Follow Us @soratemplates

30 de novembro de 2015

O tempo voa...

novembro 30, 2015 10 Comentários
Todo dia eu acordo com sensação de que o tempo está passando voando e eu não estou aproveitando tudo o que vida tem a me oferecer de melhor. A coisa complica ainda mais quando eu percebo que não sei qual rumo seguir, e o que fazer para viver bem. 

Ao meu redor, vejo tanta gente decidida, com a certeza do que querem fazer pelo resto da vida. Já eu, no momento só consigo pensar nas benditas provas finais deste semestre da faculdade. E não: eu não gosto de ficar pensando no futuro, sabe? Gosto de deixar as coisas acontecerem naturalmente; pela vontade de Deus. 

Se alguém me dissesse que a solução para o meu problema seria planejar, com certeza eu responderia que não isso não funciona. Não comigo. 

Já planejei demais. Já fiz planos que tinham tudo para dar certo, mas simplesmente o medo fez com que eu desistisse de última hora. Sinceramente, desistir naquele momento foi a melhor coisa, pois eu não estou nem um pouco preparado para uma mudança tão monstruosa e ao mesmo tempo perfeita. 
"A má notícia é que o tempo voa. A boa notícia é que você é o piloto. Seja mais para fazer mais." 
Perdi a conta das noites em que fiquei planejando o meu futuro. Uma hora queria ser advogado, Promotor de Justiça... depois mudava de rumo e ia para a carreira do Jornalismo, publicidade... É tudo muito complicado. 

Enquanto fico nesse embaralho de dúvidas, o tempo voa. O tempo vai passando. Bom seria se o tempo congelasse, para que a gente pudesse pensar com mais calma (e sem pressão!) sobre a nossa vida.

Falando em pressão e cobranças... O mundo sempre está cobrando da gente as coisas, né? Quando não é o nossos país cobrando boas notas na faculdade, são os amigos, parentes, namorado... Eu só queria que todos se colocassem no lugar dos outros para entender que: não é fácil viver com tantas dúvidas e não saber como resolvê-las. 

E o tempo continua passando...
Já, já tenho uma aula de Direito Penal e me sinto bem perdido dentro da sala, mas, fiz um propósito comigo mesmo de não desistir de nada. Se eu cheguei até aqui, é porque tem um propósito. Deus tem algo pra mim. 

29 de novembro de 2015

Livro: Laços inseparáveis

novembro 29, 2015 12 Comentários
Autora: Emily Giffin Páginas: 445 Editora: Novo Conceito  Gênero: Ficção
Sinopse: Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos que vive seu sonho na cidade de Nova York. Com uma carreira promissora e um relacionamento estável, ela convence a todos, até si mesma, de que sua vida está do jeito que ela quer. No entanto, certa noite, Marian atende a porta... e encontra Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensava ter resolvido para sempre. 
Já pensou na hipótese de alguém um dia aparecer na porta do seu apartamento dizendo que é seu filho(a)? Aquele que você abandonou assim que nasceu, há 18 anos? Pois é! Isso aconteceu com Marian Caldwell, uma produtora de tv de Nova York, responsável pela criação de um seriado que estava “bombando”. 

De um lado temos Marian, que se mostra totalmente perturbada com a chegada da filha; do outro, temos Kirby, uma jovem-adolescente que estava “feliz” com a vida que levava ao lado de sua família adotiva, mas, ao completar 18 anos, decidiu que iria atrás dos seus genitores. 

Durante (quase) todo o livro, a Emily Giffin soube conduzir bem a história, dividindo os capítulos entre Marian e  Kirby. Outro ponto positivo é que os capítulos são curtos, fazendo com que a leitura tivesse um ritmo acelerado e sempre deixando uma curiosidade ao finalizá-lo. 
As quase 500 páginas relatam uma linda história de uma mãe que abandonou a sua filha, supondo que essa medida seria o melhor para a criança, mas, nem sempre essa é a solução. Para piorar, Marian escondeu de todos que entregou a filha à adoção; na verdade, apenas a sua mãe sabia da gravidez. 

O motivo de Marian ter escondido a gravidez de todos, inclusive do próprio pai da criança, é utópico, porém, válido. A história ficou boa do jeito que foi escrita, mas, se eu pudesse sugerir algo, com certeza pediria para a autora contar mais um pouco sobre o pai de Kirby, o Conrad. O mesmo apareceu no início e no fim da história, porém, sua passagem foi muito rápida. 

Esse é o meu terceiro livro da Emily Giffin e eu estou cada vez mais me apaixonado pela sua escrita deliciosa. Já li: “Uma prova de amor”, “Presentes da vida” [que tem filme] e “Laços inseparáveis”. 

Em suma, para quem gosta de livros que misturam temas do cotidianos, como amizade, amor, fidelidade e traição, prepare-se porque "Laços Inseparáveis" te fará pensar, rir e chorar nas mais diferentes circunstâncias; além da perspectiva de um final deslumbrante.

