Follow Us @soratemplates

31 de dezembro de 2018

Tchau, 2018!

dezembro 31, 2018 0 Comentários
Faltam poucas horas pra 2018 acabar. Que ano foi esse??? Tenho (quase) certeza de que vivemos épocas intensas, repletas de incertezas quanto ao dia de amanhã.

No campo da política nacional havia discussões por todos os lados, enquanto a economia do Brasil continuava piorando e o desemprego aumentando. (In)Felizmente, o candidato que eu queria pra presidente não ganhou, mas cá estou eu torcendo pra que Bolsonaro me faça se arrepender de um dia ter ficado contra ele. #oremos

Vida pessoal (a minha, claro!) não teve muitos avanços. Ou permanecer encalhado durante 365 é uma conquista? Vai saber, né?! Tem gente que gosta de encontrar positividade em tudo e eu PRECISO aprender muito isso com elas! :P  
O fato é que em 2018 eu voltei a trabalhar com o que gosto, numa empresa que amo e com colegas/amigos de trabalho incríveis.   Apesar da minha oscilação de humor constante, consegui lidar muito bem com as crises de ansiedade e dar o melhor de mim profissionalmente. No campo do trabalho só há orgulho e gratidão por cada conquista alcançada!

Então...

Não irei me prolongar muito porque estou com sono e preciso dormir cedo pra fazer minha caminhada mais tarde, no primeiro dia de 2019.

Tenho muitos objetivos pro próximo ano e falarei sobre isso logo mais... Por enquanto, queria só atualizar o blog no último dia do ano e agradecer a cada ser humano desconhecido (e conhecido!) que passou por aqui. O “Não me venha com desculpas” é nosso, assim como 2019 que tá logo aí na porta querendo entrar.
Feliz ano novo, migos! Muita saúde, alegria, paz e conquistas nesse novo ciclo que se inicia! 

30 de dezembro de 2018

Você tá bem mesmo?

dezembro 30, 2018 0 Comentários

Só me diz uma coisa: você tá bem? Não quero ouvir da boca pra fora, juro. Não estou perguntando apenas por educação... Não sou assim e você deveria saber disso!

Queria que você confiasse em mim para se abrir e dizer o que se passa por aí (dentro de ti!). Imagino que a dor que carrega deve ser intensa e sufocante.

Confia em mim, por favor. Só dessa vez. Prometo que não irei contar pra ninguém sobre os seus maiores segredos. Só preciso que você confie em mim.

Eu quero te salvar, te dar forças e ser o seu suporte nesse momento tão complicado da sua vida. Porém, preciso que você seja sincero. Comigo, com a sua família, enfim, consigo mesmo. Preciso que você se olhe no espelho diariamente e reforce a ideia de que tudo ficará bem, porque, sim, mesmo de longe estarei torcendo pra que essa maré de tristeza passe rápido.

Ela foi embora, te deixou e, creio eu, chegou a hora de você se bastar e ser a pessoa mais importante da sua vida.
Eu queria ser o seu amor,  mas me contento apenas com a sua amizade. E por me preocupar com você, novamente pergunto: você tá bem mesmo?

27 de dezembro de 2018

Eu precisava escrever

dezembro 27, 2018 0 Comentários
Amores, relacionamentos imaginários, medo, tristeza profunda... Todas as vezes em que escrevi foi com o único objetivo de me esvaziar e me sentir mais tranquilo (por dentro). É um processo meio complexo pra quem não entende, mas super natural por aqui.

Se tô bem, quero escrever sobre o sentimento e propagar alegria; se me sinto extremamente triste/decepcionado, não quero que ninguém sinta o mesmo, mas me compreenda e me diga palavras acalentadoras (o que não acontece com frequência).

A escrita é o meu ponto de escape, terapia pra alma. Ao traçar essas palavras sem sentido para muitos, acabo entendendo o que tá acontecendo internamente, sabe? Deixa eu exemplificar!

Nos últimos meses estive apaixonado por uma pessoa e criei na mente todas as expectativas possíveis. Durante todos aqueles 4 meses, não consegui escrever sequer uma palavra sobre o que sentia. Travei real e não insisti no processo de escrita (café + folhinha em branco).
Após criar coragem, sentei em frente ao computador e decidi que só sairia dali depois de colocar em palavras tudo o que sentia. Foi surreal!

Agora consigo enxergar tudo perfeitamente e o quão idiota fui. Afastei de mim alguém que poderia ser um bom amigo... Não tô triste e nem vou me martirizar por isso! Aconteceu. Passado.

Vou reconstruir meu caminho e tentar encontrar, nas palavras, um conforto. Das próximas vezes tentarei fazer diferente. Digo: quando me apaixonar de novo, irei escrever TUDO o que passar na minha mente, mesmo que o texto não faça sentido algum.
Eu preciso escrever pra me reencontrar. Agora sei como reconhecer quando estiver caminhando por uma estrada não tão certa pra mim.

26 de dezembro de 2018

Eu sou um péssimo companheiro, baby!

dezembro 26, 2018 1 Comentários
Você tem certeza de que me quer? Tipo... Não tenho nada contra, até vou amar te ter ao meu lado. Mas... Você vai ter saco pra aturar as minhas paranoias?
Deixa eu te explicar umas coisas aqui, querido!
Eu sou louco!
Eu sou completamente maluco da cabeça, daquele tipinho de gente que cria histórias nada a ver, persegue as exs e fica com ódio mortal quando você atrasa 5 minutos. Quem pode atrasar sou eu, e olha que quase nunca me atraso.
Fique sabendo que eu vou esquecer de muita coisa que você disser. Não é por mal, sabe? Apenas não dou a porra de atenção necessária pras coisas que tu diz. Já sofri tanto correndo atrás de outros caras que agora tô na vibe foda-se tudo!
Sou um péssimo companheiro, cara! Não me queira perto de ti, caso contrário vai ficar tão louco (ou mais!) do que eu.
Você merece alguém melhor, já te disse (mentalmente). Não insista em me querer por perto. Vou destruir o teu coração da pior forma, pois, você sabe, eu sou uma péssima companhia.
Não vou mentir! Tô adorando te ver se rastejando por mim! Agora tenho uma noção de como eu agia com os outros caras... Eu era tão babaca! Talvez eu ainda seja, mas, agora, de um jeito totalmente diferente.
Não quero dar brecha pra um sentimento maior aparecer por aqui e, no fim, você só me iludir. Não tô te comparando com os relacionamentos passados, mas tenho meu pé atrás. Do nada, quando eu já estiver 100% iludido, tu pode acabar me deixando, daí a minha loucura vai só aumentar.
Sinta-se livre pra partir antes mesmo que eu te mande embora. Não sou pra você, cara! Não sou pra ninguém uma boa companhia. Ofereço riscos por não me importar com nada.

23 de dezembro de 2018

Não quero mais pensar em você

dezembro 23, 2018 0 Comentários
Os últimos dias foram tão reveladores. Pedi um sinal ao universo sobre sua idoneidade e assim o tive. Infelizmente, não estamos na mesma sintonia e, creio eu, jamais estaremos. Somos diferentes demais e ao mesmo tempo iguais.

Somos diferentes na forma de enxergar a vida, já os gostos... Somos iguais no passado, presente e, talvez, até no futuro. Porém, não é porque temos coisas (muitas!) em comum que devemos ficar juntos, né? Você pensa assim!

Eu faria qualquer coisa pra te ter ao meu lado, inclusive aprenderia a gostar de música latina. Aceitaria numa boa suas manias de ficar se olhando no espelho o tempo inteiro e até mesmo soltando pum no carro. Mas você não quer o mesmo que eu. Você não me quer.

Não vou dizer que tá doendo saber que você não gosta de mim, porque até agora eu tô tentando entender todos os sinais dados. Curtidas em fotos antigas, trocas de experiências, combinação de viagem a dois, troca de playlists... Tudo parecia estar indo tão bem. Só parecia mesmo.

Quando você começou a falar sobre a menina que estava ficando, não doeu na hora saber disso. Não doeu depois e eu ainda não acredito que você esteja 100% na dela e amando. Acredito que você esteja mascarando sentimentos e tá tudo bem. Tô aqui na torcida por vocês...

O que eu queria te dizer é que eu não quero mais pensar em você. Queria te tirar da minha mente, esquecer de você (ou pelo menos desse sentimento que alimento há 4 meses).

Não sei muito bem o que fazer... Não queria tomar nenhuma atitude por impulso, mas estar ao teu lado, todo dia, me destrói. Você não quer nada comigo e tudo bem, é sua escolha.  Acontece que eu preciso de um tempo e de distância pra entender e aceitar tudo isso. Você me ajuda pisando ainda mais em mim e me ignorando?

20 de dezembro de 2018

Poderia ter dado certo...

dezembro 20, 2018 0 Comentários
Poderia ter dado certo com o Anderson, mas a gente era novinho demais. Eu havia acabado de sair do ensino médio e ele estava entrado na mesma escola à qual dava adeus - e a gente acabou se conhecendo foi pela internet. O "fim" foi algo costumeiro: não nos completávamos, apesar de eu fazer esforço para que tivéssemos um relacionamento.

Poderia ter dado certo com o Alexandre, a minha primeira paixão da faculdade. Fantasiei tanta coisa ao lado dele... Até à igreja eu fui com ele! O lance foi bem engraçado, mas não queria reviver nada daquilo.

Poderia ter dado certo com o Leonardo, mas que bom que não vingou. Garoto esnobe, metido, aproveitador... Tem coisas que merecem ser deixadas lá no passado mesmo, e o Léo ficou por lá!

Poderia ter dado certo com o Michel, porém, o meu destino trabalha com livramento e esse guri foi um deles. Até hoje vive dentro de um armário (nada contra!), mas pega adolescente e iludem-nas (totalmente contra!). Não bastasse isso, sabendo da minha ingenuidade e paixão, aproveitou da pior forma possível da minha bondade.

Poderia ter dado certo com o Deividy, e que pena que não rolou. Comecei a descobrir mais sobre mim com ele. Foi justamente por causa dele que meus pais "descobriram" sobre minha orientação sexual, tudo de uma forma bem tranquila (euzinho bêbado de madrugada...).

Poderia ter dado certo com o Élcio: e deu! O cara dormiu na minha casa, mas se mostrou ser tão babaca como os outros... Next!

Poderia ter dado certo com qualquer um dos milhares de cara que conversei após dar “Match”, no Tinder. Contudo, a vida quis que tivéssemos apenas um “bom” papo e só. E eu estou bem quanto a isso. Vida que segue!

Poderia ter dado certo com o carinha que há quatros meses eu conheço e gosto bastante, mas quem mandou eu me apaixonar? Sou consciente de que nada acontecerá, mas uma parte de mim acredita que sim. Na verdade, minha mente acredita que toda ação dele próxima a mim é um sinal de que quer algo. Louco? Eu? Imagina!
O que sei é que uma hora ou outra vai dar certo, e se não der... Pelo menos não vivi uma vida inteira em vão, sem me apaixonar e tentar encontrar um amor verdadeiro.

