que vivendo a própria? Aqui vai meu recado: a vida é bem mais do que isso, galera!



Só para constar: não são apenas as pessoas que me incomodam no Facebook, mas o layout também. A cada versão piora! 

Sinto muitas saudades do layout de 2011, quando aparecia uma bolinha verde no perfil da pessoa indicando que ela estava online. Fortes sentimentos envolvido... Hoje a timeline está feia, completamente poluída e informações irrelevantes. 

Facebook pergunta sobre os melhores momentos da sua vida. Se você marcar o primeiro beijo, ele pergunta o ano e tals


Uma notícia que me deixou boquiaberto foi saber que agora a rede social pergunta até quando você deu seu primeiro beijo. Para quê isso, gente? Para quê deixar exposto ali para todos detalhes tão íntimos? 

Vai chegar um momento em que você nem vai precisar conversar com a pessoa para conhecê-la, basta apenas abrir o perfil no Facebook e saber quando perdeu a virgindade, deu o primeiro beijo, se fuma, se bebe... Daí é só chegar com um papinho maroto e creu. Claro que isso não vale para todos os usuários, mais sei lá. Não vejo necessidade de tornar essas informações tão pessoais públicas. #minhaopinião 

Enfim, vivi muitos momentos bons no Facebook, conheci muita gente da minha cidade, do resto do Brasil e de fora do país por lá. Mas não rola continuar em uma rede social que a cada dia perde o sentido de existir para mim. Aos Facebookianos, aqui vai o meu abraço e o meu goodbye. 

Agora deixa eu ir ali falar “sozinho” no Twitter, porque lá sim eu sou feliz.

15 de julho de 2014

Desabafo de um jovem que usa piercing

julho 15, 2014 8 Comentários

Século XXI, tecnologia avançada, ensino gratuito a todos, porém, ainda temos que nos deparar no dia a dia com pessoas ignorantes que, infelizmente, generalizam tudo.  Por que eu digo isso?  O título do post explica muita coisa! 

Desde a adolescência eu fui “diferente” de todos os meus amigos. Enquanto eles ouviam forró, pop ou sertanejo, eu estava ouvindo Beatles, Rolling Stones e esses clássicos do rock por influência dos meus pais. É claro que eu não menosprezo nenhum estilo musical, pois se fazem sucesso, é porque há gosto para tudo no mundo!

Pois é! Próximo aos meus 20 anos de idade, finalmente criei coragem (sim, neste momento é necessário muita coragem e juízo) e fui ao estúdio da cidade fazer um piercing no lábio. Confesso que era para eu ter feito há muito tempo, mas acho que só no mês de maio a coragem apareceu.  


Fui ao estúdio, fiz o piercing, fiquei feliz por pouco tempo, pois logo surgiram os babacas (na faculdade, no trabalho, na rua...) “zombando” de mim. O foda de morar no interior é isso: as pessoas não sabem aceitar as “diferenças” e sempre têm de falar merda.

E o pior é que a maioria dessas pessoas daqui acham que quem faz um piercing é malandro, ladrão e bla bla bla. Dá enjoo até de pensar nesse povo. 

Mas eu nem ligo muito para isso, sabe?! Com o passar do tempo aprendi que melhor do que ouvir tudo, é saber filtrar o que devemos ou não escutar e levar para a vida! Isso tem me feito muito bem... 

Liguei o foda-se e agora tudo está tranquilo. Parei de ter vergonha de algumas coisas e estou, finalmente, mostrando a todos quem eu sou de verdade. Se eu tenho vontade de usar uma calça com a barra dobrada, eu uso! Foda-se quem acha feio! Se eu tenho vontade de usar a camiseta da minha banda favorita  ou de caveira, eu uso! Se eu tenho vontade de trocar a jóia do piercing por uma mais “discreta” ou “exagerada”, eu uso! Foda-se! Foda-se os outros! 

Muitos acharão o desabafo bobo, mas quem mora em cidade pequena sabe o quanto é uma desgraça conviver com gente do cérebro de rato. (Não são todos, mas a maioria do interior é bem roceiro mesmo!). 

Enfim, quando der vontade de usar algo, use! Afinal, quem está pagando é você. 

Sobre o piercing, eu e ele estamos muito bem e quem sabe não faço outro, minha primeira tattoo...