26 de novembro de 2015

Amizades verdadeiras: eu tenho

novembro 26, 2015 10 Comentários
Cabe nas duas mãos a quantidade de amigos de verdade que eu tenho. Daqueles que eu posso ligar a qualquer momento do dia implorando por ajuda (e até mesmo pedindo dinheiro!). E eu sou grato pela existência e permanência na minha vida de cada um, pois sei que não deve ser fácil me aturar.

Estava conversando com uma dessas amizades verdadeiras quando comecei a pensar sobre uma coisa: eu não sou uma pessoa fácil de lidar e torno difícil as minhas relações com o ser humano.

Eu acredito que sou um bom amigo, pois estou ao lado nos momentos bons e ruins, sempre disposto a ajudar e fazer o papel de todo melhor amigo. Porém, quando a situação é inversa, quando eu estou com problemas, eu prefiro me distanciar, ficar longe e esperar a poeira abaixar. Não aprecio muito a ideia de desabafo, sabe?! 

Muitos amigos devem ficar com raiva de mim, eu sei. Mas, eu prefiro lidar com tudo dessa forma, porque não quero me sentir um peso na vida dos outros.

Pelo amor de Deus, não pensem que eu acho que os meus amigos são um peso na minha vida, porque eles não são. Amo todos. Porém, na minha cabeça, eu sou um peso pra eles, então, prefiro ocultar a parte "chata" da minha vida compartilhando só as coisas boas.

Às vezes eu penso: será se eles gostam tanto de mim porque pensam que eu sou feliz o tempo inteiro? Será se apreciam minha companhia porque eu nunca consigo dizer não? 

Tudo isso que eu escrevi deve soar como carência (e é!), mas... Eu simplesmente vivo com essas dúvidas, sem saber o porquê de gostarem de mim e serem tão legais, fazendo com que eu esqueça dos meus problemas e sorria pra vida sempre quando estou ao lado deles.
A foto desse post, por exemplo, é um retrato da minha felicidade ao lado das verdadeiras amizades: eu simplesmente fecho os olhos aos problemas e encaro a vida com mais fé e gratidão.

25 de novembro de 2015

James Bay: Cantor britânico que você tem que conhecer

novembro 25, 2015 10 Comentários
Pare tudo o que está fazendo e me dê as mãos, porque eu estou caindo no chão todas as vezes em que coloco o som do James Bay para tocar no meu iTunes. Esse cara simplesmente consegue me fazer chorar e sorrir ao mesmo tempo. 

Sabe aquele cantor que é “desconhecido” ainda no seu país e você sabe que é obrigado a divulgar para o mundo o seu nome/canções? Esse é o caso do James Bay, ou apenas “Bay” aos íntimos. ;) 
Bay nasceu na cidade de Hitchin, estado de Hertfordshire, na Inglaterra. Daí você já pode tirar todas conclusões de que esse garoto, de apenas 25 anos, tem todos os requisitos necessários para ser considerado o meu futuro marido. #alouka 

Se você não gosta de folk/indie, deixe o seu preconceito de lado e dê uma oportunidade ao Bay. Tenho (quase) toda a certeza de que se apaixonará logo de cara ao ouvir “Let It Go”  e “Hold Back To The River”. 
Bay está na estrada musical desde o ano de 2013, mas, somente este ano as luzes da fama se acenderam à ele. Graças a Deus! 

Só para você ter noção, o EP e álbum “Chaos and the Calm”, que foi lançado este ano, ficaram em primeiro lugar no Reino Unido e em ótimas posições na Austrália, Germânia, Bélgica... e 15º lugar no Estados Unidos. Para um cantor “desconhecido”, esse resultado é ótimo.  Ah! Ele também ganhou um prêmio da crítica britânica no Brit Awards 2015. 
Se você não conhecia o Bay, sinta-se na obrigação de acompanhar esse cantor maravilhoso. Tenho certeza de que não vai se arrepender! <3 

23 de novembro de 2015

Vida perfeita?

novembro 23, 2015 10 Comentários
Desde quando uma blogueira famosa se revoltou com a internet e começou a “falar” sobre a sua vida (nada) perfeita, eu parei pra pensar um pouco sobre a minha e a forma como as pessoas estão me julgando atualmente. 

Por exemplo: 
- se eu posto uma foto dentro de um carro mostrando a visão que estou tendo, geral não vai prestar atenção na paisagem em si, mas tentarão a todo custo adivinhar qual carro tenho ou estou usando; 

- se estou numa balada e decido fazer uma selfie com amigos, ninguém vai reparar no quão alegre estamos, e sim na jóias ou roupas que usamos.