18 de dezembro de 2018

Explorando outros ares

dezembro 18, 2018 0 Comentários
Eu sempre quis conhecer uma cidade grande. Por nunca ter saído daqui do Tocantins, acabo me imaginando numa dessas metrópoles, vivendo altas aventuras e tendo experiências incríveis. Em 2014 até tentei me mudar pra Porto Alegre, mas o plano não deu certo por “n” motivos e o meu medo de sair da casinha dos meus pais.

Agora, neste momento, estou pensando novamente em partir. Não de cidade, mas de casa mesmo. Quero muito ter o meu próprio cantinho, ter o prazer de planejar a decoração da casa e todas essas coisas que, quando chegamos em uma determinada idade, a vida nos cobra. Maturidade que fala?

Antes de chegar a ideia de que queria mudar de casa, pensei em aventurar lá pelo Sul. Dessa vez pesquisei mais sobre Santa Catarina, mais especificamente em Balneário Camboriú.

Dei uma googlada e encontrei o site de uma Imobiliária em Balneário Camboriú. O preço se mostrou ser acessível ao meu bolso. Mas, o que fazer com o medo?

Novamente, estou com muito medo. Sei que preciso sair da casa dos meus pais pra conhecer mais sobre a vida, porém, não me sinto preparado. Quando estarei preparado é o que me atormenta. Não tenho a mínima ideia sobre quando me sentirei à vontade pra explorar o mundo.

Necessito explorar outros ares e me autoconhecer melhor. São 24 anos de vivências e aprendizados. 24 anos de medo constante.

Que homem é esse, eu penso.
Que homem é esse que tem coragem de expor sentimentos na internet, mas tem medo de viver o que escreve?

11 de dezembro de 2018

A química é necessário

dezembro 11, 2018 0 Comentários
Você já conversou com alguém onde o papo fluiu tranquilamente, sem muito esforço? É como se ambas as pessoas estivessem em sintonia, querendo levar adiante aquele diálogo.

A pessoa é alegre, divertida, de boa com universo e está interessada em conhecer você de verdade. A melhor parte é que você também está interessado nela e disposto a dar uma chance ao que o destino está colocando no seu caminho.

Se algo do tipo está rolando ou já rolou, saiba que chamamos essa situação de “química perfeita”: momento em que os corações batem em sintonia e há atração de corpos. Raramente isso acontece, viu? Abrace com força toda essa situação e manda brasa!

Por aqui algo do tipo está acontecendo. Deixa eu explicar...

Conheci o moço em um desses app de pegação e após algumas mensagens trocadas, compartilhamos nossos números de telefone e temos um encontro marcado pra mais tarde. Por incrível que pareça, não estou ansioso. Tudo tranquilo por aqui.

De uns dias pra cá venho amadurecendo tanto a ideia que eu tenho de relacionamento. Não adianta muito apressar as coisas ou lutar com todas as forças por algo que não depende apenas de uma pessoa. Na verdade, uma relação amorosa é composta por duas (ou mais, vai!) pessoas, logo todos devem entrar na guerra pra que tudo dê certo, e não só uma parte. Mas eu divago...

O que queria deixar registrado é que o papo que tive foi um dos melhores em toda a minha vida, e olha que foram poucas mensagens trocadas até o momento. Sabe quando você se sente acolhido? É mais um ou menos por aí!

Vou com toda a boa vontade do mundo encontrar o menino mais tarde. Não criei expectativa, não tem borboleta no estômago e nem medo do que pode acontecer. Por aqui há uma vontade sadia em conhecer alguém pelo qual rolou a tal da química perfeita, sentimento este que há um bom tempo não dava as caras.

9 de dezembro de 2018

Não quero pessoas complicadas

dezembro 09, 2018 0 Comentários
Após vários copos de vinho tomados e meia garrafa seca, cá estou eu refletindo sobre a última paixonite. Foi uma paixão intensa demais e não sei se estou preparado para mais uma, apesar dos astrólogos dizerem constantemente que até o fim o do ano vai vingar algum relacionamento. Tomara que não!

Não quero mais pessoas complicadas no meu caminho; gente que atrasa os meus planos e são indecisas, às vezes vivendo num armário com medo de mostrar quem realmente é.

Cansei.

Canse de me apaixonar por pessoas complicadas, que me iludem e brincam com os meus sentimentos para poderem se sentir bem. Por acaso tem o nome “idiota” colado na minha testa? Só isso explica o fato de me machucarem tanto com ilusões sem fim.

Me entrego facilmente, é verdade – talvez eu seja o culpado por todas as feridas que ficam no meu coração, já que deixo as pessoas irem muito longe com as insinuações. Mas eu cansei!

Não quero mais olhar pra um corpinho bonito e ficar morrendo de amores só por isso; não quero mais sofrer pelo menino bonitinho que tá na fossa porque terminou um relacionamento e se encontra perdido. Por acaso ele não tem amigos para consolá-lo? Ah, já sei! Ele é o cara que vive no armário, fingindo ser o que não é.

Simplesmente não quero mais. Não quero ilusões, tristezas e angústias que me sufocam por completo. Não quero olhar pra fulano e imaginar a gente andando por aí, admirando a paisagem à frente e criando planos pro futuro pra quando terminarmos a faculdade.

Não, não, não.

Não vou alimentar mais esperanças de um futuro à dois só porque fulano curtiu duas fotos minhas, tocou em mim e vive se admirando no espelhando (sem a intenção de me seduzir.). Quem está carente sou eu, logo as expectativas que crio são todas culpas minha. Tenho de lidar com elas e fazer o melhor pra sair bem no fim de tudo.

A verdade é que eu não quero. Não quero mais sofrer por amores.

3 de dezembro de 2018

Eu me iludi (novamente), cara!

dezembro 03, 2018 0 Comentários
Semana passada rascunhei algumas frases bobas pra escrever mais uma cartinha que nunca será entregue. Eu precisava afogar as mágoas de alguma forma - e como não posso beber (vida fitness, sabe?!), a solução foi abrir o bloco de notas do celular e criar alguma coisa.

A vida (profissional) ficou corrida e eu desisti. Abandonei a ideia de gostar de ti e, principalmente, de escrever algo sobre a gente.

Olha que loucura! Alguns olhares trocados, “indiretas” em redes sociais e eu perdidamente apaixonado, criando expectativas de um futuro entre a gente... A carência é um troço nojento, eu sei.

O fato é que estou bem! O fim de semana me ajudou a colocar as coisas nos seus devidos lugares e, finalmente, entendi qual é a tua.

Tu queria apenas uma amizade sadia e eu um relacionamento longo/duradouro; tu queria sorrir das coisas bobas da vida e eu busco alguém pra sorrir comigo vendo os memes da internet; tu queria nada e eu queria tudo.

De certa forma, a gente estava trilhando um caminho ao qual até nos toparíamos durante o trajeto, mas a direção que seguiríamos seria oposta. E eu entendi isso.

Eu entendi que tu quer liberdade, alegria, parcerias e curtir a vida. No momento, não quero nada disso. Busco verdade, seriedade e, acima de tudo, paz de espírito. Ficar ao teu lado não me traria nada disso, e é por isso que estou me afastando.

Eu me iludi (novamente), cara! Não te culpo por isso, mas também não irei me culpar dessa vez. Aconteceu, foi bom e a vida agora está seguindo seu fluxo.

 

18 de novembro de 2018

Lembranças

novembro 18, 2018 2 Comentários
Uma perfume, uma música, uma roupa... Até mesmo uma foto é capaz de nos recordar momentos bons e ruins - e essa magia da vida é tão incrível. ❤

Às vezes, quando uma leve tristeza tenta aparecer por aqui, procuro meus arquivos e revivo memórias. Tem fotos dos dias incríveis em que passei ao lado dos amigos, textos que escrevi pra pessoa que estava conhecendo...

Olho também pras roupas antigas que foram jogadas num canto do guarda-roupa. A peça mais linda de todas é a primeira camiseta da turma da faculdade. Não sei o porquê, mas toda semana olho pra ela com um orgulho tão grande de ter encontrado pessoas/amizades tão maravilhosas.

No fim, o que alimenta o meu presente e futuro é a certeza de que já fui feliz pra caramba e continuo acumulando memórias pra mais na frente voltar atrás e me orgulhar de toda a trajetória. 🙏

30 de outubro de 2018

Te quero, porém não muito

outubro 30, 2018 0 Comentários
A possibilidade de algo acontecer entre a gente é, praticamente, inexistente. Sou consciente do que sinto e não espero que milagres aconteçam por aqui. Mas, me apeguei ao teu jeito, à tua família... Tu me conquistou!

Quando tu fica triste acabo canalizando a tua dor e sofro junto, mesmo não deixando claro o motivo das minhas caras fechadas e aquela vontade sufocante de chorar. O fato é que eu te admiro pra caramba e moveria o mundo pra te ver feliz, independente de às vezes eu te odiar por ser tão maravilhoso.

Eu não te enxergo como um cara perfeito. Não mesmo. Vejo todos os teus defeitos, mas não sei como chegar em ti e falar abertamente sobre o que penso sobre tuas ações e opiniões.

Tu vai conquistar muitas coisas, saiba disso. Porém, antes das realizações, virão muitas quedas. Tombos horríveis! Tu terá que valorizar mais quem te dá suporte, amar intensamente a tua família e, principalmente, ser fiel aos teus sentimentos.

De nada adianta um rostinho bonito, se por dentro tá tudo estragado e tu não é capaz de amar verdadeiramente. Assuma pra si mesmo que tá tudo bem fracassar, sofrer, perder... Recomeçar!

Te quero muito, porém não acho que o nosso destino se cruzará. Eu não te mereço! Somos almas diferentes, com objetivos diferentes... De qualquer forma, eu te amo e torço pelo teu bem. Sempre.

22 de outubro de 2018

Pabllo Vittar: Não Para Não [Download]

outubro 22, 2018 0 Comentários
Eis que no início de outubro, mas precisamente dia 04/10, Pabllo Vittar lançou mais um álbum de estúdio. Isso foi o suficiente pras gays e amantes da música pop começarem a pirarem. (Eu estava saindo da academia quando abri o Twitter e vi geral falando pra eu ouvir o novo trabalho da Pabllo. Imediatamente abri o Deezer e pronto: fui pra casa querendo dançar no meio da rua. :) )

“Não Para Não” (2018) é o segundo álbum da drag queen/cantora e nos traz uma evolução gigantesca desde “Vai passar mal” (2017). É uma mistura de ritmos brasileiros, sabe? Tem de tudo: forró, axé, samba, funk, balada, pop... Eu amei!!!

