Follow Us @soratemplates

28 de janeiro de 2012

Look do mês: Sophie Charlotte

janeiro 28, 2012 4 Comentários
Com rosto de menina Sophie Charlotte, a Maria Amália de Fina Estampa, conquistou milhões de pessoas ao ser contratada pela Rede Globo. O que ninguém sabia era que aquela garota que tinha cara de ser tímida logo se tornaria uma grande estrela de TV.
Sophie em 2008 no papel de Angelina.
Acompanho o trabalho da Sophie desde 2008 quando ela foi protagonista de Malhação no papel de Angelina. Confesso que a personagem era meio desleixada, não ligava para moda. Mas, depois de vários trabalhos eis que surge Maria Amália com um style romântico à Taylor Swift. Pode confessar, além de ser uma grande atriz Sophie sempre arrasa nos looks, tanto é que ela é destaque desse mês no blog.
Na novela Fina Estampa. 


Vocês curtem o trabalho da Sophie? O que acharam do look dela? 



23 de janeiro de 2012

O motivo da minha ausência

janeiro 23, 2012 9 Comentários

Sim, o blog está desatualizado. Sim, eu fiquei muitos dias offline... Mais de uma semana sem blogar, tuitar e conectar a internet, tudo isso por um motivo sério que  já conto pra vocês.

Há um tempo falei aqui que finalmente teria um irmãozinho, passei minha infância inteira esperando por ele, mas só agora eu realizaria esse sonho. Este mês era pra ele (meu irmão) vir ao mundo, mas uma coisa que ninguém esperava aconteceu: a criança morreu por problemas cardíacos dentro da barriga da minha mã. Até aqui tudo mau, né?! Pois é, não bastasse isso as coisas pioraram!

Depois de não poder fazer nada pela vida do meu irmão (eu te amo, seu lindo L) era a vida da minha mãe que estava em risco. No momento do parto tiveram que tirar o útero da minhã mãe e depois de terminar a cirúrgia tiveram que reabrir o local por causa de uma hemorragia que logo, graças a Deus, foi controlada.

Mais de 05 horas no centro cirúrgico, 01 um dia na UTI e muitas lágrimas derramadas por toda minha família...

Depois de uma semana internada no quarto de alto risco, minha mamãe  voltou sábado, 21, para casa e está a cada melhorando. Gente, Deus atendeu nossos pedidos, segurou minha mão quando eu mais precisei... Peço desculpas pela minha ausência, mas eu não tinha nenhum ânimo de escrever, tampouco ligar o computador.

É isso, gente. Passei por dias tristes, mas isso faz parte da vida.

“Negar a dor da perda é como negar a própria vida que pulsa na gente.”

13 de janeiro de 2012

Escreva que eu leio e respondo

janeiro 13, 2012 6 Comentários

Uma leitora me mandou um email pedindo ajuda dizendo que está sofrendo por um “amor”, como muita gente passa pelo mesmo sofrimento eu resolvi responder seu email aqui no blog. A partir de hoje, pelo menos uma vez no mês irei responder o email de alguém publicamente, assim, a minha resposta poderá ajudar muita gente! Vamos ao email e a resposta.
Oi, Adriel. Meu nome é Geovana*, tenho 14 anos e gosto de um garoto, mas não quero namorar com ele porque não gosto de compromisso sério. Duas vezes ele me chamou para lanchar e uma vez pra jantar, eu não fui porque não quero perder o resto da confiança que tenho com meus familiares porque já abusei da paciência deles. Já não sei o que fazer, todas às vezes que ele me convidou todas recusei. Eu não gostava dele, mas com o tempo comecei a sentir algo a mais, já não é amizade. Ele gosta de mim, tenho certeza.
Mesmo se eu quisesse me encontrar com ele não daria certo, ele mora no setor da minha avó e ela não me deixa sair.
Se você fosse no meu lugar o que faria? 
*Geovana não é o nome real da garota do email.
Querida, a primeira coisa que devemos fazer numa situação como a sua é por numa balança as coisas boas e ruins que esse “romance” trará. A resolução dessa história não será fácil, mas acho que vale à pena dá uma chance a esse amor. Pelo o que entendi você gosta do garoto de verdade, sabe por que cheguei a essa conclusão? Se você não gostasse do menino não pensaria duas vezes na resposta, teria a certeza que não quer se encontrar com ele!