Essas são algumas das formas de julgamento mais básicas que vejo no meu Instagram. E o que me revolta é isso: as pessoas não entendem que, ao clicar em "publicar", eu só quero compartilhar um momento legal da minha vida com quem está me seguindo. Afinal, a lógica de seguidores é essa: pessoas te acompanharem na internet pra saber o que você anda aprontando de legal (ou não).

Alcancei recentemente a marca de 10k no Instagram (ou 10 mil seguidores, como você achar melhor) e, sinceramente, isso não muda nada minha vida. Continuo sendo aquele garoto do interior, que passa o dia inteiro na internet criando conteúdo ou conversando com “estranhos”. Minha conta bancária não aumentou os zeros também... 
Porém, na cabeça das pessoas (dos meus seguidores), eu tenho uma vida perfeita e badalada, sou rico, popular... Na mente desse povo eu não sofro, não tenho desilusão amorosa... Sou simplesmente feliz pra caralho!

Confesso que minha intenção nunca foi essa. Eu nunca quis mostrar que a  minha vida é perfeita na internet. Eu apenas posto uma imagem que representa um momento importante/feliz.

O que mais me deixa triste é eu ver meus amigos me julgando através da fotos, dizendo coisas do tipo: “nossa, cara! Como você é popular. Tantas curtidas em pouco tempo...”. Eu ignoro esse tipo de coisa e tento mudar o assunto porque não me importo com isso. Nada disso apaga os meus problemas. 

A conclusão desse desabafo é: eu não tenho uma vida perfeita, tampouco uma conta bancária de dar inveja. Eu sou apenas um estudante de Direito, frustrado com o amor (saí recentemente de uma relação complicada...) e com muitas dívidas. 

20 de novembro de 2015

Essa moda pega? Roupas e sapatos com estampas de emojis

novembro 20, 2015 10 Comentários
Se você usa com bastante frequência as redes sociais e até mesmo os aplicativos de mensagens instantâneas, já deve ter percebido o quão legal (ou não!) é fazer o uso dos emojis (aquelas carinhas que têm disponíveis no teclado virtual do celular). 

A novidade é que essas carinhas “fugiram” das telinhas para as telonas (como ocorreu no clipe da Katy Perry e propagandas comerciais) e agora também estão presentes no mundo da moda. 
Não se sabe ao certo quando começou a fabricação desses produtos com estampas de emojis. Quem curte um rock ou é fã do Nirvana, já deve ter percebido que uma das camisetas de fã da banda tem uma carinha, mas elas nem chegam próximo ao que tá sendo comercializado agora. 

Na verdade, começaram a ser divulgadas bastante no início janeiro deste ano, quando a loja Betabrand começou a vender camisetas e sapatos com a estampa do cocozinho. Eu sei, é meio nojento! Mas, ó, até que ficou bonito. 
Você pensa que para por aí? Hahaha! Já tem leggins femininas, saias  e até mesmo vestidos. :D 
Sem dúvida alguma, este é o ano dos emojis! 

18 de novembro de 2015

Campanha "Leia para uma criança"

novembro 18, 2015 0 Comentários
Outro dia o pessoal do Banco Itaú entrou em contato comigo perguntando se eu gostaria de conhecer um pouco sobre a campanha #issomudaomundo, que tem como objetivo principal disponibilizar gratuitamente livros ilustrados com histórias infantis.

Na verdade, com essa campanha, o Banco Itaú deseja levar a leitura ao maior número de crianças possíveis, fazendo com que elas tenham acesso facilmente a esse mundo imaginário que nós, adultos, já conhecemos e adoramos.
São diversos títulos disponíveis e você pode solicitar, gratuitamente, o seu kit com dois exemplares no site: http://itau.com.br/crianca. Sinceramente, eu achei a proposta muito boa!

Independente de você ter ou não na sua casa uma criança, entra lá no site e faça o pedido dos livros... Doe à um amigo, primo ou até mesmo à uma criança na rua. A histórias são ótimas e as ilustrações perfeitas. Ou seja: essa é uma das formas de você convidar a criança a mergulhar nesse mundo tão lindo que é a leitura.
Parabéns ao Banco Itaú por essa iniciativa. Adorei! 

Dica de seriado: Enlightened

novembro 18, 2015 12 Comentários
Sinopse: Laura Dern é a auto-destrutiva Amy Jellicoe, uma executiva em seus 40 anos que, após ver sua vida profissional ir por água abaixo, passa por um "despertar espiritual" e decide recolocar sua vida no lugar.  Para isso, ela se interna em uma clínica para tratamento holístico no Havaí. 
Na série Enlightened, nos é apresentada a história de Amy (Laura Dern), uma pessoa completamente viciada em trabalho, que mantinha um caso com o chefe, Damon (Charles Esten). 

Após o término da relação com o Dougie, Amy decide que é hora de dar um rumo na sua vida e procurar um tratamento holístico, onde ali aprenderia a espalhar energia positiva para pessoas e a não ser mais egoísta como antes. 