Abaixo, confira o meu track by track! ;)



1 – BUZINA

O álbum começa com uma vibe de “Toxic”, da Britney. Pabllo cumprimenta os ouvintes e manda brasa num pop bem viciante. A música mistura sanfona, saxofone, guitarra e trocentos outros instrumentos musicais. É impossível ficar parado!

2 – SEU CRIME

Sabe aquele forrozinho bom pra puxar alguém e sair dançando pelo salão? Essa é A música! Pra quem mora aqui pras bandas da região Norte/Nordeste, a música é bem o que a gente gosta de ouvir. Que bom que o povo lá de fora tá aceitando bem a música. Só vem, próximo single! 🙏

3 – PROBLEMA SEU

O primeiro single do álbum foi “Problema Seu”. Foi uma boa escolha, porque mostrou a versatilidade de ritmos que teríamos mais na frente. A música é super viciante, mistura axé com pop e tem uma letra bem “Foda-se você, querido! Não tenho culpa de tu se apaixonar por mim!”. ✌

4 – DISK ME

Não acho que “Disk Me” deveria ser o segundo single, mas ok. A música mostra vocais lindíssimos, onde a Pabllo explora a voz e controla os tons mais altos. Não é a minha preferida, mas não é ruim. Taí uma baladinha boa pra ouvir nos momentos de deprê!



5 – NÃO VOU DEITAR 

“Não Vou Deitar” é outra música que mostra um pouco da cultura do Norte e Nordeste. A gente vê muita sanfona no meio misturada com as batidas atuais do pop. Sinceramente, adorei essa mistura!

A música traz aquela mensagem de que a gente não deve ser curvar pra qualquer coisa/pessoa.

6 – OURO

“Ouro” abre a sequência de feats. Eu amei? Sim! Foi a primeira música que viciei, lembro até que compartilhei no Instagram! 💓 A música é uma parceria da Pabllo com sua assessora pessoal, a Urias.

Quer reggae? Pois toma!

7 – TRAGO SEU AMOR DE VOLTA

“Trago o Seu Amor de Volta” é um pagodinho maravilhoso com o Dilsinho. É impossível ficar parado! A vontade de sambar aparece assim que o refrão começa. Os vocais deles super combinaram...

8 – VAI EMBORA

Quem disse que não teríamos funk? Na verdade, “Vai Embora” é uma mistura de hip hop com funk. Ah, a Ludmilla faz o feat. junto com a Pabllo. O refrão é daqueles bem grudento. A gente para de ouvir a música e continua cantarolando. Viciante d+!



9 – NO HABLO ESPAÑOL

Muitos pensaram que “No Hablo Español” foi shade pra Anitta, mas, na real, a música não tem nada a ver. Aliás, essa foi a segunda faixa que rolou identificação logo de cara. Os vocais estão lindos e os arranjos incríveis. 💕

10 – MIRAGEM

“Miragem” fecha o álbum com uma mistura de ritmos, resumindo bem a proposta de “Não Para Não”. A gente tem pop no meio, umas batidas que lembram axé... Música maravilhosa! 💓

“Não Para Não” tem um único defeito: ele acaba – e rápido. Infelizmente, o álbum tem menos de 30 minutos de duração, mas isso é só um detalhe. As músicas são bem chicletes e ótimas pra gente dançar na balada, ouvir em casa enquanto faxina ou até mesmo colocar pra tocar enquanto malha (meu caso!). 😍

Se tu quiser fazer o download do álbum, clica aqui, ó!  

13 de outubro de 2018

Eu vacilei contigo, amor!

outubro 13, 2018 0 Comentários
É bem verdade que estamos em momentos diferentes na vida. Tu está focada no futuro, em crescer profissionalmente e ser tornar referência no ramo em que resolver atuar. No momento, estou focado em sair da faculdade e ajudar os meus pais financeiramente. Por aqui, as coisas não andam bem... Mas não irei tomar o teu tempo falando sobre as coisas lá de casa.

Apesar de eu ter vacilado contigo, se puder te falar ainda algo, quero que tu saiba que eu te amo. Pra caramba. Tu foi a mulher que eu escolhi pra me acompanhar durante toda a vida. Sei que não te mereço, mas sou muito grato pelos 6 anos de cumplicidade e amizade que tivemos.

Estou completamente perdido desde o dia em que você pediu um tempo. De verdade. O mundo meio que deixou de ter alegria, sabe? Já não gosto tanto dos fins de semana, quando eu contava as horas pra ficar ao teu lado fazendo planos e mais planos.

Dói demais saber que não poderei mais te tocar, te beijar e contar contigo pra tudo. Sei que mereço a tua partida, mas... Não há chances de uma volta? De você me perdoar e me dar mais uma chance? Te juro que faria valer a pena!

De qualquer forma, espero que tu seja forte. Sinto muito por ter te decepcionado! De nós dois, tu é quem está sofrendo mais, pois sempre demostrou que seria capaz de mover o mundo por mim, o nosso relacionamento... E eu sempre fui frio! Apesar de ser carinhoso contigo, nunca dei a atenção que você realmente merecia. Uma pena reconhecer isso só após te perder.

Nós dois vacilamos, amor. Mas quem te perdeu fui eu. Você pode me ter quando quiser, já eu... Vou continuar por aqui te vendo se aventurar por outros braços, lábios, enfim, corpos de outras pessoas que realmente irão demonstrar tudo aquilo que eu não consegui.
Eu te amo. Muito. Seja feliz, meu amor.

 

9 de outubro de 2018

O que você deve saber antes de fazer uma trilha

outubro 09, 2018 2 Comentários
Até poucos dias atrás eu nunca havia feito uma trilha. Sério! Apesar de aqui, no Tocantins, haver muitos pontos turísticos, nunca me despertou o interesse em desbravar a natureza e participar de programas “perigosos”, sabe?

Eis que no fim de setembro umas amigas me convidaram pra conhecer a trilha Morro da Velha, localizada em Aragominas, município que fica a 40 km de Araguaína. Em resumo: o local é mais conhecido pelos tocantinenses como Pé do Morro.

A anta aqui pensava que seria algo que simples, que não iria subir num morro muito alto e seria tudo tranquilo. Ledo engano! Infelizmente, não consegui subir até o topo, pois: medo demais de altura.

O começo foi bem tranquilo, de verdade. Era só andar pela trilha e ter cuidado pra não tropeçar nas pedras. Porém, chegou uma hora em que eu fui começando a olhar pra trás e ver que já não estava firme, no chão.

Pra quem tem pânico de altura, não ter os pés colados na terra é pavosoro – e comigo foi assim!

Quando percebi que a coisa tava ficando perigosa, comecei a dar chilique, sentar nas pedras e começar a orar pra Deus me colocasse no chão. Foi tenso!

 

Minhas amigas continuaram escalando com o objetivo de chegar no topo, mas eu parei num cantinho e sentei nas pedras. Todas as vezes em que olhava pra baixo, meu corpo tremia e pensava que iria cair. Pra não acabar com o programas das meninas, fiquei sentando nas pedras esperando elas voltarem do topo. Ao todo, fiquei mais 1h30 sozinho, esperando o pessoal...

A Tânia e a Elilde conseguiram chegar no topo da trilha. São umas corajosas, viu?! O mais interessante nisso tudo é que no morro há uma igreja e um morto enterrado. Isso mesmo!!!


Morro da Velha

De acordo com os moradores, havia um homem na região que era bem antigo por lá. Ele amava Aragominas, tanto é que construiu essa igreja no alto do morro! Quando ele bateu as botas, o pessoal resolveu enterrar ele ao lado da igreja. Dizem que a caveira dele tá exposta pras pessoas verem... #medo

O fato é que não consegui chegar no topo do morro, tampouco finalizar a trilha. Contudo, de uma coisa tenho certeza: eu venci meu medo de altura. Fiquei 1h30 no alto, sozinho, correndo o risco de dar um piripaque e tals. Essa experiência só me deu mais vontade de enfrentar os meus problemas de cabeça erguida, pois ficou claro que sou foda pra caralho! ;)

3 de outubro de 2018

Precisamos conversar sobre: POLÍTICA

outubro 03, 2018 2 Comentários
Nunca fui uma pessoa considerada ativista, seja no mundo LGBT+ ou na política em geral. Sempre fui neutro e guardava certas opiniões só pra mim! Acontece que chegou o momento em que decidi abrir a boca e gritar por socorro. Infelizmente, as coisas por aqui não vão nada bem...

O cenário político do Brasil nunca foi algo admirável. A eterna briga entre Esquerda x Direita tira a paciência de muita gente, inclusive a minha. Sinceramente, nunca parei pra pensar sobre qual lado eu pertenço, mas creio que tenho muita afinidade com a Esquerda (o que não quer dizer que sou 100% PT; admiro as conquistas do partido, mas não concordo com todas as suas práticas).

Contudo, nestas eleições presidenciáveis, o que vem me torrando a paciência é um cara chamado Jair Bolsonaro. Simplesmente o meu santo não bate com o desse homem. Ele é um exemplo perfeito de cidadão que não devemos ser! Porém, o mesmo tem MUITAS chances de ser o próximo presidente do país. Deus queira que não, pois seria um enorme retrocesso à nossa querida democracia.

Perfil

Bolsonaro tem cerca de 30 anos de trabalho como político. O que ele fez de relevante ao Brasil? Nada! Ele teve esse tempo todo pra mostrar competência, lutar pelos direitos sociais, mas, infelizmente, preferiu apenas ocupar um cargo e “mamar” nas tetas do governo.



Agora, como candidato a presidente do país, Bolsonaro decidiu evidenciar o seu lado extremista, destilando pra todo lado o seu veneno homofóbico, preconceituoso e machista.  O que mais me causa repulsa é ouvir certas pessoas o chamando de "mito".

Onde uma pessoa que não fez nada de importante pode ser considerado "mito"? Tem gente que precisa voltar ao ensino fundamental e estudar a história do Brasil novamente. Das duas, uma: burras ou apenas querem chamar atenção? Vai saber!

O fato é que no último sábado, 29, teve manifestação aqui na cidade e eu fui lá gritar #EleNão. O Brasil não merece e não tem de colocar no poder gente babaca e sem conhecimento algum sobre gestão pública.  Novamente repito: #EleNão, #EleNunca.

25 de setembro de 2018

Não abaixe a cabeça

setembro 25, 2018 1 Comentários
A vida anda agitada, milhares de empecilhos surgem no caminho, a gente vive reclamando dos problemas e bla bla bla. Basicamente, mais ficamos de mimimi do que enfrentamos de frente as situações difíceis. Sabe o porquê disso? É mais fácil contar derrotas no pé do ouvido de alguém do que buscar forças pra vencer a batalha. Simples assim.

Quando um relacionamento acaba por traição, por exemplo, a nossa primeira atitude é de se enfiar no quarto e se isolar do mundo. Não seria mais fácil se olhar profundamente no espelho e dizer (em tom bem alto):“Foda-se esse babaca! Sou incrível e quem tá perdendo é ele!”?