A coisa complica quando a família não aceita um namoro. Tente saber o motivo deles não te liberarem pra namorar, sair. Se o motivo de tal proibição é você ser muito nova, demonstre a todos que você já não é uma criança, que cresceu e agora é uma mulher. Como? Respeitando todos seus familiares, obedecendo às ordens que recebe e principalmente fazendo as coisas certas!

Se você assim como a leitora do email tem alguma dúvida, precisa de ajuda, pode me mandar um email que se a história for boa eu posto e respondo aqui. Posso não mudar sua vida, mas você estará conversando com um amigo que está disposto a te ajudar. Email – contato@naomevenhacomdesculpas.com

11 de janeiro de 2012

Resenha: O morro dos ventos uivantes

janeiro 11, 2012 6 Comentários








O Morro dos Ventos Uivantes
Autora: Emily Bronte
Editora: Lua de Papel – Leya
Páginas:292







Sinopse:
Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. “Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff”, diz a apaixonada Cathy. Toda a história, com poucas exceções, é contada pela testemunha ocular de todos os acontecimentos, uma governanta chamada Ellen Dean, ao locatário da propriedade Granja dos Tordos, em Gimmerton, Yorkshire, Inglaterra, enquanto este se encontrava adoentado.O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais belas de todos os tempos, O morro dos ventos uivantes é um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas incluindo os belos personagens de Stephenie Meyer. 

Eu já tinha lido esse livro no ano passado em uma versão adaptada, no início da obra tinha a biografia da autora, o que senti falta na versão original da editora Lua de papel – Leya. No final do livro apenas fala que foi o único publicado pela autora. Mas, vamos à resenha.

A história no início é confusa, o vocabulário um pouco complicado, mas ao decorrer da leitura você se acostuma com muitas palavras. O Sr. Lockwood é o novo morador da “Granja dos tordos” e sua governanta, Ellen Dean, conta tudo o que aconteceu no Morro dos ventos uivantes com Catherine e Heathcliff.

Heathcliff foi adotado pelo pai de Catherine, Sr. Earnshaw, e durante toda a infância os dois eram amigos daqueles que onde um estava o outro também. Dessa amizade surge um amor, mas o que fazer quando uma pessoa te rejeita porque você não tem dinheiro e uma boa educação? Era com isso que Heathcliff tinha que lidar.

A história se passa praticamente toda no “Morro dos ventos uivantes” e na “Granja dos tordos”. Os assuntos tratados no livro são vários: mortes, traição, amores e vingança por parte de Heathcliff. Uma coisa que me chamou atenção foi o amor de Heathcliff por Catherine, em certo momento ele disse que queria ser enterrado dentro do caixão de Catherine, o que foi concretizado!

Tem um trecho que diz muita coisa do livro:
Só duas palavras poderiam descrever o meu futuro: morte e inferno. A minha vida depois de perdê-la seria um inferno. (...) Que loucura! Nem que ele a amasse com toda a força da sua vil existência, seria capaz de amá-la tanto em oitenta anos como em um só dia. Catherine tem um coração tão profundo como o meu. Seria mais fácil colocar o mar dentro de uma vasilha, que toda a afeição dela ser monopolizada por ele. O sentimento que ela nutre pelo marido é pouco mais intenso que o que ela nutre pelo cão ou pelo cavalo.

Eu amei esse livro. Pretendem ler ou já leram?