O problema é que quando Amy volta da clínica, completamente “renovada” e com uma paz invejável, ela começa a perceber o quão ruim o ser humano pode ser, tudo isso porque os antigos “amigos” simplesmente viraram as costas, já que ela havia regredido na empresa, não tendo o mesmo poder de antes. 
Como Amy não tem mais o mesmo prestígio no trabalho, ela começa a se enturmar com o grupinho dos excluídos. É justamente aí que ela começa uma parceria com o Tyler, interpretado pelo ~maravilhoso, perfeito e lindo~ Mike White. <3

Os dois dão um show de interpretação e é um casal que eu shipo muito. O Tyler é meio bobão e demonstra gostar da Amy, já ela o considera um amigão. Se eles ficam juntos? Só vendo pra saber! 
Enlightened é uma série muito boa pra assistir no fim de semana, já que suas duas temporadas têm 10 episódios, sendo cada um com 30 minutos de duração. Infelizmente a HBO, que produzia a série, cancelou na mesma na segunda temporada, finalizando toda a história com um filme. 

Aqui vai a minha reclamação: a HBO produz séries incríveis, mas quando vê que a audiência não é boa, longo cancela as histórias. Isso é uma vergonha. Pra vocês terem noção, a nota de Enlightened foi de 7,5/10 no IMDb. Ou seja: não é uma série ruim. 
Fica aí uma dica bacana pra vocês verem ao lado do mozão ou com os migs no fim de semana. Juro que não é um tiro no pé. Assistam mesmo!

17 de novembro de 2015

Roupas e acessórios femininos que os homem podem usar

novembro 17, 2015 10 Comentários
Falar sobre a moda não é uma coisa complicada. A prova disso é a quantidade de blogs existentes voltados pra esse ramo. São vários e vários espaços na internet criados com um único intuito: compartilhar um pouco o conceito de moda. E a gente sabe que ser fashion nada mais é do que usar aquela peça/acessório que combina com o seu estilo. 

Uma coisa muito engraçada nesse mundinho de muito glamour é que os papéis estão se invertendo: as mulheres estão usando roupas masculinas e os homens também estão “roubando” algumas peças mais femininas. 

Como já tem vários blogs voltados à moda feminina, resolvi fazer uma lista das principais peças e acessórios que os homens estão começando a usar. Antes de conferir as dicas, deixe o seu preconceito de lado e aprecie as combinações. Let’go?! 
Cachecol 
Quando eu vejo alguém usando cachecol, eu já penso logo em frio, Londres... Porém, esse acessório feito de lã pode ser usado também no verão, você só tem de ter coragem pra enfrentar o calor.
Infelizmente, a maioria dos homens não usam cachecol porque acham o acessório muito feminino e bla bla bla. Isso acontece mais aqui no Brasil, porque lá fora é o que mais rola. Das duas uma: deixar o look moderno e esquentar o pescoço ou ficar sofrendo no frio? 
Bolsa de mão 
Até um tempo atrás eu achava super feminina a bolsa de mão, mas, comecei a ver  bastante gente usando na faculdade e no cinema. E não é que fica bonito mesmo? 

Dependendo do modelo que você escolher, fica muito bom. Vale apostar numa camiseta social, short e uma sapatilha. O look fica leve e serve pra ir tanto à um bar quanto à balada. 
Legging 
Sabe as tão polêmicas legging masculinas, que chegou com tudo em 2011? Até hoje elas são motivo de muita discussão no mundo moda. 

Sinceramente, eu gostei e acho que vale super apenas coloca-la por baixo de algum short de tecido.  
Headband
Muito popular entre as mulheres, o uso do headband ainda é tímido por parte dos homens. Acho o acessório um pouco feminino, mas, em homens que têm o cabelo grande,super combina. 
Em suma, no mundo da moda o importante não é se a roupa é mais menino ou masculina, mas você se senti bem usando a peça/acessório. Minha dica? Seja feliz da forma que você achar melhor. 

16 de novembro de 2015

VIAJANDO SEM VIAJAR

novembro 16, 2015 0 Comentários
Todo dia é a mesma coisa: saio da faculdade às pressas no intuito de chegar ao ponto de ônibus mais próximo, com muito medo de perder o carro que faria a rota até a minha casa. 

Assim que chego ao terminal, sempre pergunto ao guarda quanto tempo falta pro próximo ônibus passar. Educadamente ele responde que falta pouco tempo, mas que eu poderia esperar me sentando em algum banco que ele me avisaria. E depois dizem que não há mais pessoas boas no mundo... 

Quando não tem banco vazio no terminal, eu tenho de ficar em pé. Mas pra mim tanto faz. O que eu mais quero mesmo é ir pra casa descansar. Afinal, não é pra qualquer pessoa fica cerca de 4 horas sentado numa cadeira estudando Direito/Leis. 

