Follow Us @soratemplates

21 de novembro de 2017

Sem filtro

novembro 21, 2017 6 Comentários
Muita balada, farra e gaitadas faziam parte da vida de Ricardo. Ele vivia conectado, recebendo centenas de mensagens dos amigos que chamava-o para mais uma noite de curtição. Ele era um daqueles caras que não era rico, mas vivia rodeado de pessoas que possuíam uma condição financeira ok. Esse okay significa: capazes de bancar as festinhas, bebida e afins.

Ricardo era jovem, ainda na casa dos 23 anos idade. Possuía sonhos, desejos e objetivos de vida. Aos estranhos ele era muito tímido, já para os amigos era a verdadeira definição de puta-doida.

Por ser bastante extrovertido e engraçado diante de conhecidos, Ricardo também adorava compartilhar (virtualmente) um pouquinho desse seu lado "deboísta", pois a internet não o amedrontava como a ideia de um papo face to face. E as pessoas do outro lado da telinha adoravam acompanhar o dia a dia do jovem... Elas sempre interagiam e se mostravam interessadas no conteúdo.

Porém, a vida de Ricardo não era uma maravilha. Por trás daquela explosão de “felicidade” havia um jovem inseguro, cheio de medo e complexos. É verdade que ele estava emagrecendo pra se sentir melhor diante do espelho, mas, os anseios continuavam batendo à porta.

Rick ainda não terminara a faculdade, havia matérias para pagar, as contas se acumulavam, pois há 9 meses estava desempregado... Para piorar ainda mais a vida offline, o jovem estava com problemas em casa. Infelizmente, o relacionamento dos pais não estava indo bem. Mais um item pra lista de medos.

Em uma dessas noites de bad, após beber todas que podia, Rick ficou pensando sobre a sua vida. As duas vidas: off-line e online. Ele acabou se dando conta de que estava fazendo tudo errado. Diante da câmera do celular era o loucão-descolado, de bem com a vida. Já no privado tudo estava desmoronando e o jovem não sabia o que fazer. Nessas horas ninguém sabe.

Com medo do futuro e sem ter como usar filtros, Rick apenas olhou pro céu e pediu uma luz a Deus. O que fazer com as contas? O que fazer com o relacionamento dos pais? E a grade da faculdade totalmente bagunçada?

Através de muitos questionamentos, dúvidas e medo, Ricardo percebeu uma coisa: a vida real é muito menos divertida do que a virtual. Na mundo off-line não há filtros, e sim lutas. Por isso o medo é grande de perder a batalha, pois isso atrasaria todos os planos de ser incrivelmente feliz.
Sem medo da reação de seus "telespectadores", Ricardo resolveu fazer uma transmissão ao vivo para desabafar. A surpresa veio quando os internautas começaram a tirar as máscaras, mostrando que, sim, todos nós usamos filtros de vez em quando. E isso não é ruim.  

20 de novembro de 2017

I’m a little monster, baby!

novembro 20, 2017 18 Comentários
A última edição do American Music Awards (AMAs) rolou nesse domingo, 19, trazendo como um dos destaques a performance de Lady Gaga. Bastou este fato pra eu ficar desesperado, já colocando no calendário esse evento imperdível. 😍

Como já esperado, a mãe das gays fez uma belíssima apresentação do single injustiçado “The Cure”. Pra quem não conhece, a música fala que o amor é a cura pra qualquer coisa, mesmo quando disserem que, por exemplo, uma doença não tem solução. 💛💙

Após a apresentação da Gaga, me peguei pensando sobre quando a conheci. Eu estava entrando no colegial, num mundo totalmente novo, onde tive de “apagar” da mente as várias vezes em que sofri bullyings no ensino fundamental. 💔

Naquela época, um novo canal acabou surgindo na tv local, em 2009. Era a MTV. Eu era tão da roça que nem sabia da existência do mesmo. Assim que sintonizei a tv, fiquei encantando com aquele mundo pop, cheio de música, alegria e tals.

Também através da MTV eu conheci a Gaga, o Twitter e um mundo bem louco e interessante. Tipo assim: morar no interior é foda, porque você só ouve duas coisas: forró e sertanejo. Não há rock, pop, hip hop, etc. Não há diversidade. Contudo, quando bati o olho naquela “nova” emissora, percebi que ela dava vozes aos jovens, mostrando a eles artistas irreverentes, saindo da mesmice e do popularzão.

Daí, em 2009, Gaga fez uma apresentação no MTV – Video Music Awards (VMA). Ela performava “Paparazzi”, dramatizando o quão foda é estar sob os holofontes. Confesso que fiquei com muito medo ao ver tanto sangue, mas depois fui pra internet ler explicações sobre, pois era muito burrinho na época. 😂

Na web encontrei o primeiro álbum da Gaga... A partir do "The Fame", mantenho até hoje uma relação de amor e admiração pela cantora. Amo todos os trabalhos e projetos, pois é evidente que são feitos com carinho aos fãs. 😊
Durante os 08 anos em que acompanho Gaga, ela me ensinou tanta coisa... Que eu sou maravilhoso, não sou anormal, que mereço ser amado da mesma forma que amo e que uma hora ou outras as coisas se ajeitarão. Gaga me ensinou que pra ser Lady não precisamos de muita coisa: bastar ter fé, amar, SE AMAR e viver intensamente. 🦄🌈

7 de novembro de 2017

Girlboss é bom, o livro; a série é uma desgraça

novembro 07, 2017 22 Comentários
Em maio deste ano a Netflix lançou a série “Girlboss”, baseada na história/livro da Sophia Amoruso. A moça é apenas fundadora da “Nasty Gal”, uma loja online que comercializa roupas/calçados/acessórios incríveis por um preço acessível. Os viciados em moda já devem conhecer e amar! 😍

Acontece que o seriado não foi bem aceito, tanto é que a segunda temporada foi cancelada. Ninguém informou o motivo da decisão, mas eu creio que deve ser pela falta de empatia dos telespectadores pela personagem. A atuação foi incrível e teve o objetivo cumprido: deixar todos com raiva da imaturidade de Sophia.