9 de janeiro de 2012

Conheça a escritora Elizandra Sousa.

janeiro 09, 2012 5 Comentários

As febres de livros vampirescos passaram, mas ainda há escritores que merecem ser destacados pela criatividade. Minha amiga há muito tempo pensava em escrever um livro sobre vampiros, no decorrer da sua vida ela foi criando a história e finalmente resolveu escrever e em breve o livro será publicado.
Como já li algumas partes do livro, e achei muito bom (é melhor que Crepúsculo, gente!), a Elizandra resolveu me entregar uma parte do prólogo pra vocês conhecerem o trabalho dela.
Prólogo:
Não sou nem um pouco comum; disso estou certa. Mais nem por isso me sinto especial, afinal, sou um monstro, mesmo que fisicamente não aparenta nada altera o fato de amá-lo loucamente. E é por isso que uma parte de mim dói ao pensar nos perigos e conflitos que tornei a vida dele a partir do dia em que passei a fazer parte do mundinho do meu amado. Tentei lutar e evitar, mas já era tarde demais, estava envolvida. Sem notar o meu sentimento tornou-se muito forte, diferente de tudo do que eu havia sentido em toda minha vida. E ainda é um mistério se esse relacionamento irá adiante...

Vamos ver o que a escritora fala sobre o livro? 
Desde pequena sempre tive paixão por livros... Logo quando aprendi a pegar gosto pela leitura, percebi que havia algo mágico nisso, o que me estimulou muito. Comecei a criar o livro aos doze anos, mas só resolvi escrevê-lo agora por pensar que não seria apoiada pelos meus pais, já que meu pai sonhava que eu fosse uma grande promotora e minha mãe uma excelente médica. Resolvi não contar nada, até ser descoberta por eles, no final deram-me apoio mais do que esperava, o que me deixou muito contente, afinal esse é meu objetivo, meu sonho. Escrever é uma ação desafiadora e, é exatamente nesse desafio que quero embarcar!
(Elizandra Silva)

6 de janeiro de 2012

Você é responsável pelo que ouve!

janeiro 06, 2012 11 Comentários

Recentemente saiu na revista época que um tal de Michel Telo reflete bem a cultura popular brasileira. 

Mas antes de qualquer coisa, você sabe o que é cultura?  Se não sabe, pesquisa no Google.

Um país tão grande como o Brasil é impossível dizer que tal estilo define a cultura como um todo. O que acontece então?

Por aqui tem uma coisa engraçada, talvez pelo fato de haver poucas emissoras a nível nacional, que se algo estiver na mídia reflete tudo. Grande realidade é os vídeos que estouram na internet, vão para TV e a pessoa fica famosa do nada. Isso é positivo e negativo ao mesmo tempo.

Mas Bruno deixa o rapaz em paz, a música dele é boa.

Se é boa ou não, eu não sei por que eu não curto, mas devemos sempre lembrar que a música é um elemento cultural, que transmite valores e sentimentos. Um grande absurdo são alguns pais que expões os filhos a musicas de funk obscenas com apologia a sexo e drogas. Será que é isso que queremos como elemento cultural?

Da mesma forma que nos preocupamos com a procedência da madeira, dos alimentos, com reciclagem, devemos nos preocupar com as músicas que andam sendo difundidas. Em quem as criou, o motivo, a mensagem que querem passar e etc.

Sempre haverá divergências com relação o que é música boa e musica ruim, o que anda faltando é respeito e colaboração, por exemplo, o funk, o problema dele não é a batida e sim as letras, pessoas ouvindo dentro do ônibus sem fone, carros com som alto e etc.

Minha opinião é essa.  Precisamos ir atrás de novos estilos, conhecer a composição nacional de estilos e gêneros, conhecer um pouco nosso Brasil e não apenas nos ater ao que circula na mídia. É uma tarefa difícil, mas a internet está ai pra isso.  Boa sorte para nós. 