Olhares estranhos. Outros já conhecidos. Algumas pessoas cansadas. Outras felizes. Um cara está sentado, olhando pro horizonte e balançando rapidamente os pés... Tem também um senhor caminhando por entre os bancos, parecendo muito cansado... O dia deve ter sido longo! 

Olho pro lado e continuo enxergado o cara balançando as pernas, agora com uma cara assustada. Ele deve estar pensando o mesmo que eu (o que a gente estava fazendo ali?). Ele é bonito, parece interessante, mas novo pra mim... E, céus, eu não quero me apaixonar novamente. Não agora. Preciso focar nas últimas provas da faculdade e preparar meu currículo pra procurar um novo emprego. 

E todo dia é assim: fico aqui nesse terminal no fim da noite (uma longa noite, por sinal!) à espera do transporte que irei retornar à minha casa; ao meu mundo. 

O bom em poder estar aqui (se é que tem algo bom nisso tudo) é que eu posso pensar em tudo e ao mesmo tempo em nada. É onde eu encontro uma certa paz, sabe? Posso observar as pessoas e ninguém se importará com isso. 
Se eu pudesse dizer ao mundo uma coisa, diria pra todos aproveitarem as coisas mais simples da vida, como andar de ônibus. A experiência pode não ser uma das melhores do universo, mas vai te render bons momentos de reflexões (como este agora); se relacionar com pessoas de todos os tipos e classes sociais, além de economizar um puto dinheiro com gasolina. Faça a experiência! 

15 de novembro de 2015

Decoração dos quartos dos Tumblrs

novembro 15, 2015 10 Comentários
Nos últimos dias eu voltei a usar o Tumblr com frequência, já que a minha vida tá completamente bagunçada e, nada melhor do que me reencontrar naquele cantinho depressivo e cheio de gente como a gente. 

Durante certa madrugada, resolvi dar uma pesquisada pra ver os quartos de alguns Tumblrs, pois as reformas anuais da minha casa começam em dezembro, antes do Natal, e eu preciso de inspiração. 

Nem preciso dizer que a minha depressão aumentou ainda mais quando eu vi aqueles espaços com uma decoração incrível, né? Mas Deus é justo e uma hora aparecerá dinheiro pra eu fazer tudo o que quero. :D 

Abaixo, confira os melhores quartos que eu encontrei por lá.
Essa é uma ótima opção pra quem divide quarto com alguém. Meu sonho, na verdade, é encher a parede de bregueço que eu ganho ou cato por aí. =/
E esse mini-escritório-quarto-camarim que me deixou simplesmente apaixonado?! E olha que odeio Coca-Cola. #vaientender
Esse aqui não é exatamente um quarto dos Tumblrs, mas é o quarto da Haze, de “A culpa é das estrelas”. Eu nunca tinha reparado no quarto dela e, ó, adorei!
Eu amo Londres e, possivelmente, será o país que eu pretendo morar após a faculdade. Caso eu não consiga realizar esse meu sonho/desejo, com certeza serei um velhinho de 60 anos com um quarto tipo esse. Ou não. :D 
Quem gosta de rock ou até mesmo dos Beatles, deve ter pirado ao ver esse espaço. Mas, o melhor de tudo é que aqui é tudo embutido: quarto/sala e, se duvidar, a cozinha deve estar ao lado. 

Lá fora, principalmente na Austrália, é comum alugar apartamentos assim: só um cômodo enorme pra você dividir o espaço da forma que quiser. Bem legal, né?! 
Resumo do resumo: eu preciso ficar rico pra conseguir tudo o que quero, principalmente o quarto dos meus sonhos. :)

14 de novembro de 2015

Um pedido de socorro!

novembro 14, 2015 2 Comentários
Desastre (nada) natural em Minas Gerais. Terremoto com alerta de tsunami no Japão. Massacre em Paris. As informações não param e as tragédias em todo canto do mundo continuam.
É justamente diante dessa avalanche de informações que eu me questiono: o que fazer?
Mudar a foto de perfil Facebook não vai ajudar em muita coisa. Ficar no Twitter criticando a insensibilidade do Pastor Silas Malafaia também não contribui. Foto no Instagram da sua viagem à Paris, como forma de “estou muito triste por todas que perderem seus entes queridos”, não muda nada.

Então, eu fico desesperado por não fazer absolutamente nada; por não ter condições de estar em nenhum canto do mundo (ou até mesmo aqui no Brasil!) ajudando quem está sofrendo. E o pior: essas vítimas não são nenhum pouco culpadas por tudo o que está acontecendo.

Eu fico ansioso, esperando um sinal de fumaça do que eu devo fazer. Infelizmente, nem desabafar nas redes sociais eu posso, porque me chamariam de “idiota”, “gado” e trocentas outras coisas. Mesmo sem estar no local dessas tragédias, eu não tenho liberdade para me solidarizar com quem está sofrendo, porque me julgarão, me condenarão... meio que me obrigarão a calar a boca.
“Eu não me sensibilizo com a tragédia de ninguém!” 
Como alguém é capaz de abrir a boca e dizer que tá se fodendo por outro? Ou melhor, como alguém pode escrever tantas asneiras, espalhando o ódio, a ingratidão...?