Tem também aqueles momentos de vacilo, em que a carne fraqueja e a gente se apaixona por pessoas nada a ver. A dor da paixão dói pra caramba, eu sei!  Conheço bem o lance de gostar de alguém que foi apenas “gentil”, mas na nossa mente já teve até casamento marcado.

O que tem de acontecer é a gente começar a enxergar a realidade, sem filtros. Ver o preto da cor que ele é e excluir o pink da nossa visão. Perfeito só Deus mesmo! O resto é choro, queda, luta, obscuridade e forças pra encarar a vida.



Meu amigo, a vitória não vai chegar de uma hora pra outra... Levaremos dias, meses ou anos pra nos levantarmos dos tombos diários. Só te peço pra não abaixar a cabeça e se achar um lixo.

Seja lá qual for a situação que tu esteja enfrentando (saúde, finanças, estudos, família...), apenas olhe pro céu e agradeça a Deus pela oportunidade de ter problemas e forças pra lutar. O fracasso só entra na vida daquele que cruza os braços e se acomoda!

Não se acomode e não aceite uma vida sem sentido. Procure uma luz e rumo, apenas não fique vegetando e esperando que alguém resolva a tua vida. Quem se enfiou em problema foi tu, o máximo que os outros irão fazer é te dar uma direção... A briga, a luta, o choro, a coragem e afins é tu que deverá correr atrás.
Repito: não abaixe a cabeça. Não espere o fracasso! Busque a luz, o amor, a alegria e a realização dos teus sonhos. Eu confio em ti e sei que irá longe, se realmente se empenhar nos propósitos que tu tem!

18 de setembro de 2018

Vai com calma!

setembro 18, 2018 1 Comentários
Quando a gente conhece alguém, acreditamos que agora é pra valer. Criamos tantas teorias e expectativas de que, finalmente, a felicidade aparecerá na nossa vida. Ledo engano, viu? Nada disso aconteceria se encarássemos a chegada de um novo alguém como apenas-a-chegada-de-um-novo-alguém.

A arte de ser conquistado é uma das melhores, vai por mim! Porém, a gente não espera ser conquistado; nós queremos é chegar chegando com tudo na vida da pessoa. Resultado: frustração, pois nem sempre outro está disposto a se abrir pra uma nova relação.
O que nos resta é ir com calma!

Se alguém interessante aparecer na sua vida, apenas curta o momento e se permita conhecer a pessoa; saber quais as qualidades, defeitos, o que amamos ou detestamos nela. A parte chata é que só vamos dar de cara com os “problemas” após já estar 100% morrendo de amor por alguém que, sério!, não merece nem atenção.

É necessário realizarmos um processo na hora de conhecer alguém. A gente tem que parar pra se questionar se a pessoa é ideal, se preencherá por completo o vazio que existe no nosso coração... Infelizmente, só reparamos se é bonita e pronto. Bastou beleza pra fulano ser o candidato ideal pra ficar ao nosso lado durante a vida inteira.

Eu fui/sou assim! Admiro primeiro a beleza pra depois partir pro caráter. Isso é ridículo! Estou tentando diariamente abandonar esses hábitos pra poder ter uma vida mais tranquila e me relacionar melhor com as pessoas.
Chega de admirar só beleza! O exterior de alguém não é mais importante do que o interior, bondade e gentileza. Permita-se conhecer o interior de alguém antes de reparar apenas um rostinho/corpinho bonito. ;) 

14 de setembro de 2018

Semana de reflexões e amadurecimento

setembro 14, 2018 1 Comentários
Que semana foi essa? Alguém me explica, por favor! Pensei que eu não conseguiria chegar até o fim dela, porque, nossa!, foram muitas crises por aqui. A minha autoestima foi lá no chão e não queria mais voltar. Por diversas vezes me senti um lixo de ser humano. De vez em quando esse pensamento volta, mas tô tentando exercitar as lições que aprendi no decorrer dos dias.

Nunca havia passado por nada do tipo. Sério. A minha fome simplesmente não existia. Eu não queria saber de comer, tampouco viver. A única coisa que pensava era: por que eu sou essa droga de ser humano?

Muita gente me ajudou a chegar até esta sexta-feira. Muitas mesmo. Foram inúmeras mensagens e ligações pra falar sobre meus problemas. Pra você ter noção, eu separei o número de vários psicólogos e psiquiatras, pois eu simplesmente não consiga focar em nada e estava 100% perdido.
Trabalho

O meu rendimento no trabalho foi uma droga. Não consegui finalizar muita coisa, mas fiquei muito feliz por ver que meus colegas de equipe são humanos e compreenderam a minha bagunça mental. Não cheguei a comentar sobre meus problemas, mas há uma conexão por aqui. Talvez seja por isso que nos damos tão bem e criamos projetos incríveis na firma.

Estou encerrando essa semana muito otimista. Nos próximos dias darei um passo importante pra realizar alguns objetivos... Não quero falar sobre, porque acabei de ter a ideia e ainda irei me organizar financeiramente. O que posso adiantar é que não quero mais passar por essas bad  que acabam atrasando os meus planos!

Pra terminar esse relato sem pé e cabeça, aqui vou o meu recado pra quem tá sofrendo por algo ou alguém:
Nenhuma luta deve ser menosprezada. Mesmo que tu esteja doido da cabeça, tire um tempo pra ouvir quem tá do seu lado. Saiba que tu pode ajudar pra caramba aquele outro ser que, talvez, está pirando mais do que você! 😘

7 de setembro de 2018

O flagra – Parte II (final)

setembro 07, 2018 0 Comentários
A dor que eu senti foi horrível. Decepção, nojo, coração machucado... Não desejo a ninguém passar por toda aquela situação. Me entreguei totalmente ao Cássio e só ganhei ingratidão! Foram 4 anos de ilusão e mentira! Só consigo pensar em como-ele-pode-fazer-isso-comigo? Por que me usou? Por acaso eu sou qualquer coisa ou um lixo?

Após eu bater na traseira do veículo estranho e gritar o quanto o odiava, Cássio me pegou pelo braço e me levou para a calçada. A cara de pau era tão grande que ainda tinha coragem de pedir pra eu calar boca. Oi? Eu o peguei no flagra com outro cara!

“Há quanto tempo aquilo estava acontecendo”, perguntei a ele já voltando a chorar descontroladamente.

- Se acalma, Paula! Não é nada do que tu está pensando. O Gabriel apenas queria aprender a beijar! Tá louca que eu iria te trair? Não confia em mim, cara? – Cássio soltou essa desculpa como se, magicamente, eu fosse acreditar.

Hahaha! Ensinando alguém a beijar? Aliás, quem é Gabriel? Não me contive e acabei soltando um grito bem alto.

- VAI TE FODER, CÁSSIO! Tu acha mesmo que eu caio nessa? Não, não, meu amigo! Tu é um filho da puta que não serve nem pra foder direito! – Quando eu ficava com raiva, não sabia segurar as palavras. Elas simplesmente saiam. E eu achava o Cássio um frouxo mesmo. Não só por ter me abandonado, mas por não encarar a vida de frente.

- Tudo bem se você pensa tudo isso sobre mim... Parece que os nossos 4 anos de relacionamento não significaram nada pra você! Eu sei que sou meio esquecido e não ligo muito pra data, mas eu estava lembrando, sim, do nosso aniversário de namoro. Só que... – Cássio parou de falar e encarou o chão, como se quisesse segurar as lágrimas.

Eu já não estava entendendo mais nada. Gabriel? Beijo? Traição? O que estava acontecendo ali?  Me senti uma completa idiota e um pouco envergonhada, confesso. Se realmente Cássio estivesse ensinando o rapaz a beijar, o que seria do nosso futuro? Eu simplesmente não conseguia me imaginar longe do meu namorado. Ele era o meu porto seguro, o meu tudo.

- Sinceramente, Paula, acho melhor a gente dar um tempo! Depois de hoje, não sei muito bem o que pensar sobre você e o futuro do nosso relacionamento. Ando de saco cheio do trabalho, da faculdade, do meu pai pegando no meu pé... Você era a única pessoa que sempre me compreendia e eu amava estar ao lado. Mas hoje percebi que estava enganado.

“Te desejo toda a sorte do mundo, sério. Você é uma garota incrível e merece alguém também incrível. Não acho que sou a pessoa certa pra ti. Não agora. Quero um tempo pra colocar as coisas em ordem, e acho que você vai precisar também!”, disse a pessoa que até pouco tempo atrás fazia planos comigo pro futuro.



Assim que Cássio terminou de dizer o que sentia, percebi que ele precisava de apoio emocional. Infelizmente, eu não era a pessoa certa pra ajudar naquilo.

Eu o deixei ir. Deixei ele passar pelo portão e não corri atrás. Eu não tinha força, tampouco coragem. Eu simplesmente queria sumir dali ou poder voltar atrás pra não ter feito nada daquilo.

Impossível! Já aconteceu!

Acho que perdi o Cássio pro meu medo bobo de viver sozinha. Agora, querendo ou não, terei de me virar sozinha. Terei de pagar o conserto do carro do Gabriel, dos meus pais e voltar ao psiquiatra.

Quem era o Gabriel? Apenas um amigo do trabalho do Cássio. Realmente ele queria aprender a beijar naquela noite, pois iria sair pela primeira vez com um peguete do Tinder.

5 de setembro de 2018

O flagra

setembro 05, 2018 2 Comentários
O dia estava bem propício para tomarmos uma sopinha durante o jantar. Há dias não chovia na cidade... Aquela noite seria uma ótima oportunidade para fazer o prato preferido do Cássio. Desde cedo eu vinha pesquisando algumas ideias práticas e simples, já que eu não manjava tão bem quando o assunto era culinária.

O meu intuito principal era fazer um jantar à dois e depois assistir à uma comédia romântica. Eu gostava do gênero e, bem, o Cássio fingia que também curtia. Não tinha como dar errado: comida gosta + filme bobinho = casal feliz.

Naquele terça-feira, eu e o Cássio estávamos completando 4 anos de namoro. Para muitos pode ser só mais uma data qualquer, já para mim significava muita coisa, pois em breve daríamos um grande passo no nosso relacionamento. Sim, estávamos planejando um casamento para o mais breve possível, assim que eu e ele terminássemos a faculdade.

18h em ponto o Cássio estava na frente do meu trabalho. Ele era tão lindo. O seu sorriso ganhava qualquer pessoa com facilidade. Diariamente ele me levava e buscava no trabalho. “Um príncipe”, minhas amigas diziam. E eu acreditava nisso. Me sentia orgulhosa por trabalhar numa empresa grande, ter uma família maravilhosa e um namorado que me acompanhava desde quando havia terminado o colegial.

Já dentro do carro, Cássio olhou para o retrovisor e arrumou o seu cabelo pela trigésima vez. Ele era vaidoso do tipo que usava pó compacto e batom da cor dos lábios. Sinceramente, não via nada de errado nisso. Ele ficava ainda mais lindo quando se produzia.