4 de janeiro de 2012

Apresento a vocês: Bruno Luiz!

janeiro 04, 2012 10 Comentários

De tudo que poderia lhe dizer,
Apenas lhe deixo meu olhar,
Meu silêncio,
Meus sentimentos,
Não que seja desperdício lhe falar,
Apenas quero lhe dar um momento
E não palavras.”
(Trecho da poesia “Poderia” do livro “NO ENCONTRO DE UMA CONSTANTE”, de Bruno Luiz)



Você gosta de ler poesias? O que sente quando se envolve com a letra? Vou confessar que depois de conhecer o lindo trabalho do Bruno Luiz, que se diz poeta amador, comecei a gostar desse estilo literário que às vezes nos faz chorar naquela noite de lua cheia que você não consegue dormir, apenas ler cada trecho dos poemas e derramar lágrimas (isso já aconteceu comigo lendo os poemas do Bruno).

O Bruno é um poeta que cursa Sistemas, mas, todos que o conhecem sabem do seu talento para escrita, em especial a poesia. Quando ele comenta aqui no blog fico boquiaberto com (digamos) as filosofias. Sério! Um menino muito inteligente que veio mostrar que homem também tem sentimentos, e que por mais careta que seja, amar faz nos faz bem!

Infelizmente não tenho previsão de quando as poesias do livro serão lançadas, pelo que sei o Bruno não encontrou uma editora para publicá-los. Mas, se você conhece alguém que esteja interessado em um trabalho de qualidade pode indicar o livro (NO ENCONTRO DE UMA CONSTANTE).

Tive o privilégio de lê algumas poesias do texto, aliás, em breve sortearemos aqui no Blog um exemplar do livro, que ainda é inédito nas bancas de revistas e livrarias.

Interessou-se no livro e no autor? Veja como o próprio se define:
"De maneira geral, sou bem otimista, gosto de fazer bem as coisas que me proponho a fazer, tenho várias características dos homens do século passado, mas não sou careta, apenas prezo coisas que não deveriam ter saído de moda. Gosto de correr mesmo não fazendo isso, me envolvo quando acho algo interessante, escrevo para dissipar os sentimentos ruins e eternizar os bons. Gosto de conversar, de séries, filmes, de imaginar, sonhar, delirar dentre as possibilidades. Tenho defeitos, mas hoje em dia é impossível não ter. Minha constante são os momentos. Sempre querendo ir ao encontro daqueles que podem me fazer feliz."

2 de janeiro de 2012

Adeus ano velho e feliz ano novo!

janeiro 02, 2012 6 Comentários
Todo ano fazemos aquelas famosas resoluções de ano novo, né? Este ano eu resolvi não fazer. Não sei o que deu em mim, talvez amadureci o bastante para não acreditar mais nessas listinhas. É claro que tenho em mente alguns planos para concretizá-los ano este ano, mas pra que escrever o que eu não irei fazer? Sinceramente, acho isso uma perda de tempo!

Para você ter certeza de que eu não estou errado (ou estou, né!), pegue as resoluções do ano passado e veja o que realmente aconteceu na sua vida. Creio que muitas coisas que não estavam anotadas na folha você realizou.

Acho que a felicidade está em fazer coisas diferentes, conhecer novos mundos, viajar (mesmo sem sair de casa, na imaginação mesmo), AMAR... Não importa o lugar nem a situação. Olha eu divagando, gente!

Você acha que o que está escrito numa folha irá realizar-se se você continuar aí sentado lendo esse post? É claro que não, você vai ter que correr, levar tapas na cara (não literalmente, claro), chorar muito. Não é uma lista do que deseja que irá mudar sua vida, pode até mexer no nosso ego, mas só isso.

É isso gente, vamos viver, vamos ser felizes. Nada de resoluções no ano que vem, tá?!


P.S.: Só pra não dizerem que sou chato montei uma listinha agora (enquanto escrevo o post) só pra não perder o costume. Sou bipolar, pra quem não sabe!
1 – perder alguns quilos;
2 – Arrumar um trabalho (tchau, mesada);
3 – Dobrar o número de visitas do blog;
4 – Continuar espalhando o amor por onde eu for;
5 – Chegar naquela pessoa e dizer que eu a amo.

E vocês têm resoluções de ano novo? Conte aí nos comentários, quero saber!