Sinceramente, não tô entendendo mais nada no mundo. Não estou conseguindo entender as pessoas e o rumo ao qual tudo está tomando. 

 Meu pedindo sincero a todos é: se não pode ajudar, se solidarize compartilhando amor, fé, PAZ!  Pelo amor de Deus, não espalhem ódio e rancor na internet. Use-a para o bem.

Desejo do fundo do meu coração que todas as famílias do mundo, atingidas por essas tragédias, confiem em Deus e não plano Dele para cada um de nós. Não é fácil aceitar essas perdas, mas essa é a vida.

10 de novembro de 2015

Sem rótulos, por favor!

novembro 10, 2015 2 Comentários
Já começo este texto escancarando pros quatro cantos do mundo que: eu nunca fui uma pessoa magra, do tipo esquelética. Sabendo disso, prossiga a leitura. 
Não, eu nunca fui aquele adolescente que todos olhavam e elogiavam a beleza, o corpo... Na verdade, eu sempre fui foco pra chacotas e piadinhas. 

Como não esquecer Daquele: “ei, seu gordo, baleia... parece saco de areia”? Simplesmente não tem como esquecer! (Talvez isso seja considerado bullying, mas, naquela época era só “brincadeira” de criança.) 
Eu cresci e superei aquelas piadinhas. Continuo não sendo magro e nem recebendo elogios de muita gente, contudo, quando aprendemos a nos amar, tudo fica ok. Amor próprio sempre, sabe?

Já parei pra pensar várias vezes sobre a atitude dessas pessoas que julgavam e tentam humilhar... Será se humilhar alguém traz algum tipo de alegria? Ou faziam com que esqueçam o quão fútil estão sendo? 

Poxa! A vida já não é fácil pra ninguém, então, pra quê complicar a do outro, se você pode ajuda-lo!? Se não tá a fim de estender um braço amigo, pelo menos não abra a boca pra disparar asneiras. 

O mundo tá cheio de pessoas assim: lixo. O pior é que lixo dá pra reciclar, já essa gente preconceituosa, babaca, estúpida e completamente desnecessária... 
Sobre a minha adolescência não tão feliz, eu digo uma coisa: a vida funciona como um ciclo. Se você demonstrar que esse tipo de atitude tá te afetando, com certeza irão continuar. No meu caso, eu nem ligava. Simplesmente acionava o “foda-se!”. Até hoje eu prefiro não ouvir o que falam de mim. Quando é coisa negativa e não me agrega nada, claro. 

Outro dia, por exemplo, fui à uma festa e bebi mais do que deveria. Acabei me jogando na piscina (que era livre a todos, vale ressaltar!). No outro dia, em grupinhos no WhatsApp, várias pessoas estavam falando o seguinte: “a festa foi tão boa que a gente viu até uma baleia na água. Uma espécie de Free Willy”. 

Eu sou baleia? Eu sou o Free Willy? Não e não. Então, só ignoro a existência de gente desse tipo. E a vida segue...

8 de novembro de 2015

Vídeo: me perdi andando de ônibus

novembro 08, 2015 11 Comentários
Depender do transporte público é uma das piores coisas em Araguaína. Não sei como é no resto do país, mas, aqui simplesmente ônibus é sinônimo de estresse. Motivo: atrasam horrores, são insuficientes pra quantidade de pessoas da cidade... a lista é imensa. 

E o pior é que, com o aumento do valor da gasolina, a quantidade de pessoas que andarão de buzão irá aumentar. 

Outro dia eu saí mais cedo da faculdade e tive de voltar pra casa de ônibus. Eu estava feliz com isso, porque na última semana chegaram 50 novos ônibus com ar condicionado. Mas, a experiência foi traumatizante. Motivo: me perdi na própria cidade e ainda entrei no meio de um tiroteio, em um setor beeeem afastado da minha casa.  

No vídeo abaixo eu explico como aconteceu tudo isso. ;)

5 de novembro de 2015

Nostalgia: relembrando celulares antigos

novembro 05, 2015 2 Comentários
Sem dúvida alguma, os celulares tornaram-se fundamentais nos dias de hoje, sendo a principal forma de contato de muita gente. Porém, pra chegarem a essa patamar, muito tempo se passou. Ou vai me dizer que você não se lembra da época em que os aparelhos ainda tinham antenas embutidas e mais pareciam um telefone fixo? Bons tempos!

Se temos uma pessoa a quem agradecer pela criação do telefone, esse alguém é o físico escocês Alexander Graham Bell, que criou o telefone ainda no ano de XIX. Na época, 100 aparelhos foram trazidos para o Brasil por Dom Pedro. Hoje, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, temos mais de 280 milhões de linhas de celulares ativas, sendo esse número maior do que a própria  população do país.