- Oi, amor! Como foi o seu dia? – ele me lançava essa pergunta todos os dias, antes de colocar a minha franjinha para o lado e me beijar.

A voz do Cássio não era grossa, mas também não era afeminada. Ele tinha uma voz agradável de se ouvir. Eu o amava por completo, até mesmo suas falhas. A barba dele era mal feita, mas o deixava ainda mais incrível. Em mim habitava um amor inexplicável.

- O dia foi puxado, amor, mas eu estou bem! O que você vai fazer mais tarde? – perguntei por perguntar, pois sabia que ele iria propor algo para comemorarmos o nosso aniversário de namoro.

- Na verdade, tô bem cansado! Vou pra casa tomar um banho, terminar meu TCC e depois dormir. E você? Vai pra faculdade hoje? Fiquei sabendo, no grupo da sala, que não teremos aula! – ele me respondeu friamente, como quem não lembrava da comemoração de logo mais.

Durante 4 anos de relacionamento, todas as vezes o Cássio esqueceu a data. A justificativa era de que estava sobrecarregado no estágio que fazia na empresa dos tios. Eu o compreendia! Eu também sempre andava esgotada. Mas, porque ele não esquecia da data de aniversário do seu amigo Gustavo, da data de casamento dos pais ou, indo mais longe, dos compromissos marcados com o seu personal? Era injusto isso!

Meio como quem não queria nada, disse que iria à faculdade entregar um trabalho e logo voltaria para casa também, pois estava cansada. Não falei para ele sobre o nosso aniversário de namoro, mas confesso que me bateu um desanimo.

Eu me doava 100% àquele relacionamento, porém, Cássio vacilava algumas vezes. Aniversário de namoro ele esquecia, meu aniversário ele já esqueceu uma vez... Em alguns momentos eu me sentia como um nada. Parecia que ele não me queria por perto. Contudo, quando estava na frente dos outros, ele me tratava como uma princesa, ou melhor, me usava como um troféu, como se tivesse ganho o maior prêmio da loteria.

Após ele me deixar em casa, subi pro apartamento dos meus pais e me tranquei no quarto. Chorei um pouquinho, o suficiente para deixar os meus olhos vermelhos e a maquiagem toda borrada. Fiz uma rápida oração pedindo ajuda a Deus. Não aguentava mais viver naquela insegurança. Me sentia bem ao lado de Cássio, mas em algumas vezes eu não o conhecia.

Inexplicavelmente, me bateu uma vontade incontrolável de conversar com Cássio e explicar o que se passava na minha mente. Durante as sessões com a minha terapeuta, ela dizia para eu não guardar mágoas e pensamentos ruins. O certo era me esvaziar sempre.

Peguei a chave do carro dos meus pais e fui para o estacionamento. Esqueci bolsa, carteira e celular. Quando fui perceber, já estava dentro do veículo. Eu só queria falar pro Cássio que ele era o grande amor da minha vida e que eu queria casar com ele. Eu só o queria ter para sempre na minha vida, pois já não conseguia ficar longe dele. Diariamente eu contava as horas para estar com ele.

Quando cheguei ao quarteirão da casa do Cássio, avistei um carro parado em frente à sua casa. Não reconheci a placa, mas imaginei que deveria ser de alguma amiga da irmã dele.

Estacionei logo atrás do carro desconhecido e fui andando rapidamente rumo ao interfone da casa do Cássio. Quando cheguei próximo ao veículo que eu não conhecia a placa, vi uma movimentação estranha dentro. Os vidros eram pretos, mas deu para perceber que haviam dois homens se beijando.

Uma mão se mexeu dentro do veículo. O relógio era inconfundível. Aquele era o relógio que eu havia dado para o Cássio no nosso último aniversário de namoro. Fiquei sem chão, literalmente. Saí correndo para dentro do carro dos meus pais. Me faltou ar, me faltou força, me faltou luz.

Liguei o carro, coloquei na marcha-ré e depois engatei para primeira. Acelerei o máximo que pude e bati com tudo na traseira do veículo desconhecido. A pancada foi muito forte, o suficiente para acionar os icebergs do meu carro.



Após a batida, saí do carro e fui em disparada ao veículo até então desconhecido. Respirei por 2 segundos, acho, e abri a porta ao qual estava Cássio. Ele tinha um corte no rosto. Nada muito grave. Puxei ele para fora e disse tudo o que estava preso por muito tempo dentro de mim.

- Seu filho da puta! Você poderia simplesmente ter me largado, evitando me enganar por 4 anos. Você não vale nada, Cássio! NADA! Eu te amava até alguns segundos atrás; agora eu te odeio. TE ODEIO! Some da minha vida e nunca mais apareça. Fique tranquilo! Guardarei seu segredinho...


 

3 de setembro de 2018

A gente muda, sim!

setembro 03, 2018 1 Comentários
Mudança é algo natural na vida do ser humano; diariamente ele passa por várias, da troca de clima até a oscilação do humor. Não entendo o motivo de ter medo de sair da zona de conforto e, enfim, enfrentar o desconhecido. Onde ficam os aprendizados de quando era criança? As palavras de incentivos que os nossos pais davam, enquanto torciam pra andarmos na bicicleta, sem cair!?

Mudar é bom, principalmente quando decidimos ser/ter algo novo, exclusivo. Mudar de casa, corte de cabelo, trocar de carro ou até mesmo de curso na faculdade. A mudança tem de partir da gente e com intuito único de nos trazer comodidade e alegria. Nada forçado é legal!

Quando bater vontade de morar numa casa maior/menor, vá em frente! Quando quiser testar um novo visual, não deixe de pedir a opinião de um amigo próximo e confiável - mas saiba que a decisão final é sua. Se quiser comprar um carro mais moderno, consulte suas finanças e não tenha medo de pedir um crédito maior no banco. O seu curso na faculdade é chato? Olha, ninguém está apontando uma arma para sua cabeça e te obrigando a frequentar as aulas.


Não tenha medo!


Mude sempre que puder! Por mais que amanhã você se sinta mal com alguma atitude tomada hoje, siga os seus passos e instintos. Ninguém sabe o que é melhor - e mais urgente -  pra você do que você mesmo. (Clichê? Sim, mas o que seria da vida sem os clichês?!)

O mundo tá girando diariamente, fato. O que isso significa? Todo dia ele te proporciona milhares de possibilidades. Então, não tenha medo de experimentar suas vontades. Há alguns desejos que são um pouco complicados, pois não dependem apenas da sua força vontade, e sim de condições financeiras. Mas, e aquele curso de pintura gratuito que a prefeitura da sua cidade oferece? Ok que sessões de terapias são caras, mas... Por que não um curso sobre algo que você nunca pensou em estudar e que, de quebra, é de graça? Quem quer consegue, que não quer inventa muitas desculpas!

A verdade é que o ser humano está acostumado a viver estagnado, sem coragem e interesse em progredir. Enquanto isso, as pessoas de bem com a vida já descobriram o benefício da mudança e, diariamente, estão renovando seus sonhos e conquistando coisas incríveis.

E você: até quando vai sonhar e manter esse medo de mudar (pra melhor!)?


31 de agosto de 2018

Dedos cruzados, braços abertos!

agosto 31, 2018 2 Comentários
"Fica com os dedos cruzados", a frase padrão para quando algo bom está por vir. Torce por mim, pede pra primeira estrela no céu, fico um mês sem chocolate se der tudo certo... Afinal, é sempre bom ter uma ajudinha extra, né? Um camarote vibrando em agonia, seu próprio time de líderes de torcida, com quem vai chegar o momento de sacudir os pompons da vitória no ar. Sua rede de força, física e mental, sem a qual ninguém consegue "chegar lá". Mas a boa intenção é suficiente? Será que ela, sozinha, concretiza objetivos, metas, planos e sonhos?

[caption id="attachment_9094" align="aligncenter" width="800"]Dedos cruzados, braços abertos! Imagem do Attention land[/caption]

Há quem diga que não, que "o que ninguém sabe, ninguém estraga", mas eu me recuso a acreditar nisso. Quero crer que pessoas emanam energia, e que sabendo onde buscar, são as boas energias que a gente vai encontrar. Muito ajuda e não atrapalha, mas também não resolve por si só. Essa força também tem que sair de nós mesmos, do correr atrás, do lutar loucamente pelo não desistir. Ela vem até do destino, ou quem sabe seriam oportunidades, que surgem na nossa vida... Uns dizem que é sorte, outros coincidência, mas sei lá... A palavra adequada, acho, seria "consequência".

Um trabalho que nem sempre é o dos sonhos, o amor que nunca é perfeito, comprar uma casa ou um carro ou uma bicicleta, ou mesmo "só" o livro que tá há tempos na lista de desejos. Prioridades mudam, coisas acontecem exatamente quando planejamos ou, sabe(?), surgem do nada, te saciando com o que você nem sabia que queria: no fim das contas não importa de onde o deleite veio. Mantenha os braços abertos, essa hora vai chegar, deixe um espaço para ela te abraçar, com força até tirar os pés do chão e a cabeça de órbita. Deixe abrir esse sorriso lindo!

É Ano Novo! Fogos de artifício e brindes de emoção: o ciclo está só começando. Então respira, inspira, vai!
Hello, hello, pessoal, eu sou a Luly, do Sweet Luly, e esse post é meu presente de aniversário e Blog Day pro Adriel, esse blogueiro tão querido que mora no meu coração! Para escrevê-lo usei como inspiração a proposta #318 (afinal, é 31/08) do Creative Writing Prompts um site cheio de ideias legais para desenvolver sua escrita criativa... Acabou casando DIREITINHO com a mensagem que queria passar, então aí está. Parabéns, Adriel!

30 de agosto de 2018

Retrospectiva do BEDA

agosto 30, 2018 0 Comentários
Wow! Cá estou eu escrevendo o último post do BEDA (Blog Every Day in August). Lembro perfeitamente do primeiro dia, quando estava produzindo as primeiras pautas. Passou muito rápido!

Esta é a primeira vez que participo pra valer do BEDA. Nas outras vezes eu até tentava, mas desanimava do meio pro fim. Houve alguns momentos em que me bateu desanimo e eu deixei pra postar faltando poucos minutos pro dia acabar. Também fiz alguns vários posts com data retroativa. Mas o importante é não desistir, não é mesmo?

Como eu já não disponho de inspiração e coragem pra pensar em mais pautas, resolvi encerrar o BEDA no dia 30, pois amanhã é o meu aniversário e eu tenho outras coisas em mente pra soltar aqui no blog. ;)

Abaixo, confira a lista dos 30 posts que escrevi neste mês de agosto.



