Follow Us @soratemplates

31 de dezembro de 2018

Tchau, 2018!

dezembro 31, 2018 0 Comentários
Faltam poucas horas pra 2018 acabar. Que ano foi esse??? Tenho (quase) certeza de que vivemos épocas intensas, repletas de incertezas quanto ao dia de amanhã.

No campo da política nacional havia discussões por todos os lados, enquanto a economia do Brasil continuava piorando e o desemprego aumentando. (In)Felizmente, o candidato que eu queria pra presidente não ganhou, mas cá estou eu torcendo pra que Bolsonaro me faça se arrepender de um dia ter ficado contra ele. #oremos

Vida pessoal (a minha, claro!) não teve muitos avanços. Ou permanecer encalhado durante 365 é uma conquista? Vai saber, né?! Tem gente que gosta de encontrar positividade em tudo e eu PRECISO aprender muito isso com elas! :P  
O fato é que em 2018 eu voltei a trabalhar com o que gosto, numa empresa que amo e com colegas/amigos de trabalho incríveis.   Apesar da minha oscilação de humor constante, consegui lidar muito bem com as crises de ansiedade e dar o melhor de mim profissionalmente. No campo do trabalho só há orgulho e gratidão por cada conquista alcançada!

Então...

Não irei me prolongar muito porque estou com sono e preciso dormir cedo pra fazer minha caminhada mais tarde, no primeiro dia de 2019.

Tenho muitos objetivos pro próximo ano e falarei sobre isso logo mais... Por enquanto, queria só atualizar o blog no último dia do ano e agradecer a cada ser humano desconhecido (e conhecido!) que passou por aqui. O “Não me venha com desculpas” é nosso, assim como 2019 que tá logo aí na porta querendo entrar.
Feliz ano novo, migos! Muita saúde, alegria, paz e conquistas nesse novo ciclo que se inicia! 

30 de dezembro de 2018

Você tá bem mesmo?

dezembro 30, 2018 0 Comentários

Só me diz uma coisa: você tá bem? Não quero ouvir da boca pra fora, juro. Não estou perguntando apenas por educação... Não sou assim e você deveria saber disso!

Queria que você confiasse em mim para se abrir e dizer o que se passa por aí (dentro de ti!). Imagino que a dor que carrega deve ser intensa e sufocante.

Confia em mim, por favor. Só dessa vez. Prometo que não irei contar pra ninguém sobre os seus maiores segredos. Só preciso que você confie em mim.

Eu quero te salvar, te dar forças e ser o seu suporte nesse momento tão complicado da sua vida. Porém, preciso que você seja sincero. Comigo, com a sua família, enfim, consigo mesmo. Preciso que você se olhe no espelho diariamente e reforce a ideia de que tudo ficará bem, porque, sim, mesmo de longe estarei torcendo pra que essa maré de tristeza passe rápido.

Ela foi embora, te deixou e, creio eu, chegou a hora de você se bastar e ser a pessoa mais importante da sua vida.
Eu queria ser o seu amor,  mas me contento apenas com a sua amizade. E por me preocupar com você, novamente pergunto: você tá bem mesmo?

27 de dezembro de 2018

Eu precisava escrever

dezembro 27, 2018 0 Comentários
Amores, relacionamentos imaginários, medo, tristeza profunda... Todas as vezes em que escrevi foi com o único objetivo de me esvaziar e me sentir mais tranquilo (por dentro). É um processo meio complexo pra quem não entende, mas super natural por aqui.

Se tô bem, quero escrever sobre o sentimento e propagar alegria; se me sinto extremamente triste/decepcionado, não quero que ninguém sinta o mesmo, mas me compreenda e me diga palavras acalentadoras (o que não acontece com frequência).

A escrita é o meu ponto de escape, terapia pra alma. Ao traçar essas palavras sem sentido para muitos, acabo entendendo o que tá acontecendo internamente, sabe? Deixa eu exemplificar!

Nos últimos meses estive apaixonado por uma pessoa e criei na mente todas as expectativas possíveis. Durante todos aqueles 4 meses, não consegui escrever sequer uma palavra sobre o que sentia. Travei real e não insisti no processo de escrita (café + folhinha em branco).
Após criar coragem, sentei em frente ao computador e decidi que só sairia dali depois de colocar em palavras tudo o que sentia. Foi surreal!

Agora consigo enxergar tudo perfeitamente e o quão idiota fui. Afastei de mim alguém que poderia ser um bom amigo... Não tô triste e nem vou me martirizar por isso! Aconteceu. Passado.