Abaixo, eu selecionei os aparelhos que já passaram por mim. Só uma coisa: saudades de carregar o celular de 4 em 4 dias. </3
Esse Nokia 6160 foi o meu primeiro celular. Ganhei de um tio e... Meu Deus! Fiquei tão triste quando ele pifou. Eu tinha uns 8 anos na época...

Como não amar o joguinho da cobrinha desse celular??? Simplesmente passava horas e horas tentando passar de fases.
Esse Nokia 1100 revolucionou os celulares em 2005 (?) por causa da lanterninha. Lembro que as capinhas pra eles eram super bonitinhas.

Não sei vocês, mas eu até hoje acho o modelo da Siemens bem fofinho. Ele também tinha um joguinho tão bom...

Esse Motorola eu ganhei de presente no 2º ano do colegial, porém, não durou nem uma semana comigo. Motivo: esqueci ele num orelhão. Lembro também que minha colocava crédito no celular e eu acabava com tudo em minutos, vendo vídeos no Youtube. Naquela época eu usava internet EDGE, ou seja, lenta demais.
De todos os celulares existentes, o que eu sempre fui apaixonado é por esse LG. Simplesmente ele era bem diferente de todos... e não: não tive esse último. Só fiquei no desejo. 

Hoje estou com um iPhone 4 e muito bem (obrigado!). Sei que ele já tá bem velhinho, morrendo aos poucos, mas, tá funcionando perfeitamente. 

E vocês já usaram algum desses celulares? Conta aí como foi a experiência... :-)

4 de novembro de 2015

Casamentos "estranhos"

novembro 04, 2015 11 Comentários
Eu sou uma pessoa completamente romântica (minha tatuagem prova isso), porém, nunca parei pra pensar em como seria/será meu casamento. Sério. Eu quero ter uma pessoa ao meu lado que me faça feliz e só. 

Sou meio careta pra essas coisas de casamentos e não acho, de verdade, que sempre um par de alianças, grande festa e todo esse ritual vai fazer o amor crescer e bla bla bla. Porém, depois de eu saber que a escritora Paula Pimenta se casou na Disney, mudei totalmente minha concepção.
Uma foto publicada por Paula Pimenta (@paulapimenta) em
Paula Pimenta simplesmente zerou vidas ao realizar o sonho de qualquer pessoa romântica (e infantil, vai!). Quem iria recusar a presença do Mickey no casamento? 

Não contente em ver as poucas fotos que a Paula Pimenta postou, resolvi pesquisar um pouquinho sobre os ensaios de casamento mais "estranhos" que já foram realizados e, ó, tem gente com cada ideia.
Apocalipse zumbi
Esse casal com certeza realizou o sonho de muita gente: um casamento se passando em uma apocalipse zumbi. Na verdade, eles disponibilizaram na internet mais de 60 fotos do ensaio do book do casamento deles. O tema foi nada mais, nada menos que "The Walking Dead". Eu adorei! (Todas as fotos aqui)
Esporte
Casamento no gramado de um estádio de futebol? Eu não consigo imaginar o estádio lotado, mas, no mínimo, a pessoal deveria adorar futebol pra escolher esse local pro ensaio fotógrafo. Achei diferente e ousado. (Detalhes sobre o ensaio)
Nas alturas
Casamento no avião: tá aí uma coisa que eu #achochyque, #supertedência, #coisaderyco... Mais legal do que ser diferente, o casamento desse povo aí da foto tem um significado: o casal trabalha como controladores aéreos, ou seja, tem uma forte ligação com o local ao qual escolheram para a celebração. Juro que eu me emocionaria se acontecesse isso no voo em que eu estive. <3 (História completa do casório)
Aventura
Esse casal da foto é da Tailândia, logo, não podemos esperar muita coisa desse povo porque todos são bem piradinhos (no lado bom da palavra, se é que tem). Pesquisando na internet, descobri que lá na Tailândia é super normal casamento com aventuras. Antes do tradicional "sim", os noivos passam por tanta coisa... (Essa galeria do Uol mostra até casal escalando prédios junto)
Enfim, a lista de casamentos "estranhos" é longa... Realmente, eu acho legal quem tem coragem de ousar e sair do casamento tradicional. <3 

3 de novembro de 2015

Coisas que eu odeio na faculdade

novembro 03, 2015 14 Comentários
Sem dúvida alguma, o sonho de todo ser humano normal, que deseja ser alguém bem sucedido na vida e não nasceu com o traseiro virado pra lua é: entrar na faculdade e sair de lá com o tão sonhado (e soado!) diploma. Certo? 