01/08: Revendo seriados antigos

02/08: Analisando looks: Rick Negreiros, blogueiro e estudante de Publicidade

03/08: Resenha: “Quinze dias”, de Vitor Martins

04/08: Carta para um grande amor antigo

05/08: Coisas para fazer num fim de semana ~tedioso~

06/08: 24 metas aleatórias

07/08: Pautas para o BEDA

08/08: Falando sobre Marketing Digital: O que faz um social media?

09/08: Amor platônico

10/08: Wishlist de aniversário

11/08: Eu sou um pássaro, querido

12/08: Fim de semana na roça

13/08: Sem post

14/08: Pensamento do dia

15/08: To myself

16/08: As minhas deprê parecem não ter fim

17/08: O curso de Direito é bom?

18/08: Ele vai ser exposto, sim!

19/08: Talvez eu esteja louco… 

20/08: “Para todos os garotos que já amei” é bom?

21/08: Conexão mental

22/08: Na radiola: Allie X

23/08: Só por interesse eu não quero! 

24/08: Bodas de ouro dos meus avós

25/08: Várias opções e uma só resposta

26/08: UNINSPIRED 

27/08: Você precisa conhecer o drama japonês “Switched”

28/08: Parabéns, @fernandan! 

29/08: follow your dreams

30/08: Retrospectiva do BEDA 
Enfim... Acho que é isso! Agradeço a todos pelas visitas e comentários! 💗

29 de agosto de 2018

follow your dreams

agosto 29, 2018 1 Comentários
i don’t know when i decided that i would be a writer. i just started to write, to read a lot of books and thought about situations that i would put on words. i simply love to write and imagine things that exist only on my mind. it’s incredible, maybe a talent, right?

i dream too much. serious! anything makes me excited and give me the power to write cool texts. my blog, for example, is my favorite space. here, i share my feelings, fears and dreams, of course.

i don’t think that i’m a good writer, but i feel so proud of myself when others folks say that loved my texts. i’m insecure, you know? to hear positive things about something that i did, makes me happy and give me more energy to continue writing.

sincerely, i don’t have many dreams. i wanna publish a book, continue writing on my blog, finished college and… share the love wherever i go!

and by the way, i love so much the support that teacher sharon is giving me. i always wanted to talk in english. now, i wanna write in english too. i loved the experience to take a time to type these words.

finally… here’s be my first text in english! there aren’t 30 lines, but it’s already something! :p

28 de agosto de 2018

Parabéns, @fernandan!

agosto 28, 2018 0 Comentários
Há muito tempo 28 de agosto deixou de ser apenas um dia que antecede o meu aniversário. Desde quando conheci a Fernanda, do blog Confabulando, essa data passou a ter um significado especial, como se todo ano eu fosse celebrar a formatura na faculdade. Muito empolgante e maravilhoso desejar amor e sucesso pra Fê!

A Fernanda não sabe, mas ela é uma referência pra mim. De ser humano, de profissional, da forma como conduzir a vida e afins - e olha que não nos conhecemos pessoalmente. Muitas vezes eu paro algumas coisas e penso: “Como a Fê faria nessa situação?”. Não é falta de identidade própria, longe disso. Eu apenas gosto de me espelhar em alguém que propaga o bem e jamais teria coragem de maltratar uma formiga.



Pra quem não conhece, a Fê é da paz e do amor. Virginiana incorrigível, ela é daquelas que, sempre que pode, se entrega ao amor, mesmo sabendo das chances de sair machucada. E a grande verdade é que sempre saímos machucados. Não é que não temos sorte pro amor; apenas nos doamos demais ao relacionamento e nem todos dispõem de coragem pra isso.

Hoje, 28 de agosto, a Fê completa mais um ano de vida e eu não poderia estar mais feliz por ela. Atualmente, ela estuda e trabalha no Canadá... Com a cara e coragem ela resolveu largar tudo no Brasil pra correr atrás dos seus sonhos. Alguém consegue ter dúvidas do sucesso promissor de uma menina-mulher que se lança a viver num outro país, sozinha, sem família e amigos? Eu não! 💙

Fê, infelizmente não posso estar aí no Canadá pra te abraçar e desejar meus parabéns pessoalmente, mas espero que esse post te faça se sentir ainda mais especial, pois é isso que você é: muito incrível. Torço sempre pelo o teu sucesso e acredito que logo, logo o teu primeiro livro será lançado e será best seller no mundo inteiro. Amém?!
Feliz aniversário! Muita paz, saúde, amor e alegria na tua vida... O resto tu tem energia de sobra pra correr atrás! 🎉🎂

27 de agosto de 2018

Você precisa conhecer o drama japonês “Switched”

agosto 27, 2018 1 Comentários
A minha amiga, a Ana, me viciou na cultura coreana! Eu não sou fissurado por k-pop, mas quando se trata das produções pra tv, tipo filme/dorama, eu surto MUITO. 😍 Simplesmente esqueço do mundo real e foco totalmente na história dos meus OTP’s. A última vez que em pirei na batatinha foi vendo “Playfull Kiss”, inclusive saudades de ver o oppa Kim Hyun-joong nas telonas.

Eis que nesse fim de semana tive uma “recaída” e acabei voltando a surtar com as produções asiáticas. Juro que não queria (!), mas meio que a Netflix escancarou “Switched” na minha frente.

Á propósito, “Switched” não se trata de uma produção coreana, e sim japonesa. Liguei o foda-se pra esse detalhe e até agora tô apaixonado pelo Kaga. Ele é o oppa mais lindo e maravilhoso desse mundo! ♥



"Switched” é um drama que aborda temas atuais e pesados, tais como bullying e autoaceitação. Os personagens principais são:

- Ayumi (a mina da direita!): linda, popular e apaixonada por Koshiro.

- Umine (a mina do lado esquerdo): ela tem a autoestima baixa, depressão e sente um lixo na escola. Ela também é apaixonada por Koshiro.

- Koshiro: popular na escola e amor de infância de Ayumi e Umine.

- Kaga: deuso maravilhoso, engraçado e muito marido-dos-meus-sonhos. (Ele é o que tá na primeira foto).

Em resumo, esses quatro acabam trocando de corpos milhares de vezes. Tudo começou quando Umine que ter a vida/corpo de Ayumi. Fazendo umas macumbaiada doida ela acabou conseguindo. O problema é que: do que adianta você tem um corpo perfeito se o seu interior está completamente machucado?

Umine sofre muito. Ayumi também sofre por estar num corpo que jamais pensou em ter. Com cenas tristes e bem impactantes, vemos a fraqueza de cada personagem, descobrindo que basta apenas uma pessoa pra salvar a gente da depressão. Não é necessário muita gente, apenas o apoio de quem mais amamos.



Confesso que chorei muitas vezes quando ouvia as ~lindas~ palavras do Kaga à Ayumi. Teve uma hora em que ele disse:
"Não precisa voltar ao normal. Não importa sua aparência. Não tem que sorrir todo dia, ou ser forte ou não estar depressiva. Eu, sozinho, vou te amar no lugar de todos. Eu te amo, Ayumi!"  😢

Ayumi, cansada de todos chamarem ela de verme/lixo, soltou umas palavras muito tapão-na-cara-de-gente-preconceituosa:
"Antes de fazerem chacota de mim, de rirem de mim, de me odiarem, quero que saibam mais sobre mim. Apenas tentem tentem tocar minhas bochechas [para verem o quão lindas e macias são]!".  😍



Eu simplesmente não tenho palavras para descrever o quão lindo foi o meu fim de semana vendo este drama. Capaz de eu revê-lo qualquer hora só pra aprender a me amar e valorizar um pouco. Eu deposito expectativa demais nas opiniões alheias, sabe? Isso não é legal! A gente tem que se amar primeiro pra depois esperar/querer amor do próximo! Demorou muito, mas a Umine aprendeu a lição. Uma pena que teve que sofrer muito pra isso.
Fica aí a dica desse drama maravilhoso. Se assistir, me conte o que contou, belê? <3

 

25 de agosto de 2018

Várias opções e uma só resposta

agosto 25, 2018 1 Comentários
E se nós deixássemos de lado qualquer sentimento ruim?

E se a gente ignorasse as quedas diárias que a vida nos dá?

E se eu não mais chorasse sempre quando você vai embora?

E se eu e você formássemos dois corpos em um?

E se a saudade não doesse?

E se eu suportasse qualquer dor só pra te ver feliz?

E se você começasse a amar meus defeitos?

E se eu dançasse a valsa da felicidade ao seu lado?

E se eu não me importasse mais com os seus erros?

E se eu te chamasse de linda?

E se eu não mais lamentasse a sua ausência?

E se você me perdoasse por ser tão ingênuo?

E se você voltasse para mim?

E se você estivesse ao meu lado…

 

Com certeza o mundo teria cor,

A brisa voltaria a ser linda

E o único brilho que eu voltaria a enxergar seria o do teu olhar.

Na dor, na alegria, na saudade, perto, longe…

Não importa como,

Tampouco o porquê, para sempre eu irei te amar.

24 de agosto de 2018

Bodas de ouro dos meus avós

agosto 24, 2018 1 Comentários
Nessa sexta-feira, 24, meus avós completaram 50 anos de casados, logo a família inteira se reunião para comemorar as bodas de ouro. Há muito tempo a gente não fazia um encontro desses, sabe? Ao todo, umas 25 pessoas vieram pra um jantar aqui na minha casa. 😍

Desde quando me entendo por gente, meus avós são referência de casal. Eles lutaram e ainda lutam muito pra criar os 8 filhos. Fico aqui pensando... Se pra criar um único filho nos tempos de hoje é difícil, imagina 8?! Tem que ter bastante coragem!

Um fato engraçado na história deles é que o namoro começou por carta. Sério. Deixa eu resumir: minha avó não conhecia o meu avô pessoalmente e nem ele a conhecia. Eles ficaram por um certo período trocando cartas, até que o meu avô marcou de conhecê-la e nessa mesma época eles se casaram.



A história de dona Rosa começou no sertão no Piauí. Outro dia conversando com ela, a vó disse que queria sair de casa logo, ser independente e tals. A única “solução” era se casar. Disseram pra ela que havia um homem chamado José que tava caçando uma esposa... Desde então as cartas começaram a serem trocadas com bastante frequência (tipo: eles ficavam o mês inteiro esperando a carta ser entregue... Haja paciência!).

Após o casamento, eles decidiram vir pra região Norte, mais especificamente o Tocantins. Quando eles chegaram aqui em Araguaína, não havia progresso, asfalto nas ruas... Era um povoado ainda pequeno! Mais de 40 anos se passou... Meus avós viram a minha cidade natal crescer de 10 mil habitantes pra quase 200 mil pessoas.