Em resumo: a série/livro contam a história de uma jovem na casa dos 20 anos, que mora sozinha e não sabe muito bem o que fazer da vida pra pagar as contas. Todos os empregos que encontra são chatos e ela não dura muito tempo neles. Em um dia de tédio, Sophia decide dar um “up” na vida e começa a procurar roupas vintage pra customizar e vender mais caro na internet. A ideia deu tão certo que ela teve de alugar espaço pra montar a sede da loja, contratar equipe e tals. 👏👏

Contudo, quem leu o livro reparou vários furos na adaptação às telonas. Infantilizaram Sophia, colocando-a como inconsequente, mimada e tals. Em alguns momentos de extrema necessidade, ela roubou roupas e livros pra estudar, mostrando o seu desejo incessante pra crescer na vida. Porém, no seriado distorceram todo o fato. 👏👎

Ao meu ver, “Girlboss” (o livro!) é uma verdadeira bíblia pra quem deseja ser empreendedor. Com muita sensibilidade, Sophia dá um show de maturidade ao contar a sua história e nos apresenta dicas importantes pra crescer na vida, seja profissionalmente ou não.

Durante a leitura do livro, grifei várias dicas inspiradoras. Saca só:
- Ao invés de escolher números ou combinações estranhas, coloque na sua senha de internet algum desejo ou promessa; sempre que você for se conectar, lembrará daquilo que tanto deseja. Pensamento positivo atrai boas energias. 😊

Ex.: empregodossonhos01; fama@1k.

- Se você investir em algo por um tempo e não obter resultados, parta pro outro plano. Isso não é desistir, é deixar o universo agir. Na hora certa os frutos serão colhidos! 😉

- A gente perde tempo demais focando em negatividade. É desgastante! Se algo deu errado, melhor correr atrás das coisas boas que você ainda pode conseguir. 🙏

NÃO! Nada dessas dicas foram mostradas no seriado. Só conseguimos ver uma menina mimada, chata e bla bla bla. O livro é totalmente diferente. Sério. Leia e depois me conte o que achou! ;) 

Link pra baixar o pdf de "Girlboss" aqui! 


5 de novembro de 2017

Caso perdido no amor?

novembro 05, 2017 25 Comentários
Me apaixono tão fácil que às vezes tenho vergonha de mim mesmo. Parei até de contar aos amigos sobre as novas paixões, porque é capaz de toda semana ser alguém diferente. O lado bom da coisa é que o sentimento é verdadeiro. O crush poder ser um filho da puta comigo, e mesmo assim gostarei dele pra caramba, chegando a ter crise de choro por não estar por perto. 😭

Uma conversa no WhatsApp, um troca de olhar na faculdade, um cumprimento na academia e até mesmo um sonho são capazes de despertar sentimentos por outra pessoa. Se ela ficar mais algum tempinho me dando moral, mentalmente eu listo todo o enxoval de casamento. Brincadeira, claro. 😂

Nunca fui ao psicólogo (ou meu caso já é pra psiquiatra?) pra falar sobre essas minhas neuras com relacionamento. Tenho medo do resultado, mesmo sabendo que o laudo pode ser resumido em: carência. 💔

O meu relacionamento mais longo durou 3 FUCKING dias. Não tenho muitas (ou nenhuma!) experiência que valha à pena compartilhar. Todos os rolos resultaram em decepção, abandono ou algo nesse sentido. Ao meu lado há milhares de amigos com contatinhos, namoro de longa duração… Não é uma vida perfeita, mas eles têm alguém especial nos momentos bons e ruins. Amizade não é a mesma coisa... 😢

Não é inveja, longe disso. Eu só queria também ter alguém ao meu lado me dando um “bom dia!” especial, tendo segredos bobos, discussões saudáveis que fazem parte do relacionamento… Eu queria ter alguém pra mandar um torpedo no fim da noite com alguma declaração de amor, sabe? 💕

Por que pra mim relacionamento é difícil e aos outros tão fácil? Vejo gente por aí trocando de contatinho como se estivesse mudando a roupa do corpo. Por aqui, quando alguém aparece, dá vontade até de soltar fogos de artifício ou sair na rua com um carro de som anunciando a chegada da pessoa. Pode parecer desespero (e talvez seja!). 😂

Minhas amigas não entendem o motivo de ninguém me querer, pois dizem que sou uma pessoa maravilhosa. Eu concordo! 

Será se a minha timidez atrapalha? Se sim, nada que a intimidade não resolva! Será se é por que recuso sexo de primeira? Melhor a solidão do que ficar por ficar! Será se sou um caso perdido no amor? Devo realmente focar na faculdade, trampo e deixar o campo amoroso de lado? 💬

Uma luz me ajudaria bastante, porque no momento só consigo pensar no carinha do meu último sonho.  😂