Vou reconstruir meu caminho e tentar encontrar, nas palavras, um conforto. Das próximas vezes tentarei fazer diferente. Digo: quando me apaixonar de novo, irei escrever TUDO o que passar na minha mente, mesmo que o texto não faça sentido algum.
Eu preciso escrever pra me reencontrar. Agora sei como reconhecer quando estiver caminhando por uma estrada não tão certa pra mim.

26 de dezembro de 2018

Eu sou um péssimo companheiro, baby!

dezembro 26, 2018 1 Comentários
Você tem certeza de que me quer? Tipo... Não tenho nada contra, até vou amar te ter ao meu lado. Mas... Você vai ter saco pra aturar as minhas paranoias?
Deixa eu te explicar umas coisas aqui, querido!
Eu sou louco!
Eu sou completamente maluco da cabeça, daquele tipinho de gente que cria histórias nada a ver, persegue as exs e fica com ódio mortal quando você atrasa 5 minutos. Quem pode atrasar sou eu, e olha que quase nunca me atraso.
Fique sabendo que eu vou esquecer de muita coisa que você disser. Não é por mal, sabe? Apenas não dou a porra de atenção necessária pras coisas que tu diz. Já sofri tanto correndo atrás de outros caras que agora tô na vibe foda-se tudo!
Sou um péssimo companheiro, cara! Não me queira perto de ti, caso contrário vai ficar tão louco (ou mais!) do que eu.
Você merece alguém melhor, já te disse (mentalmente). Não insista em me querer por perto. Vou destruir o teu coração da pior forma, pois, você sabe, eu sou uma péssima companhia.
Não vou mentir! Tô adorando te ver se rastejando por mim! Agora tenho uma noção de como eu agia com os outros caras... Eu era tão babaca! Talvez eu ainda seja, mas, agora, de um jeito totalmente diferente.
Não quero dar brecha pra um sentimento maior aparecer por aqui e, no fim, você só me iludir. Não tô te comparando com os relacionamentos passados, mas tenho meu pé atrás. Do nada, quando eu já estiver 100% iludido, tu pode acabar me deixando, daí a minha loucura vai só aumentar.
Sinta-se livre pra partir antes mesmo que eu te mande embora. Não sou pra você, cara! Não sou pra ninguém uma boa companhia. Ofereço riscos por não me importar com nada.

23 de dezembro de 2018

Não quero mais pensar em você

dezembro 23, 2018 0 Comentários
Os últimos dias foram tão reveladores. Pedi um sinal ao universo sobre sua idoneidade e assim o tive. Infelizmente, não estamos na mesma sintonia e, creio eu, jamais estaremos. Somos diferentes demais e ao mesmo tempo iguais.

Somos diferentes na forma de enxergar a vida, já os gostos... Somos iguais no passado, presente e, talvez, até no futuro. Porém, não é porque temos coisas (muitas!) em comum que devemos ficar juntos, né? Você pensa assim!

Eu faria qualquer coisa pra te ter ao meu lado, inclusive aprenderia a gostar de música latina. Aceitaria numa boa suas manias de ficar se olhando no espelho o tempo inteiro e até mesmo soltando pum no carro. Mas você não quer o mesmo que eu. Você não me quer.

Não vou dizer que tá doendo saber que você não gosta de mim, porque até agora eu tô tentando entender todos os sinais dados. Curtidas em fotos antigas, trocas de experiências, combinação de viagem a dois, troca de playlists... Tudo parecia estar indo tão bem. Só parecia mesmo.

Quando você começou a falar sobre a menina que estava ficando, não doeu na hora saber disso. Não doeu depois e eu ainda não acredito que você esteja 100% na dela e amando. Acredito que você esteja mascarando sentimentos e tá tudo bem. Tô aqui na torcida por vocês...

O que eu queria te dizer é que eu não quero mais pensar em você. Queria te tirar da minha mente, esquecer de você (ou pelo menos desse sentimento que alimento há 4 meses).

Não sei muito bem o que fazer... Não queria tomar nenhuma atitude por impulso, mas estar ao teu lado, todo dia, me destrói. Você não quer nada comigo e tudo bem, é sua escolha.  Acontece que eu preciso de um tempo e de distância pra entender e aceitar tudo isso. Você me ajuda pisando ainda mais em mim e me ignorando?

20 de dezembro de 2018

Poderia ter dado certo...

dezembro 20, 2018 0 Comentários
Poderia ter dado certo com o Anderson, mas a gente era novinho demais. Eu havia acabado de sair do ensino médio e ele estava entrado na mesma escola à qual dava adeus - e a gente acabou se conhecendo foi pela internet. O "fim" foi algo costumeiro: não nos completávamos, apesar de eu fazer esforço para que tivéssemos um relacionamento.