Sinceramente, amo os meus avós e quero que eles vivam ainda muitos anos. Estou estudando e trabalhando pra dar uma vida melhor a eles, pois se tem pessoas que merecem ganhar o mundo, são dona Rosa e seu Zé Maria. 😍


23 de agosto de 2018

Só por interesse eu não quero!

agosto 23, 2018 0 Comentários
Vivo reclamando às minhas amigas sobre o amor. Sempre que posso estou dizendo que não tenho sorte, tampouco sei lidar com esse sentimento. E é verdade! Todas as pessoas que surgem no meu caminho só pioram o meu estado mental, nunca colaboram ou me trazem alegria. :(

Todos os caras por quem nutri uma paixão, sem exceção, nunca gostaram do eu que habita dentro de mim. Alguns rolos só existiram na minha mente, óbvio, mas os que se “concretizaram” também não rolou algo real, sentimento verdadeiro.

Em resumo, os fulanos não gostavam da minha pessoa, e sim do que eu poderia oferecer a eles – e não os culpo por isso. Talvez, eu tenho um pouco de culpa por demonstrar ter/ser algo eu não tenho/sou.

Até hoje os homens nunca chegam pra ficar com o Adriel. Eles aparecem porque querem ter contato com meus amigos “influentes”, querem cortesias em festas ou até mesmo desejam sair pra balada e ter algum idiota (eu) bancando as farras. É triste escrever isso e perceber que só perdi tempo ao lado dessas pessoas, mas evolução é isso: aceitar os erros e lutar para transformá-los.



Teve um caso, lá em 2015, onde um menino apareceu, me enganou e quando eu já estava na dele, o pé na minha bunda foi certeiro. Depois de analisar as circunstâncias, percebi que ele queria apenas um idiota preenchendo o seu ego vazio. Acredito que foi a partir daquele momento que acordei pra realidade e decidi que se for por interesse, não quero um relacionamento assim.

Quero alguém que me complete e compartilhe comigo não só os seus momentos bons, mas que divida as dores também; alguém que se sinta confortável pra chorar nos meus ombros e sorrir como idiota por coisas bobas.

Cansei de procurar por novas pessoas quando percebi que o alguém que busco está mais longe do que imagino. Provavelmente não está na minha cidade – talvez em outro país, sei lá. E estou bem quanto a isso. ✌

O destino sabe o que é melhor pra gente e eu costumo agradecer muito quando alguém some do meu caminho. Às vezes, é melhor só aceitar e não questionar muito. No futuro a gente sempre entende o porquê de fulano ter sumido pra bem longe da gente. Há males que vêm pro bem, meu amigo. 😘

22 de agosto de 2018

Na radiola: Allie X

agosto 22, 2018 0 Comentários
Já faz um tempinho que eu conheço a Allie X. Não tenho a mínima noção de como ela surgiu na minha vida, mas de uma coisa tenho certeza: ela é uma artista incrível. Não irei chamá-la apenas de cantora, porque no currículo dessa musa há tanta coisa... Compositora, atriz, ícone fashion, produtora musical e etc. 

A Allie ficou “famosa” depois que a Katy Perry tuitou que estava muito viciada na música “Catch”. Bastou um tweet pra geral começar a declarar amor por Allie. E o sucesso foi muito merecido, viu? A música é muito linda, tem uns batidas dark e tals. 😍

Aos desinformados, “Allie X” é o nome artístico de Alexandra Ashley Hughes. A cantora nasceu em Ontario, no Canadá, e tem 35 anos.


Origem do nome


A Allie tem uma explicação muito foda pro uso do “X” em seu nome artístico:

“Através da história, X’s tem tido muitos significados culturais, matemáticos e simbólicos. Para mim, X representa anonimidade. A habilidade de deixar o prato limpo. Quando uma pessoa qualquer coloca o X como seu nome, significa que podem ser qualquer um, e eu gosto desta ideia. Quando adotei o X para o meu próprio nome, me deu a liberdade de apagar o passado e ser quem quer que eu quisesse ser.”

80’s vibe  


Se você gosta de músicas atuais com referência às canções do passado, as produções da Allie têm essa vibe e eu super indico. Não só as músicas, claro. Os clipes sempre têm um visual meio obscuro. É muito bom ouvir uma música boa com um clipe sem grandes produções, porém ótimo!  Ah, Allie já compôs música pra um bocado de artista, tipo o Troye Sivan.

Outra coisa que amo são as rodadas que Allie dá nos lyrics vídeos. Fico um pouquinho tonto? Sim, porém amo! 💗


Há mais de 2 anos seguindo os passos da Allie, ainda não consegui eleger minha música favorita. Simplesmente AMO todas as músicas do Collxtion I e Collxtion II. ❤

21 de agosto de 2018

Conexão mental

agosto 21, 2018 2 Comentários
Passei o fim de semana inteiro tendo pensamentos recorrentes a ti. Sei que é um erro insistir em algo que não irá pra frente, mas que culpa eu tenho? Sou inocente dessa vez, juro! Prometo que tentarei não mais pensar em ti. Isso não é saudável pra mim, nem pra ti, tampouco pra nossa “amizade”.

Queria um dia ter um papo cara a cara contigo, sem sentir vergonha de te encarar. Queria poder olhar nos teus olhos e saber o que se passa na tua mente. Tenho até algumas possibilidades em mente...

Acho que boa parte do tempo tu deve pensar em festa, farras na faculdade, na tua namorada e em como me dar um perdido. Fique tranquilo que não demorará muito tempo pra que esse último desejo se realize, viu? Não quero ser um incômodo ou um peso (literalmente) na tua vida!

Não, não. Não precisa me encarar como se quisesse que eu sumisse da tua frente. Dói demais ser massacrado pelo teu olhar – uns dos olhares que mais me faz bem ao acordar ou após sair do trabalho. Te juro que facilitarei as coisas pra ti agora...

Quando tu me toca sem querer, mil pensamentos surgem na minha mente. Esse é um erro tão grande... Tua namorada não merece, tu não merece! Fique tranquilo que já estou tomando algumas providencias: umas delas será me afastar. Não quero e não vou alimentar essa paixão sozinho.

A nossa conexão mental não funciona, cara. Tu curte outras coisas e deseja outras pessoas. Te respeitarei e sumirei! Fique tranquilo, pois isso será melhor pra nós dois. Não tenho nada pra acrescentar na tua vida, apenas o necessário pra destruí-la.

Fique bem aí! Sorte e sucesso!
P.S.: Eu amei conhecer a sua mãe! Ela é incrível e deve se sentir muito feliz por ter um filho como você!

20 de agosto de 2018

"Para todos os garotos que já amei" é bom?

agosto 20, 2018 2 Comentários
A Netflix é a ~queridinha do momento~ quando o assunto é clichê-adolescente-mara-da-vida. Quem gosta desse gênero, seja lá filme ou série, tem um catálogo imenso à disposição. Aos que não gostam, meus pêsames! 😔

Recentemente a Netflix lançou mais um filme com uma temática teen – e não foi qualquer produção. Trata-se da adaptação da série de livros “Para todos os garotos que já amei”, romance escrito pela Jenny Han.

(Antes de contar sobre o que achei do filme, deixa eu revelar uma coisa: essa história poderia ser a minha, tirando o fato de que comigo não houve final feliz.) 😔

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2018/08/para-todos-os-garotos-que-j%C3%A1-amei-filme-02.jpg

Em “Para todos os garotos que já amei”, conhecemos diversos personagens, dentre eles a Lara Jean: guria de 16 anos que, desde criança, escreve carta às pessoas que ela se apaixona. Ao todo, foram 05 cartas escritas aos boys. Se eles dessem um pouquinho mais de atenção, seria o suficiente pra ela imaginar um casamento, três filhos e uma casa no meio das colinas. #aloka

Exageros à parte, a Lara Jean representa um pouquinho de cada um de nós durante o ensino médio. Pode confessar! Você já se apaixonou, pensou em se declarar e, talvez, até escreveu bilhetinhos fofos pra algum boy, belê? Se você não fez nada disso, mesmo assim você é uma Lara Jean da vida, que sofreu calada, sozinha e deixou passar mil oportunidades de agarrar algum macho.

Graçadels alguém resolveu tomar uma atitude e “acordar” a Lara Jean desses sonhos de ficar escrevendo cartas que nunca seriam entregues. A irmã mais nova, a Kitty, pegou as cartas e as enviou a todos os destinatários. O problema é que uma das cartas foi entregue ao Josh, namorado da irmã mais velha da L.J., carinha pelo qual ela tinha uma queda desde sempre.

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2018/08/para-todos-os-garotos-que-j%C3%A1-amei-filme.jpg

Aqui vai a minha defesa a favor de Lara Jean!


Tudo bem se apaixonar por alguém mais novo/velho; tudo bem se apaixonar pelo cara mais gato/feio da sua turminha de amigos; tudo bem se apaixonar pelo namorado da sua irmã... Eu me apaixonei pelo meu colega-de-trabalho-comprometido!

É aceitável gostar mais do que o normal de alguém que esteja comprometido... Feio mesmo é fazer algo que machuque a pessoa ou acabe com o relacionamento dela!

Se Lara Jean foi uma má pessoa ou não, só assistindo ao filme pra saber qual boy ela pegará e quais barracos acontecerão. Mais um detalhe: o filme é fofo e tem uma trilha sonora muito boa!  😍

19 de agosto de 2018

Talvez eu esteja louco...

agosto 19, 2018 3 Comentários

Ouvindo "Breath Low", da Alesha Dixon


Faltam poucos minutos pro fim do expediente! Tenho muita coisa pra fazer... Muitas do tipo muitas mesmo! Relatório mensal, atualização de banco de dados, monitoramento das redes sociais... A lista é imensa e eu não estou nada preocupado. E não estar preocupado faz eu ficar preocupado! :P

Mas eu não quero escrever sobre isso. Triconto sobre tretas no trabalho em outra oportunidade. O que preciso desabafar é sobre a minha fissura pelo D. Tá piorando a cada dia as coisas por aqui. Deixa eu contextualizar...

Quando conheci o D., eu trabalhava na empresa x. Um ano após o D. ir embora, acabei saindo da empresa. Agora, 4 anos após toda a treta, voltei a trabalhar na empresa x, porém, o meu contato com D. não retornou. Na verdade, o D. finge que eu nem existo. E eu entendo.

Não houve absolutamente nada entre eu e o D. Por que ele pensaria em mim ou viria conversar comigo? Não há motivos! Não fui especial pra ele. Nem como amigo.

Pensar sobre o meu não-relacionamento com o D. me deixa mal. Muito mal. Eu gostaria de saber como fazer pra esquecê-lo. Da internet eu já aprendi: apenas parar de procurar por novas atualizações nas redes sócias. Mas, e da mente? Como fazer pra não pensar nele, na época em que o conheci?

Tô amando o meu trabalho. De verdade. Faço as coisas que gosto, sem pressão e bla bla bla... Mas esse lugar me lembra ele. Me lembra da época em que eu ficava esperando por mensagens no celular, marcações de rolês e tals.

Tô caminhando pra casa dos 24 anos, mas pirando a cada dia. Crise de ansiedade, medo, medo, medo e mais medo. Olha, D., gostaria nem de ter te conhecido.