Eu até hoje me lembro do meu primeiro dia na Faculdade Católica Dom Orione (FACDO), quando eu cheguei atrasado e nem sabia onde ficava as turmas de Direito. Outra coisa que eu não esqueço é da minha reação o ver mais de 40 pessoas numa única sala. É que na minha época de colegial o máximo de pessoas numa sala eram 25. #sdds 

Atualmente, estou no 6º período de Direito e, como já disse aqui, não é a faculdade dos meus sonhos, mas, eu aprendi a gostar do curso. Abaixo, fiz uma relação das coisas que eu mais detesto na universidade. Tenho certeza que vocês se identificarão com alguns tópicos. Let's go?! 
1- Se "amostrar" na sala de aula: Sempre fui o tipo de pessoa que entende o conteúdo com facilidade, por isso, não fico fazendo dez mil perguntas ao professor. Então, logicamente, aqueles questionamentos sem noção sempre me irritam. O mais chato é quando a pessoa faz a pergunta já dando a resposta, só pra dizer que é sabichão.

2 - Gente que pede cola: Jesus! Como eu odeio quem fica me cutuca por trás tentando conseguir uma colinha. Eu não colo (sério!) e odeio quem tenta me usar pra isso. Prefiro um zero sabendo que preciso melhorar nos estudos do que ficar colando.

3- Riquinho (ou falso rico): Nada contra quem tem muito dinheiro, aliás, parabéns por não precisarem ralar nessa vida. But... odeio alguns riquinhos da faculdade que ficam julgando os outros e que também fazem questão de sair pelos corredores rodando na mão a chave do carro dos pais. Morram!

4- Professor que escreve mais do que fala: Daí você sai da sua casa na intenção de estudar, mas, o seu professor passa 90% da aula escrevendo e nos outros 10% lendo o que escreveu. Poxa! Eu quero é explicação da matéria.

5- Falta de opções de livros na biblioteca: Sempre gostei de ler e a biblioteca da escola era meu local preferido (mais do que a própria sala de aula), porém, minha faculdade é tão desgraçada que me fez odiar esse local. Motivo: é muito apertada, não tem variedades em livros... Um lixinho!

6- Celular tocando na sala de aula: Ainda não entendi se é implicância minha ou as pessoas realmente gostam de ouvir na sala de aula o bip do celular. É simplesmente insuportável estar concentrado na explicação e o treco tocar toda hora. E não é só um celular, são milhares. Usem o bom senso, please!

7- Atraso: Não suporto atrasos, por isso sempre chego uns 20 minutos antes do horário do início da aula. Mas sempre tem aqueles que gostam de chegar atrasados fazendo maior auê, né? Eu queria tanto que um dia essas pessoas levassem um tombo, no meio de todos, só pra nunca mais chegarem atrasadas. #beeshamá 
A minha lista é imensa e acho melhor parar por aqui, caso contrário, iniciarei um show de indiretas pro pessoal da minha sala e acho que eles não curtiriam, já que eu descobri que geral da faculdade não vai com a minha cara. Gente, não confundam "timidez" com "metidez", ok?! Beijos iluminados pra quem me odeia. Saibam que eu só desejo sorte na vida de vocês e na prova da OAB! ;) 

Thank you!

novembro 03, 2015 11 Comentários
se eu pudesse te dizer algo agora, com certeza seria: “thank you!”. de verdade. não tenho raiva de ti, porque sei que o culpado de tudo fui eu. sempre vou com sede ao pote e, logicamente, quebro a cara.

contigo não foi diferente dos outros caras; mas, sabe... algo me dizia que daríamos certo e a coisa seria pra valer. infelizmente, novamente me enganei.

não precisa se preocupar!

apesar do vazio que ficou no meu coração, eu estou bem e “sabendo” lidar com a dor. essa não foi a primeira vez e também não será a última. e é justamente por isso que eu estou te agradecendo: tu me ensinou muita coisa, mesmo sem querer... 

tava pensando aqui...

desde o início, tu sempre deixou claro o que queria e eu, como um bobo apaixonado, fui fantasiando coisas; imaginando nossas tardes juntos, vendo seriados ou até mesmo fazendo uma tour pela cidade... 

não, você não sabe o quando tudo isso me doeu no início, mas, hoje estou aqui de cabeça (quase) erguida, dando os meus primeiros passos, em busca de uma nova vida. 

é óbvio que, em alguns momentos, eu deito na minha cama e lembro das nossas conversas e planos feitos ali. (pode parecer loucura, mas eu ainda sinto o seu cheiro no meu travesseiro...

poxa! sinto ainda tanto saudade de conversar contigo, de olhar pro seu olhar... 

fica bem aí. tô tentando ser forte aqui. 

thank you, again! 
“i've become a better person now than who I was from the inside out, and yes: it's all because the things you always do, you make me feel something new. i just wanna thank you for being you…” (thank you – crash boom bang)
texto dedicado a toda os caras que já passaram pela minha vida. não é exclusivo a ninguém!