Poderia ter dado certo com o Alexandre, a minha primeira paixão da faculdade. Fantasiei tanta coisa ao lado dele... Até à igreja eu fui com ele! O lance foi bem engraçado, mas não queria reviver nada daquilo.

Poderia ter dado certo com o Leonardo, mas que bom que não vingou. Garoto esnobe, metido, aproveitador... Tem coisas que merecem ser deixadas lá no passado mesmo, e o Léo ficou por lá!

Poderia ter dado certo com o Michel, porém, o meu destino trabalha com livramento e esse guri foi um deles. Até hoje vive dentro de um armário (nada contra!), mas pega adolescente e iludem-nas (totalmente contra!). Não bastasse isso, sabendo da minha ingenuidade e paixão, aproveitou da pior forma possível da minha bondade.

Poderia ter dado certo com o Deividy, e que pena que não rolou. Comecei a descobrir mais sobre mim com ele. Foi justamente por causa dele que meus pais "descobriram" sobre minha orientação sexual, tudo de uma forma bem tranquila (euzinho bêbado de madrugada...).

Poderia ter dado certo com o Élcio: e deu! O cara dormiu na minha casa, mas se mostrou ser tão babaca como os outros... Next!

Poderia ter dado certo com qualquer um dos milhares de cara que conversei após dar “Match”, no Tinder. Contudo, a vida quis que tivéssemos apenas um “bom” papo e só. E eu estou bem quanto a isso. Vida que segue!

Poderia ter dado certo com o carinha que há quatros meses eu conheço e gosto bastante, mas quem mandou eu me apaixonar? Sou consciente de que nada acontecerá, mas uma parte de mim acredita que sim. Na verdade, minha mente acredita que toda ação dele próxima a mim é um sinal de que quer algo. Louco? Eu? Imagina!
O que sei é que uma hora ou outra vai dar certo, e se não der... Pelo menos não vivi uma vida inteira em vão, sem me apaixonar e tentar encontrar um amor verdadeiro.

18 de dezembro de 2018

Explorando outros ares

dezembro 18, 2018 0 Comentários
Eu sempre quis conhecer uma cidade grande. Por nunca ter saído daqui do Tocantins, acabo me imaginando numa dessas metrópoles, vivendo altas aventuras e tendo experiências incríveis. Em 2014 até tentei me mudar pra Porto Alegre, mas o plano não deu certo por “n” motivos e o meu medo de sair da casinha dos meus pais.

Agora, neste momento, estou pensando novamente em partir. Não de cidade, mas de casa mesmo. Quero muito ter o meu próprio cantinho, ter o prazer de planejar a decoração da casa e todas essas coisas que, quando chegamos em uma determinada idade, a vida nos cobra. Maturidade que fala?

Antes de chegar a ideia de que queria mudar de casa, pensei em aventurar lá pelo Sul. Dessa vez pesquisei mais sobre Santa Catarina, mais especificamente em Balneário Camboriú.

Dei uma googlada e encontrei o site de uma Imobiliária em Balneário Camboriú. O preço se mostrou ser acessível ao meu bolso. Mas, o que fazer com o medo?

Novamente, estou com muito medo. Sei que preciso sair da casa dos meus pais pra conhecer mais sobre a vida, porém, não me sinto preparado. Quando estarei preparado é o que me atormenta. Não tenho a mínima ideia sobre quando me sentirei à vontade pra explorar o mundo.

Necessito explorar outros ares e me autoconhecer melhor. São 24 anos de vivências e aprendizados. 24 anos de medo constante.

Que homem é esse, eu penso.
Que homem é esse que tem coragem de expor sentimentos na internet, mas tem medo de viver o que escreve?

11 de dezembro de 2018

A química é necessário

dezembro 11, 2018 0 Comentários
Você já conversou com alguém onde o papo fluiu tranquilamente, sem muito esforço? É como se ambas as pessoas estivessem em sintonia, querendo levar adiante aquele diálogo.

A pessoa é alegre, divertida, de boa com universo e está interessada em conhecer você de verdade. A melhor parte é que você também está interessado nela e disposto a dar uma chance ao que o destino está colocando no seu caminho.

Se algo do tipo está rolando ou já rolou, saiba que chamamos essa situação de “química perfeita”: momento em que os corações batem em sintonia e há atração de corpos. Raramente isso acontece, viu? Abrace com força toda essa situação e manda brasa!

Por aqui algo do tipo está acontecendo. Deixa eu explicar...

Conheci o moço em um desses app de pegação e após algumas mensagens trocadas, compartilhamos nossos números de telefone e temos um encontro marcado pra mais tarde. Por incrível que pareça, não estou ansioso. Tudo tranquilo por aqui.