Affão.

17 de agosto de 2018

Ele vai ser exposto, sim!

agosto 17, 2018 6 Comentários
Não tenho absolutamente nada contra quem vive dentro do armário. Direito de cada um, né? O que não apoio são pessoas se aproveitarem da boa vontade alheia pra se dar bem na vida. No mundo LGBT+ isso é tão comum... Nós, viados, somos muito inteligentes pra algumas coisas, mas muito burros quando o assunto é relacionamento. Às vezes, damos casa, comida e roupa lavada pra quem não merece nem tomar no cu, literalmente.

A história seguinte aconteceu em 2013, quando eu tinha 19 anos. Hoje, com 23, continuo sendo babaca, só que um pouquinho mais esperto. Então, thanks ao idiota que me ajudou a evoluir nessa vida. 😘

O Miguel era lindo. Uma foto foi o suficiente pra despertar interesse em conhecê-lo melhor. Adicionei-o imediatamente no Facebook, naquele meu perfil-fake-super-badalado, que funcionava meio que “Gossip Girl” ao contar os podres da “elite” araguainense.

Já sabendo que a Amanda Castro era famosa e influente, Miguel aceitou a minha solicitação de amizade prontamente, começando a puxar assunto. Na época não sabia, porém, o intuito dele era se tornar meu amigo pra não virar alvo das fofocas que eu publicava. E eram várias infos: de traição à orgias.

Papo vai, papo vem... Revelei a minha identidade pro Miguel, daí começamos a ser amigos no meu Facebook pessoal, trocamos número de celular e e-mail. Tava tudo uma maravilha: eu me apaixonando e o lindo me dando corda (iludindo-me seria mais correto!), mesmo ele sendo "hétero" diante da sociedade.

Sedutor nato e covarde, o fofo percebeu que eu estava gostando dele. Quando viu que poderia lucrar um dinheirinho em cima do meu amor platônico, Miguel inventou dívidas altíssimas, passando de R$ 2 mil.

Naquela época eu trabalhava num portal de notícias como redator. O salário era merda, mas as pessoas de fora pensavam que rolava muito dinheiro. Até hoje espero o pagamento dos meus salários atrasados... Patrões fdp? Oh, yes!

Sem vergonha alguma, Miguel disse que estava endividado e com agiotas na cola. Havia até ameaça de morte. Eu era tão inocente que fiquei mais desesperado do que ele. E o que fiz? Saquei todo o meu salário (que não era muito) e doei pro lindo.

Resumindo: assim que pegou o dinheiro, o fofo sumiu, me virou às costas e ligou o dane-se pros meus sentimentos. Mas antes de partir totalmente, conseguiu um emprego com a minha ajuda, além de tornar-se "popular" no meio da “elite”.

Miguel sumiu. Foi pra bem longe de mim, graças a Deus. Ele formou-se na faculdade de Sistemas de Informação e diz no Instagram que é apaixonado por tecnologia e inglês. Faltou acrescentar que também é um perfeito viado-filho-da-puta.

O que ficou por aqui foi ódio, ressentimento e um pouquinho de vergonha alheia. Meus pais, desde sempre, me ensinaram princípios, e um deles é de que não vale à pena se sujeitar a qualquer coisa por dinheiro. Infelizmente, Miguel deve ter perdido essa aula na faculdade, preferindo ficar com os riquinhos nos banheiros das boates. 

O curso de Direito é bom?

agosto 17, 2018 2 Comentários
Tudo começou lá em 2011, quando terminei o ensino médio aos 16 e decidi que me daria um ano de “férias”. O ano de 2012 bateu a porta, todos os meus amigos já estavam numa faculdade e eu com ~invejinha branca~ por não ter entrado ainda no ensino superior.

A desculpa é que não havia jornalismo/publicidade/psicologia na minha cidade... Então, apareceu a oportunidade estudar Direito. E lá fui eu! Antes de completar 18 anos, estava entrando numa faculdade que era referência na cidade/estado/país e dando boas-vindas ao mundo jurídico. Ainda me questiono se foi uma boa escolha...
Prestes a apresentar TCC, fazer o exame da OAB e concluir as últimas matérias, cheguei à conclusão de uma coisa: gosto de desafios!

Estudar Direito nunca passou pela minha cabeça. Sempre curti escrever, criar, ouvir pessoas... Nada tinha relação com o mundo jurídico! Na verdade, sempre achei o curso voltado pra gente determinada, forte e que tinha o dom da persuasão. Ou seja: nada que combinava comigo, pois sou cagão e mó vergonhoso em público.

Mas eu fui! Com a cara e coragem, comecei a faculdade!



Períodos

No 1º período reprovei em duas matérias, uma delas Direito Civil (a principal do semestre que eu hoje eu amo pra caramba!). No segundo eu passei em todas. No terceiro idem. No quarto... Também! No quinto veio a decepção com o curso...

Direito Penal não é pra mim, já coloquei isso na minha cabeça. Aquelas milhões de teorias não me ganharam ainda. Mas, pra eu formar, terei que aprender a gostar. Ou pelo menos fingir pra mim mesmo.

Do quinto período em diante, sempre fui ficando em Processo Penal e matérias voltadas pra essa área. Não entra na minha mente as teorias, sabe? Nunca quis estudar Direito, quem dirá Penal. Mas eu entendo: um bom profissional tem que saber  pelo menos o básico de cada área...

O curso  

Diferente do que eu tinha em mente, Direito é um curso muito bom! Mesmo tendo dificuldades com a área penal, aconselho o estudo a todos.

Mais do que estudar sobre normas e bla bla bla, o curso nos possibilita olhar pro ser humano não apenas como itens terrestres, mas pessoas que dispõe de direitos e deveres; seres que devem ser tratadas de formas iguais, tendo sempre o cumprimento do devido processo legal e princípios muito importantes para a resolução de conflitos.

Além disso, aprendemos sobre como lidar com os problemas diários, seja no trabalho, em casa, com o governo... Enfim, em todas as áreas da vida!
São 5 anos que passam muito rápidos e nos deixam uma carga enorme de aprendizado e vontade de exercer a profissão, seja como advogado ou nos demais cargos que os bacharéis podem atuar.

Recomendo muito, mesmo me decepcionado com algumas coisas (leia-se professores!).

15 de agosto de 2018

As minhas deprê parecem não ter fim

agosto 15, 2018 1 Comentários
 

Não sofro mais pelo grande amor da minha vida, o responsável por bagunçar a minha mente durante um bom tempo; não reclamo da falta de emprego, pois, finalmente, estou trabalhando com o que amo numa empresa bem legal. Não reclamo por não ter um namorado, porque sei eu não estou preparado pra dividir minhas dores e medos. Talvez eu jamais esteja pronto, logo nunca ficarei com alguém.

Eu sofro por carência. De amizades e companhias no dia a dia. A cada dia me sinto mais sozinho. Nem a minha família preenche esse vazio. Mas eu prefiro ficar calado quanto aos motivos das minhas deprê... Acho que ninguém entenderia!

Tem dias em que em eu faço longas caminhadas pra tentar colocar a mente no lugar e buscar soluções pras tristezas repentinas que sinto (algumas pessoas pensam que é porque quero emagrecer... Ledo engano!). Às vezes essas corridas funcionam, mas hoje não obtive sucesso. Fui pra pista de cooper triste e voltei ainda mais triste.

Tentei desabafar nos stories do Instagram, pensando que alguém viria falar comigo. Porém, quem viu os vídeos não fez questão de vir perguntar como eu estou. Mas tudo bem! Ninguém é obrigado a se importar com as dores e medos dos outros...

As minhas deprê parecem não ter fim! Pelo menos não passo 24h/7 com ela... Mas é muito chato sofrer por sentimentos tão egoístas. Como assim ficar triste porque ninguém se importa comigo, com as coisas que faço? Por que baixar a cabeça quando alguém não fizer a mínima pro que escrevo ou falo? Não deveria ser assim...

Eu já deveria ter acostumado desde o início com a rejeição. Não sou rico/milionário/lindo/perfeito pra ter milhões de pessoas ao meu lado... Não tenho com o que contribuir; não sou importante. Na verdade, sou útil aos outros por ocasiões. Quando precisam da minha ajuda, lá estou de braços abertos pra ajudar... Mas quando já não precisam de mim, é na fila da amargura e solidão que me abandonam.

As minhas deprê parecem não ter fim, mas eu sei como por um fim nelas. E eu irei procurar ajuda... Nem que seja escrevendo pra mim mesmo, na intenção de encontrar uma luz no fim do túnel.

To myself

agosto 15, 2018 1 Comentários
Wow, Adriel! Há quanto tempo você não arriscava usar uma roupa diferente e saía da caixinha? Tá de parabéns, viu?! Aprovo sua atitude e espero que você continue evoluindo! Você merece ganhar o mundo e, com muita força de vontade, isso será possível o mais breve possível.

Sei bem que nos últimos dois dias você teve sonhos estranhos, porém bons. É isso aí! Continue pensando positivamente pra que os seus objetivos se realizem. Eu, aqui dentro de você, sou o seu maior apoiador e tô sempre enviando forças e coragem.

Desde que mudou o escritório da firma, você tem se sentido com muita vontade de crescer profissionalmente e mostrar que pode chegar longe. Tô adorando ver (e te ajudar!) nessa etapa. Sinceramente, acredito que a maré de felicidade tá só chegando por aí! Logo, logo as conquistas virão e, nossa, vamos comemorar muito: você aí do lado externo do mundo e eu por aqui, na sua mente.

Adriel, não sofra por amor. Não agora. A pessoa que você se interessa não gosta de você. Jamais gostará! E não é porque você se acha feio, gordo ou tem milhares de traumas... Ele simplesmente não é pra você!

Eu sei, eu sei. Você ainda quer cultivar essa esperança de que ele pode te querer, sim. Mas, imagine bem: se ele te encarasse e dissesse que gostava de você, como você reagiria? Iria gostar ou ficar ainda mais tímido? Às vezes, é melhor ganhar uma amizade do que perde-la por culpa própria; por não dar conta de controlar os sentimentos.

Eu sei que você ficará bem e tentará ao máximo controlar a sua mente. Sei disso porque estou junto com você!

Mantenha essa onda de positividade na sua vida, por favor. Tô amando te ver acreditando em si mesmo e lutando, mesmo que sozinho. Siga em frente e olhe pra trás quantas vezes quiser. É olhando pra trás que você vai conseguir ver o quão forte foi e ganhará impulso pra continuar na jornada da vida.

Eu te amo pra caramba. Eu, seus amigos, família, pessoas da internet... Tem também algum carinha por aí só esperando a hora certa pra aparecer. Por enquanto ele é um mistério, e ok por isso. Tudo no tempo certo, garoto!
Repetindo novamente: eu te amo e você merece ser muito feliz.