De uns dias pra cá venho amadurecendo tanto a ideia que eu tenho de relacionamento. Não adianta muito apressar as coisas ou lutar com todas as forças por algo que não depende apenas de uma pessoa. Na verdade, uma relação amorosa é composta por duas (ou mais, vai!) pessoas, logo todos devem entrar na guerra pra que tudo dê certo, e não só uma parte. Mas eu divago...

O que queria deixar registrado é que o papo que tive foi um dos melhores em toda a minha vida, e olha que foram poucas mensagens trocadas até o momento. Sabe quando você se sente acolhido? É mais um ou menos por aí!

Vou com toda a boa vontade do mundo encontrar o menino mais tarde. Não criei expectativa, não tem borboleta no estômago e nem medo do que pode acontecer. Por aqui há uma vontade sadia em conhecer alguém pelo qual rolou a tal da química perfeita, sentimento este que há um bom tempo não dava as caras.

9 de dezembro de 2018

Não quero pessoas complicadas

dezembro 09, 2018 0 Comentários
Após vários copos de vinho tomados e meia garrafa seca, cá estou eu refletindo sobre a última paixonite. Foi uma paixão intensa demais e não sei se estou preparado para mais uma, apesar dos astrólogos dizerem constantemente que até o fim o do ano vai vingar algum relacionamento. Tomara que não!

Não quero mais pessoas complicadas no meu caminho; gente que atrasa os meus planos e são indecisas, às vezes vivendo num armário com medo de mostrar quem realmente é.

Cansei.

Canse de me apaixonar por pessoas complicadas, que me iludem e brincam com os meus sentimentos para poderem se sentir bem. Por acaso tem o nome “idiota” colado na minha testa? Só isso explica o fato de me machucarem tanto com ilusões sem fim.

Me entrego facilmente, é verdade – talvez eu seja o culpado por todas as feridas que ficam no meu coração, já que deixo as pessoas irem muito longe com as insinuações. Mas eu cansei!

Não quero mais olhar pra um corpinho bonito e ficar morrendo de amores só por isso; não quero mais sofrer pelo menino bonitinho que tá na fossa porque terminou um relacionamento e se encontra perdido. Por acaso ele não tem amigos para consolá-lo? Ah, já sei! Ele é o cara que vive no armário, fingindo ser o que não é.

Simplesmente não quero mais. Não quero ilusões, tristezas e angústias que me sufocam por completo. Não quero olhar pra fulano e imaginar a gente andando por aí, admirando a paisagem à frente e criando planos pro futuro pra quando terminarmos a faculdade.

Não, não, não.

Não vou alimentar mais esperanças de um futuro à dois só porque fulano curtiu duas fotos minhas, tocou em mim e vive se admirando no espelhando (sem a intenção de me seduzir.). Quem está carente sou eu, logo as expectativas que crio são todas culpas minha. Tenho de lidar com elas e fazer o melhor pra sair bem no fim de tudo.

A verdade é que eu não quero. Não quero mais sofrer por amores.

3 de dezembro de 2018

Eu me iludi (novamente), cara!

dezembro 03, 2018 0 Comentários
Semana passada rascunhei algumas frases bobas pra escrever mais uma cartinha que nunca será entregue. Eu precisava afogar as mágoas de alguma forma - e como não posso beber (vida fitness, sabe?!), a solução foi abrir o bloco de notas do celular e criar alguma coisa.

A vida (profissional) ficou corrida e eu desisti. Abandonei a ideia de gostar de ti e, principalmente, de escrever algo sobre a gente.

Olha que loucura! Alguns olhares trocados, “indiretas” em redes sociais e eu perdidamente apaixonado, criando expectativas de um futuro entre a gente... A carência é um troço nojento, eu sei.

O fato é que estou bem! O fim de semana me ajudou a colocar as coisas nos seus devidos lugares e, finalmente, entendi qual é a tua.

Tu queria apenas uma amizade sadia e eu um relacionamento longo/duradouro; tu queria sorrir das coisas bobas da vida e eu busco alguém pra sorrir comigo vendo os memes da internet; tu queria nada e eu queria tudo.

De certa forma, a gente estava trilhando um caminho ao qual até nos toparíamos durante o trajeto, mas a direção que seguiríamos seria oposta. E eu entendi isso.

Eu entendi que tu quer liberdade, alegria, parcerias e curtir a vida. No momento, não quero nada disso. Busco verdade, seriedade e, acima de tudo, paz de espírito. Ficar ao teu lado não me traria nada disso, e é por isso que estou me afastando.

Eu me iludi (novamente), cara! Não te culpo por isso, mas também não irei me culpar dessa vez. Aconteceu, foi bom e a vida agora está seguindo seu fluxo.